Carmen avalia como “acertada” decisão do Brasil participar de consórcio de vacinas

“Com respeitabilidade na área de imunização, o país não poderia ficar fora do bloco multilateral” (Foto: Robson Gonçalves)

A deputada Carmen Zanotto (25), relatora da Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19, avaliou nesta sexta-feira (25)  como “acertada” a decisão do governo de oficializar  a participação do Brasil na aliança global coordenada pela  (Organização Mundial da Saúde) que  reúne fabricantes e mais de 150 países para garantir o desenvolvimento de vacinas contra o novo coronavírus.

“Foi uma decisão acertada. O Brasil, com toda sua história e respeitabilidade internacional na área de imunização, não poderia ficar de fora desse consórcio multilateral”, comemorou.

A adesão foi  sacramentada com o enviou ao Congresso da MP 1003/2020, que autoriza  participação no acordo multilateral. Também foi editada outra proposta (MP 1004/2020) que prevê a liberação de R$ 2,5 bilhões para financiar os custos do ingresso do Brasil no Covax Facility.

“Agora, cabe ao Congresso Nacional deliberar essas medidas que selam a nossa participação”, afirmou Zanotto.

Adesão garante acesso a nove vacinas em desenvolvimento contra a Covid-19.

Cidadania confirma candidatura de Carmen Zanotto à Prefeitura de Lages

Se eleita, a parlamentar será a primeira mulher a comandar o município. 

O Cidadania confirmou, por unanimidade, na noite desta quarta-feira (16) a candidatura da  deputada  de Carmen Zanotto à Prefeitura de Lages (SC). A parlamentar concorrerá as eleições em dobradinha com o Democratas, tendo o vereador Samuel Ramos como vice. 

O partido também homologou os nomes dos  14 pré-candidatos que concorrerão à  Câmara.Além do DEM, a  sigla conta com o apoio do  PDT, PSB,  PL e  PRTB.

A convenção aconteceu virtualmente, respeitando as orientações de prevenção e combate à Covid-19. O evento foi presidido pelo presidente do diretório municipal do Cidadania, Toni Duarte.

Em um discurso forte e emocionado, Carmen compartilhou sua trajetória na vida pública e conquistas. Declarou que se preparou a vida inteira para este desafio.

“Meu propósito é desenvolver a  cidade onde nasci. Venho para inovar, trazer novas oportunidades para a nossa cidade e para nossa gente, movimentar a economia local, colocando em prática  minha experiência adquirida nesses mais de 30 anos na vida pública”, ressaltou Carmen.

Toni Duarte encerrou a convenção enfatizando que “Carmen vem com o seu forte perfil, numa demonstração de desprendimento, coragem, amor por Lages e compromisso com as pessoas”.

Carmen beneficia provedor de família monoparental com duas cotas do auxílio emergencial

Apenas as mães solteiras têm direito ao pagamento em dobro do benefício (Foto: Robson Gonçalves)

A deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC) apresentou nesta semana emenda na MP 1000/20 que dá direito ao homem provedor de família monoparental de receber duas cotas do auxílio emergencial residual.

A medida provisória encaminhada pelo governo prorroga o beneficio até 31 de dezembro, mas corta à metade o valor de R$ 600, que foi aprovado pelo Congresso Nacional.

Hoje, apenas mães solteiras têm direito ao pagamento em dobro do benefício, criado para socorrer trabalhadores informais e desempregados durante a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

“O nosso objetivo é estender aos homens que são provedores de famílias monoparentais o mesmo direito que foi concedido às mulheres que estão na mesma condição”,afirmou Zanotto.

A Constituição Federal define família monoparental como aquela que é constituída por um dos pais e seus filhos.Tem origem na viuvez, quando da morte de um dos genitores, na separação ou no divórcio dos pais.

Adoção

Os pais adotivos solteiros também poderão ser beneficiados com a emenda apresentada Zanotto, já que o texto constitucional também ampara o vínculo monoparental entre adotantes e adotados.

Carmen defende aprovação do projeto que cria incentivos para indústria da saúde

“Esta proposta fortalece o nosso parque industrial voltado para atendimento das demandas da saúde. Esta pandemia do coronavírus expôs graves fragilidades”

A deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC) defendeu nesta quarta-feira (2), em reunião da Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19, a aprovação da proposta que cria a Estratégia Nacional de Saúde.O projeto (PL 2583/20) concede incentivos à indústria brasileira de equipamentos, insumos e materiais médico-hospitalares.

Em tramitação desde março deste ano, a iniciativa prevê o credenciamento pelo Ministério da Saúde de Empresas Estratégicas de Saúde (EES), que passarão a contar com regime tributário especial e a ter preferência em compras públicas.

“Precisamos priorizar a aprovação de textos que tenham um olhar para o futuro. Essa proposta fortalece o nosso parque industrial voltado para atendimento das demandas da saúde. Esta pandemia do coronavírus expôs graves fragilidades”, afirmou a relatora da comissão externa, ao defender também o fortalecimento da ciência e da pesquisa.

Na reunião, vários representantes do setor, inclusive da Consaúde da Fiesp ( Federação da Indústria de São Paulo), reclamaram da falta de incentivos ao setor.

Em seguida, Zanotto lembrou que o não planejamento agravou as dificuldades no combate à covid. “Sem a estratégia industrial, tivemos que enfrentar desabastecimento, por causa das compras internacionais que não foram entregues e do sobrepreço de respiradores, ventiladores, medicamentos e equipamentos”, lembrou.

O deputado Dr. Luiz Antonio Teixeira Jr. (PP-RJ), coordenador da comissão externa, é autor da proposta, que conta com o apoio de todos integrantes do colegiado.

Zanotto destacou ainda os esforços da indústria nacional que, mesmo passando pela crise econômica, tiveram de mudar a sua matriz de produção para atender à emergência da pandemia. “Mesmo sem incentivos, o setor atendeu ao chamado do Brasil”, acrescentou.

Vacinas

Apesar do subfinanciamento, deputada catarinense disse que a grande capilaridade do SUS coloca o Brasil em posição privilegiada no mundo.

“Temos o maior programa mundial de imunização, de vigilância sanitária e de distribuição de medicamentos. Isso explica por que os grandes laboratórios internacionais estão procurando o Brasil para a testagem de vacinas contra a covid”, argumentou Carmen Zanotto.

A telemedicina veio para ficar, diz Carmen ao destacar derrubada de vetos

Zanotto acredita que a consulta virtual poss preencher vazios assistenciais, inclusive nos lugares mais distantes país

Congresso Nacional derrubou nesta quarta-feira (12), em sessão virtual, os vetos presidenciais a dois itens do projeto de lei que libera o uso da telemedicina durante a pandemia de coronavírus.

A proposta (PL 696/2020) foi construída por vários parlamentares na Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19. Para a coautora da iniciativa, deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC), a telemedicina não será usada apenas no período de pandemia.

“A telemedicina veio para ficar no Brasil. Essa tecnologia será uma contribuição importante para que a população tenha acesso ao atendimento médico, principalmente nos casos de urgência e que exigem acompanhamento contínuo”, afirmou.

Além de desafogar os hospitais e postos de saúde, Zanotto avalia que a consulta virtual poderá preencher os vazios assistenciais, inclusive nos lugares carentes e distantes país.

Vetos

Com os vetos derrubados, o Conselho Federal de Medicina será responsável pela regulamentação da atividade.As receitas médicas digitalizadas também serão validadas.