Executiva Nacional do Cidadania analisa impeachment de Bolsonaro em reunião nesta 4ª

O presidente do Cidadania, Roberto Freire, convoca reunião da Comissão Executiva Nacional para discutir o posicionamento do partido sobre o impeachment do presidente da República, Jair Bolsonaro. Essa é a única pauta prevista do encontro, que será realizado na quarta-feira, a partir das 09h30, via aplicativo Zoom. O link para acesso será enviado diretamente para os integrantes do colegiado.

Veja abaixo o documento de convocação:

Freire representa contra Eduardo Pazuello por prevaricação e improbidade administrativa

Presidente do Cidadania pede que PGR investigue o ministro da Saúde e sua equipe pela falta de oxigênio em Manaus

O presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, representou nesta sexta-feira (15) contra o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, junto à Procuradoria-Geral da República por prevaricação e improbidade administrativa. A peça observa que o ministro e sua equipe foram avisados de que faltaria oxigênios para atender os pacientes nos hospitais públicos de Manaus e nada fizeram a respeito, omissão que levou à morte de doentes por asfixia.

“Já havia indícios de que a situação catastrófica era consequência, em grande parte, da gestão incompetente e claudicante do representado à frente da pasta da Saúde. Tal suspeita agora se confirma. O procurador da República Igor da Silva Spíndola teria afirmado que o Ministério da Saúde fora alertado há pelo menos quatro dias de que faltaria oxigênio nos hospitais de Manaus. No entanto, nenhuma medida preventiva foi adotada pelo Ministério da Saúde, permanecendo a pasta comandada pelo representado inerte, aguardando o caos que era anunciado” sustenta.

Ante a gravidade dos fatos, Freire pede que o procurador-geral da República, Augusto Aras, abra investigação contra Pazuello, que esteve em Manaus e chegou a dizer publicamente que nada poderia fazer. “ O Brasil inteiro, talvez o mundo, vem acompanhando, com angústia, a grave situação vivida pela população de Manaus/AM, causada pela pandemia da Covid-19. Trata-se de uma questão gravíssima, tendo em vista as terríveis consequências humanitárias e até mesmo civilizatórias do quadro apocalíptico vivido pela sofrida população amazonense”, aponta.

Veja abaixo a representação:

Freire: Cidadania está se organizando numa plataforma digital com foco em 2022

O presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, conversou nesta quinta-feira (14), à noite, com integrantes do movimento Juventude de São Paulo e falou sobre a nova formação política e o processo de digitalização do partido, que será transformado a partir da plataforma virtual Somos Cidadania, espaço de discussão, escuta e intervenção no debate público, reunido filiados, não filiados, lideranças partidárias e representantes políticos eleitos pelo partido.

“Essa nova formação não contempla apenas o ingresso de movimentos cívicos. Estamos vivendo um momento de reorganização. Vamos nos transformar em um partido funcionando em rede, uma plataforma digital. Não será um mero ajuntamento para troca de ideias, mas uma plataforma organizada para intervenção política, de participação livre e plena, mas com balizas claras do nosso objetivo, que é mudar o país”, destacou.

Ele lembrou que ingressou no partido em 1962 e, nesses 60 anos de militância, viu a de perto a necessidade constante de mudanças.

“O partido teve que mudar porque o mundo mudou e não tem como continuar perdido no tempo e espaço. O partido político não tinha mais condições de ser a instituição para ser a representação política dessa nova sociedade. Estamos vivendo essa sociedade pós-industrial. O que estamos fazendo aqui [encontro virtual] seria inimaginável há até bem pouco tempo e isso é a demonstração concreta de que, apesar de o mundo continuar do mesmo tamanho, estamos diminuindo nossa distância. Estamos conversando aqui com um clique”, ressaltou.

Convocação

Para o ex-parlamentar, a organização do partido em rede é fundamental para o protagonismo em 2022.

“Não apenas superar a cláusula de barreira, que temos condições, mas é algo maior, uma intervenção concreta na disputa do poder pela Presidência da República. O Cidadania tenta ser esse instrumento que é um partido, mas que busca ser a representação política do futuro. Precisamos trazer essa nova geração para ser protagonista em 2022. Precisamos dessa nova sabedoria”, sustentou.

Freire convocou os jovens a já se organizarem em redes a partir da plataforma digital que está em fase de consolidação.

“Vocês têm que buscar seus amigos, quem pensa como vocês em cada município. Vocês precisam entrar para mudar. Esse partido vai entrar em rede e vai ser o que vocês construírem, com seus contatos e articulação. A plataforma poderá ser usada por filiados e não filiados que respeitem os princípios do partido, sem discriminação, em defesa da diversidade, igualdade e fraternidade”, explicou.

Segundo o ex-parlamentar, o partido aposta numa possível candidatura de Luciano Huck para a Presidência. “Uma alternativa jovem. A ideia da digitalização do partido tem a ver com a tentativa de trazer mais jovens, nos aproximar de novas ideias, aspirações, novos jeitos de ver o mundo. Com o partido renovado, a chance é maior. Huck tem capacidade, é alguém que pode construir uma grande alternativa para esse país”, previu.

Saudação à Bancada do Cidadania e seu papel na formação da frente ampla por uma Câmara livre e independente

À luz dos graves fatos ocorridos nos Estados Unidos, inspiração para os neofascistas, negacionistas e obscurantistas que administram o Brasil, na qualidade de presidente nacional do Cidadania, em nome de todos os nossos filiados, saúdo a bancada do Cidadania, que, sob a liderança do deputado Arnaldo Jardim, soube construir sua unidade interna e foi de fundamental importância na luta pela formação de uma frente ampla que se concretizou em torno de Baleia Rossi (MDB-SP) para o comando da Câmara dos Deputados.

A unidade não vem do pensamento único ou da imposição de uma agenda de cima para baixo, mas da construção conjunta de projetos, tendo o diálogo como base e como norte os valores caros à cidadania, à liberdade e à democracia. O foco está e tem de estar nas semelhanças que nos aproximam, porque temos convergência de princípios. Eventuais diferenças, na democracia, são dirimidas no voto.

Aqueles que não acreditam na democracia, temem o voto e desejam subtrair direitos e liberdades atacam as instituições com palavras e depois com paus, pedras e armas, como vimos nos Estados Unidos de Donald Trump. A invasão do Capitólio, símbolo de uma república democrática de mais de 200 anos, fato inusitado e inédito que estarreceu o mundo, nos serve de alerta. Ocorreu sob patrocínio do próprio presidente e de seu extremismo de direita.

Contra essa ameaça, mimetizada aqui por Bolsonaro e seus seguidores, muitos deles armados, é que é preciso garantir uma Câmara dos Deputados livre e independente e uma democracia viva. Para que o Legislativo siga a serviço do povo, como esteve na pandemia e na crise, e não subalterno a um projeto pessoal de poder, ligado a uma rede subterrânea e marginal de ações, e disposto, em seu obscurantismo, a aprofundar a desigualdade, o atraso, o racismo e toda sorte de divisões na sociedade brasileira.

Roberto Freire
Presidente Nacional do Cidadania

É ‘desumano’ e ‘inaceitável’ ironizar a tortura, afirma Eliziane Gama

“Apesar das divergências políticas, o respeito deve sempre existir entre as autoridades. Minha solidariedade a Dilma Rousseff”, escreveu a senadora na rede social (Foto: Roque de Sá/Agência Senado)

A líder do Cidadania no Senado, Eliziane Gama (MA), repudiou na rede social a declaração do presidente Jair Bolsonaro ironizando a tortura sofrida durante a ditatura militar pela ex-presidente Dilma Rousseff.

“É desumano e inaceitável a postura negacionista que coloca em dúvida a tortura sofrida por uma ex-presidente da República durante a ditadura no Brasil. Apesar das divergências políticas, o respeito deve sempre existir entre as autoridades. Minha solidariedade a Dilma Rousseff”, postou a senadora em seu perfil no Twitter.

Nesta segunda-feira (28), Bolsonaro questionou em tom de ironia a tortura sofrida por Dilma Rousseff e disse que queria ver raio-x de sua mandíbula. A declaração provocou forte reação política, provocando condenações à atitude por parte do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o do presidente do Cidadania, Roberto Freire.

“Minha solidariedade a Dilma Roussef por essa indignidade do amante de torturador Bolsonaro. Desesperado tenta desviar a atenção das barbaridade atrás de barbaridade .Queremos o raio-x das contas dele, de Michelle, Flávio, Eduardo e Carlos, da relação com Queiroz, Adriano e a milícia”, cobrou Freire na rede social.

Nota de pesar – Vicente Mota

Com tristeza, informamos o falecimento do companheiro Vicente Mota, radialista e nosso candidato a prefeito em Ubá (MG), na última eleição, pelo Cidadania-23.

Deixamos nosso abraço, em nome da direção do Cidadania-MG e do Cidadania nacional, na esposa Cristina e nos três filhos: João Vitor, João Pedro e Michelle Mota.

Vicente é mais uma vítima da Covid-19.

Pedimos que Deus conforte sua família.

João Vitor Xavier
Presidente do Cidadania-MG

Roberto Freire
Presidente Nacional do Cidadania