Freire: Washington Bonfim tem visão de futuro e pode dar ao Piauí um salto de desenvolvimento

Ex-secretário de Planejamento de Teresina se filiou ao Cidadania e é pré-candidato ao governo do estado

O presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, participou, virtualmente, nesta segunda-feira (29) do ato de filiação do ex-secretário de Planejamento de Teresina Washington Bonfim, pré-candidato ao governo do Piauí, ao partido. Para Freire, Bonfim tem visão de futuro e pode colocar o Cidadania do estado em um novo patamar.

“Não é uma continuidade de uma política que a sociedade brasileira está deixando pra trás. É alguém que compreende as mudanças, que sabe que a política está mudando de endereço nessa nova era digital. Se preocupa com a questão das energias renováveis, e pode dar um salto no desenvolvimento do Piauí e do Brasil”, disse o ex-parlamentar.

Roberto Freire (telão) e Washington Bonfim, pré-candidato do Cidadania ao Governo do Piauí

Freire voltou a reafirmar que o partido é oposição a Bolsonaro e não deseja o retorno do ex-presidente Lula. “Bolsonaro é um fascista que não preza pela democracia. Lula também não é um democrata, é alguém prisioneiro do passado. Eles não têm a capacidade de imaginar o Brasil contemporâneo do futuro, até porque ambos têm visão contrária à globalização”, sustentou.

Em seu discurso, Bonfim falou que a filiação ao partido é uma oportunidade de trilhar um caminho que possa construir uma nova história para os piauienses, para superar situações de desemprego, fome, violência, exclusão e atrasos.

“Existe no próximo ano uma oportunidade de mudarmos o cenário político para finalmente estabelecer oportunidades honestas e reais para o nosso povo. Vivemos um tempo de enormes desafios, em tecnologia, clima, relações de trabalho, saúde, educação. Não há área de nossas vidas que não esteja em profunda e acelerada mudança”, destacou.

Assim como Freire, o pré-candidato também acredita que muitos partidos e lideranças não caminham junto com as mudanças que se apresentam pelo atraso político. “A maioria de nossos líderes políticos ou não enxerga ou, se enxerga, percebe neste movimento uma maneira de ficar onde está, preso ao passado, apegado a interesses que são seus, jamais da maioria da população”, argumentou.

Sobre as eleições de 2022, Bonfim disse que pretende trabalhar junto aos piauienses, com diálogo e respeito. “O atual governo do Estado tem seu candidato à sucessão do mesmo partido. A outra força, que se diz oposição, foi responsável por eleger o que vivemos desde 2014 e ainda ocupa cargos no mesmo governo que afirma combater. Então, 2022 não será sobre essas tais estruturas, será sobre gente, sobre vidas, sobre esperança e oportunidade”, avaliou.

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment