Nota da Executiva Nacional

Por unanimidade, a Comissão Executiva do Diretório Nacional decidiu em reunião nesta sexta-feira (12) por uma moção de desagravo à Bancada Federal na Câmara dos Deputados, alvo de nota de um de seus órgãos de cooperação que foi considerada agressiva, imprópria e equivocada. Embora haja divergência na Executiva quanto ao mérito da proposta que tratou de dívidas de templos religiosos, a direção nacional manifestou, de forma unânime, respeito à decisão tomada por seus parlamentares.

O Cidadania continua firme em seu processo de renovação, saudando os movimentos cívicos e sociais que estão se integrando à legenda e trabalham na construção de sua identidade. Que nem a pluralidade de ideias seja entrave para o debate respeitoso e a necessidade de consensos nem a busca de unidade nos afaste da escuta necessária de nossas bases.

Comissão Executiva do Diretório Nacional

Nota Oficial do Cidadania em repúdio ao uso da LSN contra colunista da Folha de S.Paulo

O presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, divulgou nota na manhã deste sábado (22) em que classifica como um “atentado à liberdade de imprensa” a ação do Ministério da Justiça e da Polícia Federal contra o colunista da Folha de S.Paulo Hélio Schwartsman com base na Lei de Segurança Nacional.

“Se julgou os termos inadequados, como muitos julgaram, lançasse mão de papel e caneta. Acionar a PF e a LSN integra o rol de delírios autoritários dos que estão no poder e abominam o dissenso. Um projeto do deputado federal Daniel Coelho (Cidadania-PE) pede a revogação desse entulho da ditadura ao qual Bolsonaro e Mendonça já haviam recorrido na tentativa de calar o chargista Aroeira e intimidar o jornalista Ricardo Noblat”, diz Freire.

Leia a nota:

Nota Oficial

Acionar PF contra colunista da Folha é atentado à liberdade de imprensa

O Cidadania repudia a escalada do Estado policial sob Jair Bolsonaro, do que o mais recente episódio é o uso do aparato estatal para perseguir o jornalista Hélio Schwartsman. É inadmissível que o ministro da Justiça, André Mendonça, prócere desses novos tempos, tenha mandado a Polícia Federal intimar o colunista da Folha de S.Paulo, com base na Lei de Segurança Nacional, porque o presidente não gostou do que ele escreveu.

É possível discordar do conteúdo de seu texto e certamente o jornal abriria espaço para divergência – como abriu. Na democracia, as pessoas são livres pra se manifestar e há liberdade também para que outras discordem. Não existe delito de opinião. Não houve ataque à instituição Presidência da República nem incitação à quebra da ordem social, mas uma crítica à negligência de Bolsonaro na pandemia, que já deixou 113 mil mortos.

Se julgou os termos inadequados, como muitos julgaram, lançasse mão de papel e caneta. Acionar a PF e a LSN integra o rol de delírios autoritários dos que estão no poder e abominam o dissenso. Um projeto do deputado federal Daniel Coelho (Cidadania-PE) pede a revogação desse entulho da ditadura ao qual Bolsonaro e Mendonça já haviam recorrido na tentativa de calar o chargista Aroeira e intimidar o jornalista Ricardo Noblat.

O Cidadania considera uma prioridade nacional frear a criação de uma espécie de “gestapo bolsonarista” dentro do Ministério da Justiça, ímpeto alimentado pelo leilão promovido por Bolsonaro por uma vaga no Supremo Tribunal Federal. O clima de baguncismo que estão instalando nas instituições brasileiras é a verdadeira ameaça à democracia e à ordem política e social.

Roberto Freire
Presidente Nacional do Cidadania

Nota Oficial – Dia Internacional Nelson Mandela

O presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, divulgou nota oficial, em nome do partido, neste sábado (18), saudando os 102 anos de Nelson Mandela, ex-presidente da África do Sul e líder dos movimentos contra o Apartheid no país, morto em 2013. A Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu em 2009 o Dia Internacional Nelson Mandela para celebrar seu legado como líder democrático em prol da igualdade racial e de gênero e pela promoção de uma cultura de paz.

Nota oficial

No aniversário de 102 anos do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, o Cidadania celebra seu exemplo de liderança e retidão de caráter que inspira a todos os democratas do mundo, brancos ou negros, homens ou mulheres, não importa em que localização geográfica do globo.

Superou todas as adversidades e monstruosidades do regime de Apartheid, que segregou, violentou e espoliou a população negra naquele país para reerguer a África do Sul como uma única nação através do diálogo e da reconciliação nacional.

Ainda que os ideais de uma sociedade plena de igualdade racial e de gênero não tenham sido ainda alcançados, nos deixou como legado a fé e o trabalho por uma utopia – que mudou seu país e permanece viva a serviço da humanidade – construída ao logo de muita luta e anos como preso político.

Mais de duas décadas – 27 anos – numa prisão realmente arbitrária que dão a verdadeira dimensão de sua vitória, real e moral ao deixá-la, e desse termo – preso político – hoje tão banalizado por cínicos e hipócritas. O poder transformador de suas ações faz de Mandela o maior símbolo dos valores democráticos da história recente. Saudemos sua memória.

Roberto Freire
Presidente Nacional do Cidadania

Roberto Freire divulga nota oficial sobre tentativa de sabotar CPMI para investigar acusações de Moro

O presidente Nacional do Cidadania, Roberto Freire, divulgou nota oficial na tarde desta quinta-feira (14) criticando o ex-presidente Lula e parte do PT que agem nos bastidores para impedir que uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito apure se Jair Bolsonaro tentou interferir politicamente na Polícia Federal.

Leia abaixo:

Nota oficial – CPMI JÁ

Mais uma vez em sua sanha por hegemonia, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e parte do Partido dos Trabalhadores colocam de lado o país e a população, vítimas do desgoverno Jair Bolsonaro em meio à mais grave crise sanitária pela qual já passamos, para antagonizar um potencial adversário político em 2022: o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro.

Enquanto esquerda e direita democráticas tentam uma aproximação para investigar e possivelmente afastar o presidente da República em razão das acusações de interferência na Polícia Federal, o PT age nos bastidores para que uma CPMI não saia do papel porque teme dar protagonismo a Moro, algoz do lulopetismo.

Essa esquerda atrasada quer o monopólio da oposição a Bolsonaro. Para impedir a ascensão de uma alternativa democrática que possa quebrar a polarização que paralisa o país, ainda que ao custo de milhares de vidas, age como aliada objetiva do bolsonarismo. As forças do atraso, à esquerda e à direita, precisam umas das outras. Sobrevivem parasitando a democracia.

Nós, do Cidadania, seguiremos firmes na coleta de assinaturas e na defesa de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito que apure as tentativas de Bolsonaro de operar politicamente na Polícia Federal e trocar o comando da corporação no Rio de Janeiro a fim de proteger amigos e familiares, flagrados, sabe-se lá, em que tipo de ilícito. CPMI já!

Roberto Freire
Presidente Nacional do Cidadania

Covid-19: Jardim e Zanotto reforçam, em nota, necessidade do isolamento social

O líder do Cidadania na Câmara, deputado Arnaldo Jardim (SP), e a deputada federal e relatora de Comissão Externa de Enfrentamento ao Coronavírus, Carmen Zanotto (SC), publicaram nota, nesta quinta-feira (7), reforçando a importância do isolamento social em momento crítico da Covid-19, que já ultrapassa 600 mortes diárias em todo o País. 

Jardim e Zanotto se solidarizam com as vítimas da Covid-19 e suas famílias e alertam para o risco de uma curva mais acentuada da doença devido às aglomerações vistas recentemente. Eles também cobram medidas do governo para intecalar o pagamento do auxílio emergencial e evitar filas nas agências da Caixa Econômica Federal pelo país. 

Leia a nota abaixo:

COVID-19: MOMENTO CRÍTICO DA DOENÇA EXIGE MAIOR RESTRIÇÃO

O Brasil, infelizmente, ultrapassa 600 mortes/dia por coronavírus e, apesar de toda uma ansiedade que a esta altura acomete alguns por conta do isolamento social, agora é hora de resistir um pouco mais e não sair de casa. 

O país já conta com 127 mil pacientes diagnosticados com Covid-19 e 8.500 óbitos em decorrência dela. É preciso, cada vez mais, que todos nós tenhamos responsabilidade para frear a escalada de mortes. 
A disparada dos números da doença se esbarra num cenário ainda mais sombrio: o esgotamento dos leitos de UTI.

Em primeiro lugar, registramos a nossa solidariedade a parentes e amigos dos brasileiros mortos pelo coronavírus.

Algumas unidades da federação registram intensa movimentação de pessoas, dos bairros mais nobres aos mais afastados. É o ambiente perfeito para o inimigo invisível que é implacável com as aglomerações.
Mas há quem, por força do ofício, não tem alternativa: tem que sair de casa. A eles, o nosso lembrete para uso dos chamados EPIs (equipamentos de proteção individual) e, principalmente, a nossa torcida de que vai dar tudo certo.

É preciso lembrar ainda que há uma outra parte da população, aquela atingida abruptamente pela falta de recursos financeiros, e que precisa deixar sua residência para sacar o dinheiro da Renda Básica Emergencial. A sugestão é que apenas um integrante da família compareça à agência bancária. Ao mesmo tempo, exige-se do governo medidas como intercalar o pagamento dos beneficiários para evitar filas intermináveis nesses locais. 

Há muita dúvida em relação a essa doença. Posso isso, faça algo hoje que tenha impacto positivo para o futuro: fique em casa!

Brasília, 7 de maio de 2020.
Arnaldo Jardim (SP) – líder do Cidadania na Câmara dos Deputados
Carmen Zanotto (SC) – relatora da Comissão Externa de enfrentamento ao coronavírus no Brasil”

Carmen Zanotto não aceita convite para assumir Secretaria da Saúde de SC

Em nota divulgada na tarde desta segunda-feira (04), a deputada federal Carmen Zanotto (SC), vice-líder do Cidadania na Câmara, informou que não aceitou o  convite do governador Carlos Moisés para comandar a Secretaria da Saúde de Santa Catarina.

Apesar de ter declinado, Zanotto reafirmou o compromisso de continuar trabalhando pela saúde da população catarinense, principalmente neste momento de enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. 

Leia a íntegra da nota:

“Estive reunida com o governador Carlos Moisés da Silva, agradeci o convite e disse que estou disposta a continuar trabalhando pela Saúde e no combate à Covid-19 em nosso estado. Com minha experiência de enfermeira, gestora e parlamentar, atuando junto ao governo de Santa Catarina, somando esforços com as demais instituições na busca incessante de soluções e recursos para que, juntos, possamos enfrentar essa guerra com o menor número possível de mortes.

Posso conciliar minhas atividades como relatora da Comissão Externa de Combate ao Coronavírus, onde estamos atuando desde fevereiro, ajudando de forma incansável nosso Estado.

Tenho convicção que somente com unidade, solidariedade, desprendimento e muito trabalho  iremos vencer esse inimigo invisível.Reitero que estarei sempre à disposição para trabalhar por Santa Catarina, independentemente de assumir a pasta da Secretaria da Saúde.

Florianópolis (SC), 4 de maio de 2020
Carmen Zanotto, Deputada Federal do Cidadania