Covid-19: Alessandro Vieira vai à Justiça para suspender propaganda fake news de Bolsonaro

Peça assinada por ele e pelos deputados Tábata Amaral (PDT-SP) e Felipe Rigoni (PSB-ES) quer o bloqueio dos recurso usados na campanha, que seriam suficientes para comprar 4 milhões de testes rápidos; presidente Nacional do Cidadania, Roberto Freire, lembra que publicidade semelhante em Milão levou italianos de volta à rua e resultou na morte de 4 mil.

Continue lendo

Para o Cidadania, defesa do adiamento das eleições é equivocada e atentatória à democracia

De acordo com o partido, a maior preocupação hoje deve ser com “os trabalhadores informais que perderão seu sustento, os mais vulneráveis nas comunidades Brasil afora que não podem cumprir as recomendações de prevenção e isolamento” com a pandemia do Coronavírus.

Continue lendo

Roberto Freire recebe deputado Da Vitória para tratar das eleições municipais

O presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, se reuniu nesta quarta-feira (11) com o deputado federal Da Vitória (Cidadania-ES) para tratar das eleições municipais. Para o deputado, este será o melhor momento político do partido no Espírito Santo.

“Vamos dar um salto com as candidaturas e entregaremos representantes em 2022 com mais segurança, tendo em vista o que estará representado dos municípios com essa eleição”, disse Da Vitória.

Roberto Freire lamenta aumento de agressões e degradação moral nas redes sociais

Para o presidente do Cidadania, a situação é ainda pior quando analisados os ataques contra as mulheres e as famílias brasileiras (Foto: )

O presidente do Cidadania, Roberto Freire, lamentou o aumento de agressões e degradações morais na redes sociais. Para o dirigente, a situação é ainda pior quando analisados os ataques contra as mulheres e as famílias brasileiras.

Freire citou como exemplo a violência verbal adotada por Bolsonaro contra repórter da Folha de S. Paulo e, mais recentemente, os comentários especulando uma crise conjugal envolvendo a primeira dama, Michelle Bolsonaro, e o próprio presidente da República.

“O Brasil, infelizmente, assiste nas redes sociais, um claro aumento das agressões e crescente degradação moral. E grave, sendo a mulher e a família, as maiores vítimas. Ontem foram jornalistas agredidas pelo presidente, hoje se agride a primeira dama do País. Deplorável. Inaceitável”, criticou.

Vice-governador de Goiás, Lincoln Tejota se filia ao Cidadania neste sábado

Vice-governador assumirá a presidência regional do partido no estado (Foto: Reprodução)

O ato de filiação do vice-governador de Goiás, Lincoln Tejota, ao Cidadania será realizado neste sábado (29) às 8h30, na Associação dos Subtenentes e Sargentos do Estado de Goiás (Rua 87, 561 Setor Sul – Goiânia). O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, deverá comparecer à solenidade, que contará ainda com as presenças do presidente do partido, Roberto Freire; do ex-deputado federal, Marcos Abrão; do senador Jorge Kajuru; do ex-secretário estadual de Cultura, Gilvane Felipe; do deputado federal, Josias Da Vitória (Cidadania-ES); além de lideranças políticas, representantes de movimentos sociais, pré-candidatos a prefeitos e vereadores goianos.

O vice-governador chega ao Cidadania com planos de fortalecer ainda mais o partido e lançar candidatura própria nos municípios goianos, incluindo a capital.

“A pré-candidatura de Virmondes Cruvinel em Goiânia já está posta pelo partido e terá meu apoio. A base do governo só ganha com partidos fortes, capazes de somar capital político nas composições majoritárias”, diz Lincoln Tejota, que assumirá a presidência regional do partido.

De acordo com o atual presidente da legenda em Goiás, Marcos Abrão, dezenas de candidatos, dentre eles vereadores e prefeitos do interior do estado, acompanharão Tejota ao Cidadania e também efetivarão suas filiações durante o evento. Abrão destaca que muitas dessas lideranças são da base própria do vice-governador, o que dinamiza a composição da legenda no estado.

Cidadania

O partido foi criado em março de 2019, quando integrantes do PPS (Partido Popular Socialista) aprovaram a mudança de nome para Cidadania. A decisão foi tomada durante congresso extraordinário realizado em Brasília. 

“Continuarei trabalhando insistentemente por nosso estado e principalmente pela regionalização de seu desenvolvimento” afirma o vice-governador, que avalia a nova filiação partidária como uma continuação da luta em prol do melhor para o povo goiano.

Lincoln, ao lado das demais autoridades, receberá a imprensa em coletiva às 9h30.

Perfil

Graduado em Direito pela Faculdade Padrão e Gestão em Órgãos Públicos pela Uni-Anhanguera, Tejota foi eleito deputado estadual em 2010, com cerca de 30 mil votos, pelo PT do B (Partido Trabalhista do Brasil). Foi o deputado mais novo da 17ª Legislatura.

Já em 2014, foi reeleito para o seu segundo mandato na Casa de leis de Goiás pelo PSD (Partido Social Democrático), com 45 mil votos. Nesta eleição, foi o terceiro deputado mais votado no estado e o segundo que recebeu mais votos da base aliada.

Em 2018, filiou-se ao PROS (Partido Republicano da Ordem Social) e assumiu o Diretório Estadual da sigla. Pelo mesmo partido, nas últimas eleições, foi eleito vice-governador de Goiás com 1.773.183 votos, ao lado do governador Ronaldo Caiado (DEM). (Assessoria do Vice-Governador)

Cidadania avalia entrar com pedido de impeachment de Bolsonaro

Avaliação inicial do partido é de que o ato do presidente atenta contra as instituições (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Raphael Di Cunto e Marcelo Ribeiro — Valor Econômico

O Cidadania, antigo PPS, deve decidir até esta quinta-feira se apresentará um pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro, afirmou o líder do partido na Câmara, deputado Arnaldo Jardim (SP).

“Nossa análise inicial é de que a declaração dele atenta contra as instituições, mas queremos fazer análise jurídica mais cuidadosa”, disse.

Segundo Jardim, o partido e a bancada estão analisando conjuntamente a questão jurídica e política e tomarão uma decisão até quinta-feira. Bolsonaro compartilhou com aliados um vídeo convocando para as manifestações do dia 15 de março a favor do governo e pelo fechamento do Congresso.

O presidente da sigla, o ex-deputado Roberto Freire, afirmou pelo Twitter, ainda na noite de terça-feira, que o fato é de “suma gravidade”.

“Mais do que crime de responsabilidade é um claro atentado à democracia e a República, o apoio do presidente Bolsonaro a uma convocação de manifestação nitidamente antidemocrática”, escreveu.

Nesta quarta-feira, após Bolsonaro evitar comentários sobre a manifestação e dizer que apenas compartilhou um vídeo com amigos, Freire voltou ao Twitter para dizer que “Bolsonaro ensaiou um recuo na sua quartelada” por causa da “reação das forças democráticas e das instituições republicanas”. “Mas a democracia com ele na Presidência, está sempre sofrendo ataque. Vamos manter a nossa unidade pela democracia e pela liberdade”, disse.

O ato do presidente também vem sendo condenado por outras figuras públicas. O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), chegou a dizer que, se o ato for confirmado, Bolsonaro não está à altura do cargo.

Fonte: https://valor.globo.com/politica/noticia/2020/02/26/cidadania-avalia-entrar-com-pedido-de-impeachment-de-bolsonaro.ghtml