Roberto Freire fala sobre o Cidadania, movimentos de renovação e Huck com Marco Antonio Villa

O presidente do Cidadania, Roberto Freire concedeu entrevista (veja abaixo) em São Paulo, na última sexta-feira (24), ao jornalista Marco Antonio Villa. Freire falou sobre a criação do Cidadania e o protagonismo que o partido pretende ter na política nacional com a integração dos movimentos de renovação política. Na entrevista, o presidente do Cidadania também conversou com o jornalista sobre a conjuntura política nacional e a eventual candidatura de Luciano Huck para presidente da República nas eleições de 2022.

Em nota, Cidadania lamenta morte de Ibsen Pinheiro

Ex-deputado federal presidiu a Câmara dos Deputados no processo de impeachment do ex-presidente Fernando Collor (Foto: Galileu Oldenburg/MDB)

Em nota pública (veja abaixo), o presidente do Cidadania, Roberto Freire, lamentou a morte do ex-deputado federal Ibsen Pinheiro, aos 84 anos. Ele Ele foi presidente da Câmara dos Deputados durante o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello, em 1992.

Ibsen estava internado no Hospital Dom Vicente Scherer, na Santa Casa de Misericórdia, em Porto Alegre. Segundo familiares, Ibsen tinha descoberto em dezembro um tipo de câncer na medula e estava em tratamento.

“Tive o prazer de compartilhar com ele de grandes momentos, na vida política nacional, na defesa das causas maiores dos brasileiros, particularmente de sempre mais liberdade e oportunidades iguais para todos, durante nossa presença conjunta na Câmara dos Deputados, por mais de uma década”, diz nota assinada por Freire que se solidariza com a família de Ibsen.

“O Brasil perdeu uma grande figura

Vítima de uma parada cardiorrespiratória, faleceu, ontem [24/01], em Porto Alegre, aos 84 anos, o grande cidadão e político gaúcho Ibsen Pinheiro, cuja trajetória deixou uma profunda marca não apenas em seu Estado natal mas no país, sobretudo considerando-se sua intensa participação nas mais diversas batalhas para isolar o regime civil-militar implantado em 1964 e derrotá-lo no fim dos anos 1970.

Depois de ter sido eleito vereador em Porto Alegre, em 1972, deputado estadual em 1978, e deputado federal, nos pleitos de 1982, 1986, 1990 e 1994, presidiu a Câmara Federal, entre 1991 e 1993, quando do processo de impeachment do então presidente da República, Fernando Collor, e integrou a Assembleia Nacional Constituinte, com rica contribuição na redação do texto da Carta Magna de 1988, utilizando seus conhecimentos de jornalista, radialista, advogado, promotor e procurador de Justiça. Por conta de ter sido alvo de um processo montado para desmoralizá-lo e afastá-lo do Congresso Nacional, ele teve seu mandato cassado, em maio de 1994, pela CPI que investigou as irregularidades no Orçamento da União, acusado de participar do “Escândalo dos Anões do Orçamento”, um esquema de desvio de verbas, e condenado a ficar afastado da vida pública por oito anos. Não apenas ele, mas todos os seus amigos muito sofreram com o ocorrido, sobretudo porque estava evidente ter havido falsificação de dados e informações. Em 2000, o Supremo Tribunal Federal arquivou o processo em que era acusado de sonegação fiscal.

Tive o prazer de compartilhar com ele de grandes momentos, na vida política nacional, na defesa das causas maiores dos brasileiros, particularmente de sempre mais liberdade e oportunidades iguais para todos, durante nossa presença conjunta na Câmara dos Deputados, por mais de uma década.

Nossos sinceros e fraternos pêsames à sua companheira, a seus filho e neto, pela perda de tão fraterna e batalhadora figura.

Brasília, 25 de janeiro de 2020

Roberto Freire
Presidente do Cidadania23

Cidadania do Paraná quer André Trindade na disputa pela prefeitura de Londrina

André Trindade e o deputado federal Rubens Bueno, presidente do Cidadania no estado (Foto: Reprodução)

O Cidadania do Paraná tem como pré-candidato à Prefeitura de Londrina o advogado e professor da Unopar, André Trindade. Ele defende o pleno desenvolvimento do município com geração de empregos e a utilização de exemplos de desenvolvimento de gestões do Cidadania em outros municípios do estado e País..

O pré-candidato defende também melhorias na saúde. Segundo ele, um candidato a cargo pública necessita ser conhecido por sua experiência, bandeiras e posições políticas.

Jovens do Cidadania lançam corrente “Ousadia” com o objetivo de contribuir na transformação do País

Jovens filiados ao Cidadania lançaram, nesta quinta-feira (23), o movimento “Ousadia” (veja abaixo o manifesto) com o objetivo de impulsionar a luta da juventude e contribuir nos debates e as propostas partidárias. Além disso, a iniciativa tem como finalidade somar esforços para transformar o País em uma nação mais justa e igualitária.

Movimento Ousadia

Prezadas e prezados camaradas do Cidadania 23 nós, membros da juventude partidária, viemos a publico anunciar o lançamento de uma iniciativa que parte de nós e da nossa vontade coletiva de impulsionar a luta jovem dentro do Cidadania . Avaliamos que estamos no momento de somar, que a participação cada vez maior da juventude no partido e na política nacional pode fazer a diferença, e é preciso construir essa conquista com OUSADIA. (Nós que lutemos!)

O momento vivenciado na política brasileira é preocupante e desafiador. Porém, a despeito da narrativa pessimista, é necessário fortalecer frentes propositivas de atuação e que gerem impacto social relevante. A garantia de um futuro para as próximas gerações depende do contato dos jovens com a política, pois a participação da juventude é essencial para a consolidação de uma cultura política corajosa e efetivamente organizada. Surgirmos do anseio de efetivação do movimento jovem do Cidadania23, da necessidade de horizontalização dos processos tendo como prioridades urgentes a convocação de um congresso e a produção coletiva de um novo estatuto para a juventude.

A nossa disputa não é interna, mas sim com algo maior. Os desmandos dos governos municipais, estaduais e o nacional precisam ser enfrentados e nós, jovens, temos que protagonizar essa luta. Acreditamos que a união da juventude do CIDADANIA pode fazer a diferença e por isso contamos com todos da J23 juntos nessa grande construção.

Parafraseando o presidente Roberto Freire “não é o que o partido tem a oferecer, mas o que você fará pelo partido” e nós podemos fazer muito. Podemos construir o futuro e nos distanciar do jeito antigo de fazer política.

Convidamos todas e todos para conhecer e compor o movimento OUSADIA. Confira a nossa plataforma, nos ajudem a crescer, diversificar nossas ideias e consolidar nossa bandeira como algo que represente a identidade da J23, pois com vocês em nossa luta a iniciativa estará completa. Sejam bem-vindos!

(NOME/UF/MOVIMENTO)

  1. Mariana Gomes da Rocha – MS – M23 Nacional / J23
  2. Luis Eduardo Lelis – PR – Livres / Igualdade 23 / J23
  3. Graziella Mendes de Carvalho – RJ – Livres / Acredito / M23 / Diversidade / Igualdade / J23
  4. Keyla Gabrielli de Oliveira – PR – Diversidade / J23
  5. José Custódio Carneiro Júnior – PB – J23
  6. Bruno de Arruda Rodrigues – Juventude23 / Acredito
  7. Israel Athayde – PA – Livres / Renovabr / MLP / Aje Pará
  8. Felipe Carlos – RJ – Livres / Diversidade 23 / J23
  9. Karla Falcão – PE – Livres/M23/Juventude23
  10. Adreyelle Mendes – DF – Juventude23
  11. Juliet Matos – M23/D23/J23/DN
  12. Vinícius Pierre – RJ – Movimentos / J23
  13. Gustavo Henrique – PE- J23/ACREDITO
  14. Lucas Almeida Franceschi – PR – Livres / Diversidade / J23
  15. Gabriel Drummond – RJ – J23/Acredito/Livres
  16. Bernald Jonhson PE- Acredito
  17. Kennedy Vasconcelos Júnior/ Juiz de Fora-MG/Movimento ACREDITO, RenovaBR, Frente Nacional de Negros e Negras.
  18. Renata Cezar/ SP/ RenovaBr
  19. Eullys Alves- PE- Acredito/J23
  20. João Gabriel Raddi – PR – Diversidade 23
  21. Fagner Barroso / PE / J23
  22. Bia Nóbrega / DF / Livres
  23. Francisco Layon – PE – Livres/J23
  24. Rebeca Vitória – PE/ J23
  25. Gabriel Marques – SP / D23
  26. Alexandre Freitas – RJ / Acredito/ J23
  27. Loreny – SP – M23/J23
  28. Caroline – RO – M23/J23
  29. Gleyce Prata – RO M23/J23 – Comissão de Ética Cidadania RO.
  30. Guilherme França – GO /J23
  31. Ninã Victor – SE – J23

Conheça a Plataforma

Cidadania reforça necessidade de combate à intolerância religiosa no País

O País celebra, nesta terça-feira (21), o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. A data serve para alertar a sociedade sobre o problema gerado pelo desrespeito às diversas crenças existentes no mundo. O dia é considerado um marco pela luta ao respeito da diversidade religiosa que, no Brasil, é considerado crime e passível de punição prevista pelo Código Penal.

O Cidadania, além de apoiar a data, vem trabalhando o tema por meio do Núcleo FÉ criado no último Congresso Nacional realizado em outubro do ano passado. Para o integrante do núcleo e presidente estadual do Cidadania no Maranhão, Eliel Gama, a questão é um problema que atinge todo o mundo.

Segundo o dirigente, em todo o planeta, cristãos são perseguidos pela fé que professam e destacou estudos que apontam a perseguição de cristãos em pelo menos 144 países. Por outro lado, Eliel ressaltou que no Brasil o problema está na perseguição de religiões de matrizes africanas realizada muita vezes por cristãos.

“Falamos de algo real e atual. Segundo estudos, aproximadamente 245 milhões de cristãos, nos 50 maiores países do mundo, sofrem altos níveis de perseguição. No Brasil esse problema é diferente. Religiões de matriz africana sofrem toda ordem de preconceito. Por vezes, infelizmente, praticada por cristãos. Temos que discutir e refletir sobre essas questões em um dia especifico sobre isso e pautando esses temas na ordem do dia. Temos que fazer algo no caminho da tolerância”, defendeu.

Situação no Brasil

Ao analisar a situação da intolerância no País, Eliel Gama disse que, pelo fato do Brasil ser de maioria cristã, o respeito ecumênico deveria ser padrão. Contudo, lamentou o fato de a sociedade assistir, nos últimos anos, cenas de intolerância contra religiões de matriz africana.

“Preconceitos que por vezes se confundem com racismo e só servem para semear o ódio entre pessoas que, a priori, deveriam ter uma relação amistosa. O Brasil é um País laico e por esse motivo deveríamos respeitar as predisposições da Declaração Universal dos Direitos Humanos [da ONU] e da própria Constituição brasileira. Para além da garantia constitucional e o pacto estabelecido pela ONU, existe a Lei 9459/97 que em seu primeiro artigo prevê punição por crimes praticados contra a fé. Mas nada disso vai realmente combater esse obscurantismo. Isso é um problema de educação e só pode ser resolvido por meio dela”, afirmou.

Papel do Cidadania

Eliel ressaltou o importante trabalho realizado pelo Cidadania contra todos os tipos de intolerância. Ele defendeu a importância do debate do tema e a elaboração de propostas que possam contribuir para o fim da intolerância religiosa.

“O Cidadania é um baluarte no combate a qualquer tipo de intolerância. No último Congresso Nacional Extraordinário, o partido criou um núcleo para discutir a intolerância religiosa. No nosso País, como uma Nação religiosa, é fundamental o partido manter esse debate. É preciso expor casos que ameaçam a democracia e o respeito ao Estado laico. É fundamental e oportuno fazer esse debate da intolerância como das políticas obscurantistas que vem fortalecendo uma política nefasta que assumiu o poder do nosso Brasil”, reforçou.

Júlio César Filho é pré-candidato do Cidadania na disputa de Maracanaú no Ceará

‘Minha gestão será pautada na inovação e na eficiência da gestão pública’, diz o deputado estadual (Foto: Reprodução)

O deputado estadual do Ceará, Julio César Filho, do Cidadania, pretende disputar a Prefeitura da cidade cearense de Maracanaú nas eleições municipais de outubro. O parlamentar destacou que pretende expandir o trabalho desenvolvido em prol do município focando nas principais demandas da população: saúde, emprego, segurança pública, educação e saneamento básico.

Perfil

Em 2019, Júlio César Filho assumiu a função de líder do governo Camilo Santana (PT) na Assembleia Legislativa após ocupar o cargo de vice-líder dos governos Cid Gomes e Camilo Santana. Em seu terceiro mandato, o parlamentar já atuou como Ouvidor na Casa, presidente da Comissão de Juventude e da Comissão de Orçamento Finanças e Tributação, além de ser Coordenador do Projeto Atlas de Divisas Georreferenciadas dos Municípios Cearenses, encarregado de solucionar divergências nos limites intermunicipais no estado. 

Entrevista

Por que disputar a prefeitura do seu município? 

Como parlamentar e líder do governo Camilo Santana na Assembleia Legislativa, temos conquistado importantes vitórias para a população de Maracanaú. Intermediamos junto ao governador Camilo Santana demandas apresentadas pelos maracanuenses. Conseguimos a construção da Praça Mais Infância, importante equipamento de promoção de uma infância saudável e espaço de convivência e lazer da população.

O governador Camilo Santana inaugurou ainda uma areninha que atende crianças e adolescentes no bairro Jatobá.  Também investiu pesadamente na área da segurança pública, com a instalação do Batalhão do Raio e do Núcleo de Investigação de Homicídios. Dentre diversos outros investimentos, o município será beneficiado com uma importante obra de melhorias no sistema de abastecimento de água e de esgotamento sanitário, no montante de quase R$100 milhões. Temos a certeza de que à frente da prefeitura de Maracanaú podemos fazer muito mais pelo município.  

Na sua opinião, quais são os principais problemas no município? 

Acredito que, entre as principais carências de Maracanaú, está a necessidade da prefeitura construir mais creches. O nosso município ainda tem bairros carentes que precisam de ações básicas, como pavimentação nas ruas e espaços de lazer. O serviço de Saúde também é precário em Maracanaú.  

Caso eleito, como será pautada a sua gestão? 

Minha gestão será pautada na inovação e na eficiência da gestão pública. Queremos transformar  Maracanaú em uma Cidade Tecnológica e assim facilitar a vida do cidadão. Focaremos em ações de geração de emprego e renda em nosso município.  

Como o Cidadania poderá contribuir na sua gestão? 

O escopo político ideológico do Cidadania é pautar uma gestão pública transparente, participativa e eficiente. Dentro desse entendimento, o partido poderá ser muito útil, principalmente por termos grandes referências em todo Brasil. Eleito, colocarei tudo isso como prioridade da minha gestão.

Márcia Teston se lança pré-candidata pelo Cidadania para a disputa em Santa Maria (RS)

‘Santa Maria é uma cidade atenta ao olhar da população e tenho experiência como gestora’, diz a professora (Foto: Reprodução)

A professora e ex-secretária municipal adjunta de Cultura de Santa Maria (RS), Márcia Teston, pretende disputar a Prefeitura da cidade gaúcha pelo Cidadania em 2020. Márcia Teston defende um olhar diferenciado para a gestão pública focando nas potencialidades da cidade, com enfoque na cultura, arte e turismo.

Para ela, o desenvolvimento dessas áreas permitirão o pleno desenvolvimento da cidade para melhorar a saúde, educação e segurança pública. Além disso, ela entende necessário a realização de gestão compartilhada atenta às demandas da população.

Márcia Teston ainda destacou as qualidades do Cidadania que tem buscado focar o futuro e garantir a liberdade de seus filiados e candidatos.

Perfil

Márcia Erichsen Teston é natural de Porto Alegre. Casada com Luiz Fernando Baltar. Têm dois filhos, dois netos. Professora estadual e universitária. Formação em Magistério, Língua Portuguesa, Literatura e Música. Pós Graduação em Língua Portuguesa, Folclore e Tradição. Mestrado em Gestão Educacional. Coordenadora do Centro de Letras do IESAU, banca de Redação UFSM. Presidente da AILA (Academia Iraiense de Letras e Artes), Membro Efetivo da Academia Internacional ALPAS 21. Diretora de Escola por duas gestões, Coordenadora Regional de Educação 8ª CRE, Secretária Adj da Cultura, Esporte e Lazer de Santa Maria, Diretora Cultural da SABB (Sociedade Amigos do “Boi de Botas” Memorial Mallet), Diretora do Departamento Cultural da 13ª Região Tradicionalista, Coordenadora da Biblioteca Pública de Santa Maria, Patroa do Piquete TERRA. Escritora do Natal Gaúcho Solidário e livros de poesia, crônicas, documentários e infantil (bilíngue). Compôs Hino da Escola Medianeira e Irmão José Otão. Participação em Coletâneas, Jornais Literários e Regionais. Atuante nas áreas de Gestão, Motivacional, Educacional, Artística, Folclórica e Tradicionalista. Homenageada com Destaque Municipal como Professora e Mulher Empreendedora, Medalhas e Moções de Reconhecimento Civis e Militares, destacando-se Título de Embaixadora da Solidariedade, a Comenda da Ordem do “Boi de Botas”, a Comenda de Insigne Colaboradora do Exército Brasileiro, o Troféu Roda Brasil Toque de Letras e Artes, Destaque Comenda Educacional e Cultural da ASAMCO e a Comenda Personalidade Cultural 2019 RS ALPAS 21.

Entrevista

Por que disputar a prefeitura do seu município? 

Eu vejo que a força da mulher está muito reconhecida. Acredito na competência e sensibilidade da mulher. Santa Maria é uma cidade atenta ao olhar da população e tenho experiência como gestora. Sem gestão não chegamos em lugar algum. Gosto do desafio da política séria e bonita.

Na sua opinião, quais são os principais problemas no município? 

O primeiro problema de Santa Maria que eu vejo é a falta de atenção no sentido de promoção da vida, um olhar mais voltado para o cidadão. Falamos de segurança e educação, mas isso já é obrigação do gestor. A localização geografia de Santa Maria precisa de um outro olhar. Se tivermos renda com cultura , arte e turismo, a saúde e educação vão andar. Vejo a cidade com um olhar mais amplo e carinhoso. Santa Maria é uma terra que tem muito e é pouco explorada. Creio que se unirmos os diversos segmentos, Santa Maria seria um polo muito diferente.

Caso eleita, como será pautada a sua gestão? 

Uma das minhas características é falou cumpriu. Missão dada, missão cumprida. Quero me pautar conversando com as pessoa, olhando de perto, visitando e conhecendo a necessidade das pessoas. A partir daí termos um foco na saúde, educação e turismo. Temos uma cidade universitária que é preciso ser explorada. Podemos fazer muitos convênios e projetos em conjunto. Nós temos que trabalhar nesse sentido.

Como o Cidadania poderá contribuir na sua gestão? 

Pode contribuir muito. Chego agora no Cidadania e gostei muito das filosofias e ideias. Conheci o partido por meio da Any [Ortiz, deputado estadual do Cidadania]. Uma pessoa, além de carismática, competente. Vemos o resultado do trabalho dela. Enxergo o Cidadania nem como um partido de direita ou esquerda. É bom partido que quer ir para frente e preocupado com as pessoas. O Cidadania nos dá essa possibilidade de ser livre e olhar para a frente.

Multiplicadores do País conhecem detalhes da Jornada da Cidadania

Realizado pela FAP, curso de formação política tem time de mobilizadores de 26 Estados e DF; inscrições até 29 de janeiro (Foto: FAP/Reprodução)

O coordenador-geral da Jornada da Cidadania e professor de direito, Marco Aurélio Marrafon, apresentou, neste domingo (19), os detalhes do curso de formação política a 64 multiplicadores dos 26 Estados e Distrito Federal que vão reforçar a divulgação, a interação e o engajamento com o público interessado. O curso é realizado pela FAP (Fundação Astrojildo Pereira), vinculada ao Cidadania, e será totalmente gratuito e online. As inscrições (faça aqui) seguem até o dia 29 de janeiro e o início das aulas está previsto para fevereiro.

A apresentação teve transmissão ao vivo pelo site e pela página da FAP no Facebook. Estiveram presentes no evento o diretor-geral da fundação, jornalista Luiz Carlos Azedo; o diretor-financeiro da entidade, Ciro Gondim Leichsenring; e o professor de ciência política e conselheiro da FAP Hamilton Garcia.

O coordenador-geral da Jornada da Cidadania explicou que o curso é uma alternativa à população, diante de “tempos sombrios, ignorância e radicalismo no país”. Segundo ele, o objetivo do curso é formar e capacitar filiados e cidadãos em geral acerca de conteúdos relevantes à política, com foco em diretrizes programáticas e posicionamento ideológico.

Entre as finalidades da Jornada da Cidadania, de acordo com o professor de direito, também está a oferta de conhecimento para que os alunos desenvolvam pensamento crítico, questionem e participem construtivamente do debate público, seguindo uma das principais diretrizes da FAP. Toda essa formação resultará, ainda, na preparação de candidatos para as eleições de 2020.

O curso terá 36 horas, planejadas para serem distribuídas por 14 semanas. Na plataforma de educação a distância e interativa, os inscritos terão acesso, por meio de login e senha, a 14 videoaulas de 15 minutos cada uma e a 42 pílulas de conteúdo de três minutos cada.

Além disso, os inscritos também terão acesso a estudos dirigidos, por meio de capítulos de livros, artigos e outros formatos de textos disponibilizados na plataforma digital. Conteúdos multimídia, como vídeos, filmes, tedX e podcasts, também serão oferecidos aos alunos durante o curso online. (Cleomar Almeida/Assessor de Comunicação da FAP)

Veja, abaixo, mais detalhes da Jornada da Cidadania

Pilares

  1. Ética e integridade na ação política;
  2. Estratégia e liderança;
  3. Fundamentos de teoria política e democracia;
  4. Comunicação eficaz;
  5. Casos de sucesso.

Conteúdo programático | Aulas raízes (15 minutos cada uma)

  1. Política pra quê?
  2. As Democracia estão em risco?
  3. Comunicação política eficaz
  4. A política como vocação
  5. Liderança e estratégias de mobilização
  6. Liberalismo
  7. Socialismo/comunismo
  8. Liberalismo progressista
  9. Estado de Direito versus Ciberpopulismo
  10. Defesa de causas e construção de narrativas
  11. Ética e integridade
  12. Políticas públicas e planejamento no poder público
  13. Conformidade e regras eleitorais
  14. O futuro eleitoral da política e dos partidos na era digital

Aulas pílulas (3 minutos cada uma)

  1. O que é democracia?
  2. Ser ético: seu chefe te pediu algo errado? Caso Calero
  3. Importância da página de internet
  4. Case robôs
  5. O que é emenda parlamentar?
  6. Perfil do líder
  7. O que parlamentar pode fazer para melhorar a vida do cidadão na prática?
  8. O que é Constituição?
  9. Análise sobre Olavo de Carvalho
  10. Redes sociais não bastam para defender uma causa social
  11. Por que entrar para a política e a importância da construção partidária
  12. Como usar o Youtube
  13. Atribuições e competências dos três poderes
  14. Ser ético 2: Como lidar com fake News?
  15. Fiscalização e controle social
  16. Cargos públicos e corte de privilégios
  17. Como mobilizar pelo Facebook?
  18. Estratégia: O que é?
  19. Case eleições
  20. Como usar o Whatsapp?
  21. O que fazer para ter credibilidade na política?
  22. Como usar o Instagram?
  23. Ser ético 3: E o caixa 2?
  24. Como contar uma história?
  25. O que é e o que faz uma frente parlamentar?
  26. Origem da crise democrática norte-americana
  27. Liderança positiva
  28. Twitter
  29. O que é pacto federativo?
  30. Meio ambiente e sustentabilidade na política
  31. Como fiscalizar a prefeitura da minha cidade?
  32. Política pública: O que é?
  33. Pesquisa para defesa de uma causa
  34. Importância do monitoramento das redes pela prefeitura
  35. Ser ético 4: Proteção da intimidade e a vida privada
  36. Engajamento e valorização voluntários
  37. Dicas para mobilizar melhor
  38. Papel de um bom vereador
  39. Gestão de voluntários

#Suprapartidário: De volta para o futuro com o #Cidadania23

A imprensa vem destacando (merecidamente, aliás) a abertura do #Cidadania23 para os movimentos cívicos – enquanto outros partidos à esquerda e à direita, como o PDT e o NOVO, por outro lado, decidiram vedar expressamente essa aproximação.

Justiça seja feita, ainda que desperte só agora a atenção do grande público, não chega a ser novidade a busca dessa nova formatação política que surge do diálogo do ex-PPS com jovens lideranças de organizações como o Agora!, o Livres, o Acredito, a RAPS e o RenovaBR, entre outros.

Muito antes das manifestações de 2013, às quais se atribui grande parte da inspiração para essas mudanças cobradas pela sociedade dos agentes políticos e que estão transformando de modo irreversível os nossos partidos e as próprias instituições democráticas, o então PPS já sinalizava para a necessidade deste “aggiornamento” (ou uma atualização disruptiva do sistema).

Há 10 anos surgia, por exemplo, o conceito da #REDE23, iniciativa do Blog do PPS que seria incorporada oficialmente pelo partido no seu Congresso de 2011. E que dizia basicamente o seguinte:

“Na democracia contemporânea os partidos não se bastam. Dependem, para fazer política, do estabelecimento e manutenção de redes de relações com movimentos, instituições, grupos na internet e até com personalidades influentes nos temas que trabalham. 

O partido não pode manter mais a posição de vanguarda da época da circulação restrita da informação e deve assumir a postura de interlocutor dos movimentos, co-formulador de suas reivindicações à luz de suas diretrizes mais gerais e seu tradutor na linguagem das leis e das políticas públicas. 

Para tanto, surge a #REDE23, um movimento de discussão e mobilização em torno de objetivos comuns, que abrange outras siglas partidárias, entidades, organizações, sindicatos, associações, cidadãos interessados e grupos organizados na internet. 

Os conceitos de #REDE e da #NovaPolítica não são exclusividade de uma só legenda, uma única liderança ou um grupo restrito. É uma iniciativa que reúne gente de bem, de dentro e de fora dos partidos!”

Faz todo o sentido, portanto, quando o veteraníssimo presidente nacional do Cidadania, o ex-senador e ex-deputado federal Roberto Freire, afirma que não há de se falar em “velha” ou “nova” política, mas sim de “boa” ou “má”.

Afinal, é justamente este partido, o #Cidadania23 (com a sua origem quase centenária, como herdeiro do PCB, fundado em 1922, e refundado como PPS, em 1992), que se mostra mais aberto e disposto para formatar esse novo jeito de ver e fazer política.

Diga-se de passagem, outras inovações recentes, como os atuais mandatos coletivos e até mesmo as campanhas com custo reduzido, através da divulgação espontânea pelas redes sociais, também foram propostas apresentadas pelo PPS há mais de doze anos.

Veja que na campanha para as eleições municipais de 2008, essas ideias já estavam todas reunidas no projeto do “vereador virtual“, que chegou a ser encampado formalmente pelo então candidato a vereador do PPS Heraldo Correa (foto).

Ou seja, ainda na era pré-Facebook, pré-WhatsApp e mais de dez anos antes de se tornar realidade, com as deputadas e deputados que foram eleitos em 2018 pelo conceito das candidaturas coletivas e das bancadas ativistas, o PPS já vislumbrava o que viria pela frente.

É ou não é uma política diferenciada e voltada para o futuro? Pois então, parabéns aos envolvidos e sucesso ao #Cidadania23.

VEJA TAMBÉM


#Cidadania23: Um partido pra chamar de meu!

O que é o #Suprapartidário

PPS formaliza convite para que movimentos cívicos ajudem a construir uma nova formatação partidária

Ser de esquerda ou de direita, sem vergonha!

Cidadania, sustentabilidade e democracia

Um novo nome para um novo ser e um fazer diferente

É hora de tirar a bunda da cadeira, levantar do berço esplêndido e fazer a diferença na política

O Brasil nas mãos do meme que virou presidente

A política vive dias sombrios. Triste Brasil.

De 2013 a 2018: Qual foi o nosso aprendizado?

Acredito. Renova Brasil, Agora!Afinal, Luciano Huck vai ser candidato? O que dizem os movimentos ligados ao apresentador?
Conheça a RAPS, a Rede de Ação Política pela Sustentabilidade

Tem #ProgramaDiferente na #ViradaPolítica

Época destaca cursos de formação política do Cidadania

O blog de Guilherme Amado, na revista Época, destaca em nota (veja abaixo) os cursos de formação política do Cidadania.

Guilherme Amado – Revista Época

PARTIDO MAIS COTADO PARA FILIAR HUCK TREINA CANDIDATOS MUNICIPAIS

Aulas presenciais começarão em fevereiro

O Cidadania, o partido que deve abrigar Luciano Huck na disputa pela Presidência em 2022, prepara um curso para seus candidatos a prefeitos e vereadores.

Em fevereiro começarão as primeiras aulas presenciais.

Desde a eleição de 2018, a sigla ganhou forte participação de egressos de movimentos de renovação política que promovem cursos de formação como esse, a exemplo de Livres, Agora!, Acredito e RenovaBR — o movimento de que Huck é parte. (Por Eduardo Barretto)

Fonte: https://epoca.globo.com/guilherme-amado/partido-mais-cotado-para-filiar-huck-treina-candidatos-municipais-24184496

Eleição 2020 – Executiva do Cidadania define calendário de convenções dia 4 de fevereiro

O presidente do Cidadania, Roberto Freire, divulgou ofício de convocação de reunião (veja aqui o documento) da Comissão Executiva Nacional para dia 4 de fevereiro, das 10h às 14h, na sede do partido, em Brasília (Pátio Brasil, salas 826/828).

Na pauta do encontro estão a definição do calendário congressos partidários, das Comissões Nacional Eleitoral, do Fundo Eleitoral e o núcleo das redes para as eleições.

FAP define empresa que vai criar plataforma online do curso Jornada da Cidadania

Lisata Tecnologia venceu edital de cotação de preços; inscrições seguem abertas

A FAP (Fundação Astrojildo Pereira), vinculada ao Cidadania, divulgou na última sexta-feira (10) que a Lisata Tecnologia venceu a concorrência para fornecimento de plataforma digital de gestão do curso de formação política Jornada da Cidadania (veja abaixo), que será oferecido ao público em formato de educação a distância. No total, cinco empresas participaram da concorrência em edital de cotação de preços, apresentando documentação de habilitação e propostas. Inscrições continuam abertas no site do curso.

A plataforma da Jornada da Cidadania deverá estar plenamente adequada à LGPDP (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais) e deve ser acessível por meio de um navegador web padrão (Microsoft Internet Explorer/Edge, Opera, Mozila Firefox e Google Chrome). O serviço de hospedagem da solução terceirizada deverá garantir a eficiência de conectividade necessária ao ambiente LMS com, no mínimo, 98% de disponibilidade da solução em pleno funcionamento, mantendo um canal de suporte 24/7 para os usuários do sistema, em caso de indisponibilidade da solução.

Ao se reunir na sede da entidade nesta sexta-feira para a abertura dos envelopes, a Comissão de Cotação de Preços da FAP analisou as propostas apresentadas pelas empresas Afferolab, JMV Technology, Didaxis, RG Organic e Lisata. Os representantes dessas duas últimas empresas foram os únicos a comparecerem na reunião.

No entanto, de acordo com a comissão, somente a Lisata atendeu a todos os requisitos técnicos definidos no edital. O valor é de R$ 20 mil. O sócio-diretor da empresa, Daniel Philip de Moura, disse que a plataforma será entregue com “total excelência e em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados”.

Jornada da Cidadania

O curso de formação política, que deverá ter duração de três meses, foi aprovado em reunião do Conselho Curador da FAP no dia 22 de novembro de 2019 (inscrições até 15 de janeiro aqui). O início das aulas está previsto para o dia 23 de janeiro, sob a coordenação do professor Marco Aurélio Marrafon. Ele é mestre em Direito do Estado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), com estudos doutorais (sanduíche) na Università degli Studi di ROMA TRE – Itália. A coordenação do curso também é composta pelos diretores da FAP Ciro Gondim Leichsenring e Caetano Araújo.

“A proposta busca que a fundação vá além dos muros partidários”, disse Marrafon.

“A fundação desempenha um importante papel. Entendemos que o público-alvo merece receber formação fundamental para que possa fazer escolhas democráticas”, afirmou ele.

As inscrições devem ser abertas em breve e seguir até o dia 15 de janeiro, em uma página específica da Jornada da Cidadania na internet. A previsão inicial para o início das aulas é o dia 23 de janeiro. O curso terá 36 horas, ao longo de três meses. (Cleomar Almeida, assessor de comunicação da FAP)