Vitória (ES) é escolhida para sediar escritório de empresa americana de startup

Cidade governada pelo prefeito Luciano Rezende, do Cidadania, vai abrigar a empresa Lumahealth, startup americana do ramo de saúde do Vale do Silício (Foto: Reprodução)

Qualidade de vida, segurança, profissionais qualificados, cidade compacta e inteligente, além do excelente ambiente de negócios. Todos esses fatores foram decisivos para que a empresa Lumahealth, startup do ramo de saúde do Vale do Silício, na Califórnia (EUA) escolhesse Vitória (ES), cidade governada pelo prefeito Luciano Rezende (Cidadania) como sede para expansão de negócios no Brasil.

Segundo o diretor de engenharia da Lumahealth, Marcelo Oliveira, desde março do ano passado a empresa percorreu diversas cidades do País como São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Rio Grande do Sul, Belo Horizonte, Recife, entre outras, mas encontrou em Vitória todos os requisitos buscados e valorizados pela cultura da empresa. A empresa abriu escritório na Enseada do Suá em junho de 2019 e atualmente conta com 25 funcionários, entre engenheiros de software e profissionais de suporte.

“Visitamos vários Estados e quando estivemos em Vitória ficou evidente que a cidade era a que apresentava o cenário ideal para nossa expansão no Brasil. A excelente qualidade de vida, a proximidade com o aeroporto e a facilidade de mobilidade urbana, além do polo tecnológico do Ifes e da Ufes, com estudantes e profissionais da área de tecnologia e inovação altamente qualificados, foram atrativos que pesaram muito para a escolha da cidade”, revelou.

Segundo Oliveira, o próximo passo será a busca por parceiros para a implementação do projeto piloto do serviço que já é realizado nos EUA há cinco anos, que é conectar pacientes a médicos de maneira mais dinâmica e melhorar a qualidade e eficiência no atendimento. Ele explica que ao longo desses anos, o aprimoramento do software da Luna possibilitou um acompanhamento completo da jornada do paciente, desde o agendamento até a conclusão do tratamento.

“No momento estamos em fase de captação de parceiros. Iniciamos o contato com alguns hospitais e clínicas médicas de Vitória e muitos têm demonstrado interesse em participar desse projeto piloto no país. O serviço é um sucesso nos EUA e já ajudou a conectar mais de 9 milhões de pessoas, sendo responsável pelo agendamento de 120 mil consultas diárias e por contribuir para encurtar o caminho entre o médico e o paciente”, explica.

Ambiente empreendedor

O direitor-presidente da CDV (Companhia de Desenvolvimento, Inovação e Turismo de Vitória), Leonardo Krohling, destaca que o ambiente empreendedor, somado à qualidade de vida que as pessoas podem ao morar na capital, tem chamado a atenção de investidores do Brasil e do mundo.

“Estamos muito satisfeitos por Vitória ter sido escolhida para sediar o escritório de uma empresa internacional que planeja sua expansão no Brasil, entre tantas outras cidades visitadas. A capital está se tornando um polo de inovação de destaque no país, com uma mão de obra altamente qualificada e que precisamos continuar desenvolvendo. Temos escolas para isso, como o Ifes, e as políticas da Prefeitura de Vitória de incentivo aos empreendedores e à inovação, além do oferecimento de incentivos fiscais de ISS para algumas regiões”, disse. (Assessoria Prefeitura de Vitória)

Encontro do Cidadania-ES debate eleições e lança 33 pré-candidaturas a prefeito no estado

Reunião lotou o plenário da Assembleia Legislativa na capital capixaba (Foto: Cidadania-ES)

Lideranças de todo o Espírito Santo participaram, neste sábado (07), do Encontro Estadual do Cidadania capixaba. O evento lotou o plenário e a galeria da Assembleia Legislativa.

Em pauta, foram discutidos os rumos das Eleições 2020, lançadas 33 pré-candidaturas para prefeito no estado, inscritos novos filiados e também apresentadas informações sobre a nova legislação eleitoral para o próximo ano. Durante o evento também foi prestada homenagem ao presidente de honra do Cidadania Nacional, Antonio Ribeiro Granja, falecido este ano aos 106 anos de idade.

O prefeito Luciano Rezende (Cidadania) destacou em seu discurso que o mandato público é uma arena de batalha e conflito de interesses, além de passar por grande pressão. Por isso, salientou, “é necessário que o político esteja muito bem preparado para tomar decisões em alta velocidade”.

Prefeito Luciano Rezende (esq.) e o deputado estadual Fabrício Gandini (Foto: Cidadania-ES)

“O deputado estadual Fabrício Gandini já demonstrou a sua capacidade e está preparado para liderar e governar a cidade de Vitória. Ele está amadurecido. Nós temos que acreditar que quem define eleição é Deus e a população. E nós temos que apontar para a cidade o que é melhor para ela. Temos que defender Vitória e os Espirito Santo de qualquer ameaça. Aposto que Gandini terá condição de cuidar da nossa cidade com muito carinho” disse o prefeito de Vitória.

O presidente do Cidadania-ES, deputado estadual Fabrício Gandini, afirmou estar consciente do seu papel, principalmente neste momento em que o estado está vivendo. Ele comentou sobre a situação de retrocesso ocorrida nos últimos dias na Assembleia Legislativa do Espírito Santo, quando foram promovidas novas eleições de forma surpresa, com mais de 400 dias de antecedência, e sem tempo suficiente para formação de outras chapas concorrentes, violando o princípio de razoabilidade.

“A renúncia da Mesa Diretora reeleita foi uma vitória parcial. Não podemos relaxar. A sociedade tem que ficar de olho no que ocorreu por aqui e se manifestar. Não podemos parar de acompanhar esse processo, pois a ameaça está em vigor. Por isso, nesta segunda vamos protocolar uma Ação Direta de Inconstitucionalidade”, afirmou Gandini.

Ele ressaltou que tomar a decisão de ir para o enfrentamento tem seus custos, mas ele tem a consciência de que fez o que era o correto.

Representatividade

Além do prefeito de Vitória Luciano Rezende, o encontro do Cidadania teve as presenças do deputado federal Josias da Vitória, de vereadores, lideranças da Grande Vitória e do interior capixaba. Representantes dos partidos PSC, Avante, Podemos, PV, PTB, PDT e PSB também participaram da reunião.

“Para o Brasil avançar temos que sempre nos colocar ao lado de homens e mulheres de bem que querem prestar seu tempo para melhorar o país, os municípios. Por isso, o Cidadania tem aberto espaço para as pessoas de bem, para participar da política. A administração do prefeito Luciano Rezende em Vitória é uma referência. O partido mostra que sabe administrar uma cidade e isso serve de inspiração para todos nossos pré-cadidatos. E se tem alguém que passei a admirar e respeitar pelas posições claras é o nosso presidente regional e nosso futuro prefeito de Vitória, deputado Fabrício Gandini. Tenho muita felicidade e fazer parte da família do Cidadania. Eu sou uma pessoa otimista. No Congresso o Cidadania tem feito a diferença. Nesta semana, o Cidadania se posicionou muito claramente contra o aumento no Fundo Eleitoral. Somos contra. São posições como essas que estão fazendo a diferença. Nosso partido é coerente e está ao lado da sociedade”, disse o deputado da Vitória.

“O Gandini conhece a cidade, está preparado, é um projeto experiente e uma cidade exigente, então ele tem o perfil de Vitória, que é uma cidade que não pode brincar com as questões fiscais. O PSC está fechado com o Cidadania, pois o partido tem bandeiras que o PSC trabalha”, disse Wanderson Marinho, presidente do PSC.

Lúcio Hemerly, presidente municipal do PV de Vitória, também manifestou o apoio de seu partido à candidatura de Gandini.

“Já tivemos uma reunião interna e decidimos que vamos caminhar junto com o Cidadania, pela postura do Gandini, pela administração do atual prefeito Luciano Resende, voltada para as pessoas mais carentes, tem feito muito pela área de Educação”, afirmou.

“A gente já conhece a história do Gandini, ele foi um modelo de gestor na Câmara, tem feito um grande trabalho como deputado estadual, é um cara novo, diferente, conheci de perto seu trabalho e creio que é um nome que irá ajudar no desenvolvimento da cidade”, completou.

Alex Santos, presidente municipal do Avante de Vitória, declarou porque o Cidadania terá seu apoio.

“É uma gestão que já vem dando certo há sete anos em Vitória e queremos continuar com esse desenvolvimento da cidade”, afirmou.

Também discursaram os representantes do PSB (Alberto Farias Gavini Filho), PDT (Weverson Meirelles) e PTB (Anderson Goggi), que declararam apoio ao Cidadania.

Veja abaixo a lista de pré-candidatos a prefeito do Cidadania no Espírito Santo.

Afonso Cláudio – Manoel Paulistão
Alegre – Rodrigo Vargas
Águia Branca – Jailson Quiuque
Aracruz – Doutor Coutinho
Atílio Vivacqua – Sargento Siqueira
Barra de São Francisco – Marcelo Firmino
Conceição da Barra – Manoel Pé de Boi
Divino São Lourenço – Tuquinha
Domingos Martins – Julio Christ
Governador Lindemberg – Leonardo Finco
Guaçuí – Paulinho do Vitalino
Ibiraçu – Vertinho Tonon
Ibitirama – Vice-prefeito Hishan
Iconha – Fernando Trevisani
Irupi – Cleides Segal
Itaguaçu – Átila
Jaguaré – Marcos Guerra
Jerônimo Monteiro – Renato Lima
João Neiva – Laércio Campostrini
Laranja da Terra – Judázio Seibel
Marilândia – Gutin
Montanha – Professor André
Nova Venécia – Antônio Emílio
Piúma – Tenente Paulo Cola
Ponto Belo – Rose
Presidente Kennedy – Daniel Gomes
Rio Bananal – Vilson Teixeira Gonçalves
Santa Leopoldina – Fernando Rocha
São Domingos do Norte – Merinha Comper
São Gabriel da Palha – Professora Céia
Vargem Alta – Flávio Altoé
Vila Velha – Ricardo Chiabai
Vitória – Fabrício Gandini

“Dossiê 2020”: Luciano Rezende no #Suprapartidário

Site entrevista o atual prefeito de Vitória (ES), Luciano Rezende, do Cidadania, que faz da “gestão compartilhada” a marca de seu governo (Foto: Reprodução/PMV)

O #Suprapartidário dá continuidade a uma série de entrevistas sobre o atual momento do Brasil e as perspectivas para 2020.

Reunimos personalidades da política e da sociedade, dos mais variados partidos e das mais diversas tendências, para responder a uma sequência idêntica de cinco perguntas.

O #Dossiê2020 já apresentou entrevistas com Eduardo Jorge, Soninha Francine e Gilberto Natalini. Hoje é a vez do prefeito de Vitória, a capital do Espírito Santo, Luciano Rezende.

Nascido em Cachoeiro de Itapemirim, município famoso por ser a terra natal do cantor Roberto Carlos, o prefeito capixaba Luciano Santos Rezende está no seu segundo mandato (portanto, já reeleito uma vez, não pode ser candidato novamente nas eleições de 2020).

Filho de uma professora de escola pública e de um sapateiro, foi atleta campeão brasileiro e sul-americano de Remo e é médico formado pela Universidade Federal do Espírito Santo com Pós-graduação em Medicina Esportiva na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Em Vitória, atuou como médico da Prefeitura. Foi vereador por quatro mandatos (1995 a 2008), secretário municipal de Educação e de Saúde, secretário estadual de Esporte e Lazer e deputado estadual (2010 a 2012). Foi eleito prefeito de Vitória em 2012 e reeleito em 2016 pelo PPS (que desde março deste ano se tornou o #Cidadania23).

Faz da “gestão compartilhada” a marca da sua administração transformadora e reconhecida nacionalmente. A Educação e a Saúde de Vitória, por exemplo, foram eleitas as melhores do país no Ranking Cidades Inteligentes, pela Revista Exame/Urban System. Ainda no mesmo ranking, Vitória conquistou o primeiro lugar geral entre cidades até 500 mil habitantes na categoria Cidade Inteligente e Humana.

Já o Instituto Ethos, de São Paulo, elegeu sua gestão como a mais transparente entre as capitais do Brasil. A Folha de São Paulo divulgou o Ranking de Eficiência dos Municípios, onde Vitória também ficou em primeiro lugar entre as prefeituras que entregam mais Saúde, Educação e Saneamento com menos recursos.

Entre outras conquistas, Vitória se tornou uma das capitais mais seguras do país. A cidade registrou queda expressiva nos números de homicídios e ocorrências envolvendo uso e tráfico de drogas. O Cerco Inteligente de Segurança da Prefeitura de Vitória, que é a identificação de veículos por meio de câmeras, foi premiado como iniciativa inovadora para modernizar as cidades no Smart City Business Brazil Congress & Expo 2019, um dos principais eventos de negócios para cidades inteligentes.

O prefeito Luciano Rezende destaca que tem buscado mecanismos na área de tecnologia para prestar serviços e fazer com que Vitória tenha verdadeiramente uma gestão representativa e emblemática do século 21. “Além de horizontal e compartilhado, o governo precisa também ser RETO (Rápido, Eficiente, Transparente e Online)”, afirma.

“Assim, uma cidade inteligente faz mais com menos, faz melhor, faz para quem mais precisa e se torna uma cidade mais justa, mais humana e mais feliz. Atualmente, oferecemos cada vez mais serviços online aos moradores e trabalhamos para que todos esses serviços estejam na palma da mão”.

Cerco Inteligente de Segurança, agendamento online das consultas médicas e para os Centros de Referência em Assistência Social (CRAS), avaliação da alimentação escolar e dos serviços de saúde, confirmação das consultas agendadas para otimizar a oferta de vagas (Confirma Vitória), Botão do Pânico e Procon Online, entre outros, são alguns dos serviços inovadores instituídos na sua gestão.

Que momento é esse que o Brasil vive? A democracia corre riscos? Como fazer política diante de tamanho descrédito da população nos partidos e nas instituições?

O Brasil vive um momento que acompanha uma tendência mundial de diminuição da solidariedade, aumento da intolerância, discursos de solução mágica pra situações complexas, populismo, nacionalismo, a estupidez na moda… Essa é uma tendência, como se vê, acontecendo no mundo inteiro.

Porém, a democracia brasileira tem, na minha opinião, instituições e massa crítica da sociedade que fazem com que ela possa sobreviver a esse momento difícil que a gente observa em vários países do mundo.

É muito importante que os agentes políticos entendam que a população precisa de resultados. Pouco importa se o gestor é de esquerda, de direita, de cima, de baixo, ou de banda, ela quer saber se os seus desafios do dia-a-dia estão sendo resolvidos.

Aqui em Vitória a gente desenvolve a tese do governo RETO (Rápido, Eficiente, Transparente e Online) pra que a gente possa atender as demandas da população e fazer com que a crença na política possa voltar a ficar forte diante de resultados melhores apresentados por quem faz gestão pública.

Como enfrentar a atual polarização nas urnas, nas redes e nas ruas? O que propor e como vencer o ódio, o preconceito, a intolerância e as fake news?

Bom! Primeiro, o que é errado agora, era errado antes e será errado depois. O preconceito, a intolerância, o ódio, devem ser enfrentados, não com mais ódio, mais intolerância, mais preconceito, mas com argumentação e com coragem pra poder enfrentar o senso comum, o caminho mais simples, o caminho mais fácil, que às vezes se coloca e às vezes é muito difícil defender o que é correto quando se tem uma massa irritada, frustrada, mas é preciso que a gente faça esse enfrentamento.

As fake news não são um fenômeno novo. Elas não surgiram com as redes sociais. Elas ganharam um novo formato com as redes sociais, mas a mentira, a desinformação, a distorção de fatos sempre existiram e o agente político tem que ter coerência, tem que ter nas suas atitudes conexão com o seu discurso e enfrentar, como eu falei, com a argumentação sólida essas situações que se colocam.

Que situação teremos nas eleições municipais de 2020? Que tipo de diálogo e de composição na política e na sociedade são necessários para garantirmos a eleição de alguém digno para a Prefeitura e para a Câmara Municipal? Existe uma receita?

As eleições de 2020 são eleições municipais. O foco será no poder local. Portanto, apresentar candidatos que possam dialogar com a comunidade, enfrentando os desafios daquela comunidade vai ser fundamental. Tentar nacionalizar o debate pode não dar em nada, porque o que o cidadão quer é escolher o seu prefeito, que é um síndico da sua comunidade – e também os vereadores.

Isso tem que ser levado em consideração para que a gente possa dialogar com a comunidade dentro da expectativa dela, e não fazer um debate nacional no momento em que a escolha é local. É lógico que as coisas têm relação, mas precisa ter o foco no poder local e nos desafios locais.

Sendo uma pessoa influente e exercendo incontestável liderança, seu nome sempre é lembrado como opção para as eleições. Qual o seu projeto e as suas expectativas para 2020 e para 2022?

Eu digo aqui em Vitória que eu sou candidato, nesse momento, somente a cuidar de Vitória, a continuar cuidando de Vitória com muito carinho. O meu desejo é que a cidade de Vitória escolha um prefeito responsável, honesto, capaz de liderar essa cidade.

Vou trabalhar muito pra enfrentar as ameaças que estão surgindo no horizonte da cidade, para que a gente possa deixá-la em boas mãos. E tenho a intenção de continuar sendo bem avaliado. A última pesquisa feita agora nas capitais pelo Instituto Paraná nos deu 63,7% de aprovação e a nossa intenção é aumentar essa aprovação, até pra poder ter mais credibilidade pra poder apoiar algum candidato na eleição de 2020.

Que legado você, particularmente, gostaria de deixar para as futuras gerações com a sua trajetória e história política?

O legado já está colocado. Vitória se modernizou e se transformou numa cidade inovadora, com gestão fiscal exemplar e responsável. Tivemos ações que mudaram a forma de prestar serviço público. A cidade está toda conectada e online, se tornou a cidade inteligente.

Os serviços da Prefeitura estão cada vez mais online, dispensando filas, sofrimento físico em repartições. A Prefeitura de Vitória facilitou a vida de quem empreende se tornando a melhor capital pra se empreender no país, segundo a revista Exame. Os fiscais em Vitória não recebem por multa aplicada, só recebem quando cooperam com o empreendedor. Isso é revolucionário e será um caminho que o Brasil todo vai ter que seguir.

A mobilidade na cidade foi toda modernizada. Nós demos prioridade ao transporte coletivo, às bicicletas, calçadas cidadãs, colocamos estacionamentos rotativos em toda a cidade pra acabar com a rua sendo privatizada por quem utilizava a rua como garagem… Enfim, e uma gestão fiscal séria, honesta, transparente, que marca a nossa gestão. É uma gestão que ficará marcada com uma gestão inovadora, séria, e que transformou a cidade de Vitória. Inclusive, colocou a cidade de Vitória como um dos pólos de destinos turísticos mais importantes do País.

Luciano Rezende: Cidade inteligente faz melhor, gasta menos e atende quem mais precisa

Prefeito de Vitória (ES) discute melhoria da qualidade de vida em seminário realizado pela FAP em parceria com o Cidadania, em Brasília (Foto: FAP)

“A gente defende e faz um governo reto, rápido, eficiente, transparente e online”, disse o prefeito de Vitória (ES), o médico Luciano Rezende (Cidadania), durante o seminário “Cidades Inteligentes: o uso da economia criativa e do turismo como ferramentas do desenvolvimento”. O evento é realizado, nesta sexta-feira (25), pela FAP (Fundação Astrojildo Pereira) e pelo partido, em Brasília, com a presença de possíveis pré-candidatos a prefeitos pela sigla.

Luciano participou da primeira mesa do seminário, que discutiu o tema cidades inteligentes. Nela, o prefeito citou exemplos de sucesso de sua gestão em Vitória. Ele apresentou uma série de ações que tem melhorado serviços públicos, como educação, saúde, segurança e mobilidade urbana.

“Ciclovias são construção permanente na cidade por causa da sua importância para se locomover”, citou ele.

Vitória tem 400 mil habitantes, mas, segundo Rezende, chega a receber até um milhão de pessoas durante a semana, devido à sua localização de destaque na região metropolitana. Segundo o prefeito, quase todo o município é coberto por internet grátis.

“Tudo que a gente faz consegue colocar online e atingir todo mundo. O governo analógico foi enterrado”, disse ele.

“Cidade inteligente usa qualquer mecanismo de tecnologia e inovação. Faz melhor, gasta menos e atende quem mais precisa. Não é só uma cidade que usa tecnologia e internet. Tem decisões inteligentes, por exemplo, que usam coisas muito simples”, destacou Luciano Rezende, chamando a atenção para se valorizar pessoas e ações focadas em soluções de problemas.

Capital humano

O prefeito de Novo Horizonte, a cerca de 400 quilômetros de São Paulo, Toshio Toyota, fez os contrapontos da mesa.

“Vejo que, se não investirmos nos nossos jovens, não vamos mudar o Brasil. O maior capital humano que temos é o ser humano”, disse ele, que está no quarto mandato, ressaltando casos de sucesso da cidade na área de educação.

De acordo com o prefeito, é essencial que a gestão pública foque em qualificação e comprometimento, valorização e capacitação de profissionais e que tenha, no caso da educação, envolvimento de pais e outros responsáveis. Na cidade, por exemplo, Toyota adotou horário de trabalho pedagógico coletivo, com infraestrutura adequada e equipe multidisciplinar.

“Com o mesmo recurso financeiro que a lei determina, os 25%, sem gastar nada além disso, é possível fazer uma educação de qualidade”, ressaltou.

“Deixo um legado na minha cidade de ter formado uma geração nova e com muito mais valor”, completou.

Gestão pública

Ex-diretor da FAP, Juarez Amorim, o Juca, sugeriu aos possíveis pré-candidatos que gestão pública não é complicada.

“Que a gente nunca pense que fazer gestão pública é algo extraordinário. Gestão tem que ter coisas simples, pequenos gestos, todos os dias. Queremos fazer revolução em métodos e práticas”, afirmou.

Ele disse, ainda, que os fiscais de trânsito não podem ser remunerados por multa, por meio de acréscimos nos subsídios.

“Essa questão fiscal pode ser aproveitada no Brasil inteiro”, disse ele, referindo-se a uma prática adotada em Vitória, onde os fiscais focar em orientação, e não exclusivamente em multa.

Economia criativa

Ex-deputada federal e diretora executiva FAP, Luzia Ferreira fez a mediação da mesa sobre cidades inteligentes.

“Cidades inteligentes são importantes para a economia criativa, que gera renda e emprega muitas pessoas. A chamada revolução industrial mostra seu esgotamento em função de novas tecnologias”, asseverou ela. (Assessoria FAP)

Vitória (ES) é melhor capital para investir em negócios no País

A capital capixaba só ficou atrás de São Caetano do Sul (SP), mas à frente de São Paulo (SP), em 3º lugar, e Porto Alegre (RS), em 6º (Foto: Joel Miranda)

Vitória (ES) é a capital brasileira mais bem avaliada e a segunda melhor cidade no País no ranking 2019 dos 100 melhores municípios com população superior a 100 mil habitantes para investir, empreender e negociar, conforme estudo elaborado para a revista Exame pela consultoria Urban Systems.

A capital capixaba só ficou atrás de São Caetano do Sul (SP), mas à frente de grandes metrópoles como São Paulo (SP), em 3º lugar, e Porto Alegre (RS), em 6º.

Vitória registrou crescimento nas seguintes áreas:

• No número de empregos formais (1,1%)

• Na renda média dos trabalhadores formais.

• No percentual de empregos ocupados por trabalhadores com ensino superior (de 35% para 38%).

• A cidade ainda apresenta destaques em infraestrutura, mobilidade e telecomunicação, com destaque para:

• 26% das conexões de Banda Larga possuem velocidade superior a 34 mb.

• Aumento das conexões interestaduais (rodoviária) e de destinos do aeroporto.

• Crescimento da frota de automóveis de 1,1%.

A capital governada pelo Cidadania ainda se destacou em outras duas categorias, ficando em 1º lugar em Capital Humano e em 6º em Desenvolvimento Econômico.

“Isso é fruto do trabalho que temos desenvolvido desde 2013”, diz Luciano Rezende

“Isso é fruto do trabalho que temos desenvolvido desde 2013 para criar um ambiente de negócios em Vitória e de facilitar a vida de quem gera emprego, trabalho e renda na cidade. Em 2018, estávamos em 1º lugar entre todas as cidades e capitais do Brasil e agora a gente aparece em 1º entre as capitais, atrás por décimos de São Caetano, que é uma cidade que tem um ambiente de negócios extremamente favorável. Nós temos várias medidas que estamos tomando e que vão manter Vitória sempre nessa posição. Nosso alvará é online, tem duração de 5 anos e é declaratório. Nossos fiscais não recebem produtividade por multa, eles recebem produtividade quando ajudam o empreendedor a se legalizar e cooperam. Isso é uma revolução na fiscalização, saindo o Estado punitivo e entrando o Estado colaborador. Nós liberamos 315 atividades de baixo impacto da necessidade do alvará”, comemorou o prefeito de Vitória, Luciano Rezende, do Cidadania23.

Ele ainda lembrou da vocação do Centro para a abertura de negócios. “O Centro de Vitória recebeu mais de 100 empresas em 2019 por causa da mudança do PDU, facilitando a ocupação dos imóveis. Não aumentamos impostos em Vitória desde 2013. A cidade tem feito o dever de casa. Por isso a capital aparece nessa posição na revista especializada em Economia mais importante da América Latina. Estamos recebendo número enorme de pedidos de abertura de empresas”.

Estudo

O estudo das “Melhores Cidades para Fazer Negócios” apresenta o resultado das melhores cidades onde se investir, considerando fatores socioedemográficos, econômicos, financeiros, de transporte, infraestrutura e serviços.

A pesquisa, que já está em sua sexta edição, traz ainda recorte dos municípios em quatro principais eixos, importantes para o desenvolvimento de negócios, com a junção de indicadores do estudo principal, acrescido de novos indicadores. Os eixos são: desenvolvimento econômico (maturidade e crescimento da cidade), capital humano (relativo a qualificação profissional e formação de mão de obra), desenvolvimento social (reflexo social do desenvolvimento da cidade) e infraestrutura (básica para o desenvolvimento de negócios). (Com informações da Prefeitura de Vitória)