Nota de pesar – Fausto Mato Grosso, militante histórico do PCB ao Cidadania

Nota de pesar

O Cidadania lamenta profundamente a perda de seu filiado e militante histórico Fausto Mato Grosso. Engenheiro civil, professor e ex-pró-reitor de Extensão e Assuntos Estudantis da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), Fausto foi um homem sério e íntegro, que, desde os tempos de PCB, soube compreender a complexidade da sociedade brasileira, sem jamais ficar parado no tempo. Ajudou a construir não apenas o partidos que o antecederam, mas também o atual Cidadania, mostra de seu desprendimento intelectual e político. Sempre com um olhar no futuro, jamais se perdeu dos ideais humanistas do velho partidão. Em recente livro, dedicou-se a contar histórias da construção do comunismo no Mato Grosso do Sul. Registros que, sem a sua memória escrita, se perderiam, como disse, na “poeira da vida”. Fausto estará sempre presente. A Maria Augusta, sua esposa, aos familiares e aos tantos amigos que tiveram a honra de conhecê-lo, os nossos sentimentos.

Roberto Freire
Presidente Nacional do Cidadania

Nota de pesar – Milton Gonçalves

Nota de Pesar

Lamento, em nome do Cidadania, a morte do grande ator e diretor Milton Gonçalves, um dos mais talentosos nomes da cultura nacional. Pavimentou o caminho para que a diversidade da sociedade pudesse conhecer – e reconhecer-se em – grandes papéis para além de estereótipos racistas. Foi médico, juiz, padre, promotor, delegado, Papai Noel. Foi sempre protagonista da própria história. Sua atuação também fora das telas é igualmente digna de nota como um militante da democracia no MDB, com quem, no PCB, pude travar o bom combate contra a ditadura militar. E, quando achou que podia ajudar o Rio de Janeiro, não teve dúvidas em se lançar ao governo. Negro em movimento, só foi parado pela indesejada das gentes. Mas seu legado será eterno. À família e aos amigos, os nossos sinceros sentimentos.

Roberto Freire
Presidente Nacional do Cidadania

Nota de pesar – Jacó Bittar

Nota de Pesar

Em nome do Cidadania e em meu nome pessoal, lamento, pesaroso, a morte do estimado Jacó Bittar, ex-prefeito de Campinas e um dos importantes líderes do movimento pela redemocratização do Brasil. Honrosamente, estivemos juntos na resistência à ditadura, eu pelo velho PCB, ele, pelo sindicalismo, como um dos fundadores da CUT. Nos conclaves, espaços de reorganização do movimento sindical nacional, Jacó Bittar ajudou a plantar as sementes de um país mais fraterno, justo e livre. À família e a todos os amigos, os nossos profundos sentimentos.

Roberto Freire
Presidente Nacional do Cidadania

Nota de pesar – Egídio Ferreira Lima

Foi com grande pesar que recebemos a notícia da morte do ex-deputado, juiz e professor de Direito Egídio Ferreira Lima, de quem fui amigo. Tive a honra de cerrar fileiras com esse ilustre pernambucano contra a ditadura militar de 1964. Fomos parlamentares juntos no MDB, quando ajudamos a erigir o mais poderoso monumento à democracia brasileira: a Constituição Cidadã de 1988. Era um homem digno, que se manteve sempre no lado certo da história. Uma referência no exercício da advocacia e na política e que deixa um legado na defesa do pacifismo e dos direitos humanos. À família e aos demais amigos, os nossos sentimentos.

Roberto Freire
Presidente Nacional do Cidadania

Nota de pesar – Lygia Fagundes Telles

Nota de pesar

Lamento, em meu nome e pelo Cidadania, a morte da consagrada escritora Lygia Fagundes Telles, um dos grandes nomes da nossa literatura. Vencedora dos prêmios Jabuti e Camões, traduzida em diversos países, Lygia teve seu talento e sua obra exuberantes reconhecidos em vida. Ela está imortalizada por livros como “As Meninas” e “Seminário dos ratos”, mas sua passagem é uma perda imensurável para a Cultura nacional. À família e aos amigos, os nossos sentimentos.

Roberto Freire
Presidente Nacional do Cidadania

Nota de pesar – Osvan Otávio David Miranda

É com profundo sentimento de tristeza e pesar que o Diretório Estadual do Cidadania 23 de Minas Gerais, comunica o falecimento do prefeito de Rubelita, Osvan Otávio David Miranda (Cidadania).

Osvan faleceu na noite da última segunda-feira (21), aos 59 anos, vítima de dengue hemorrágica. O corpo do político é velado nesta terça-feira (22) no ginásio poliesportivo da cidade do Norte de Minas.

Osvan, que cumpria o segundo mandato à frente da Prefeitura de Rubelita, estava internado desde o último sábado (19) no Hospital Dilson Godinho, em Montes Claros, após ter febre.

O município de Rubelita decretou luto oficial de três dias pela morte do prefeito.

Os nossos sentimentos de estima e de perda aos filhos e a todos os demais familiares e amigos.

Entre nós, ficam a memória e o legado de um grande político.

João Vitor Xavier
Deputado Estadual
Presidente Cidadania 23 MG

Nota de pesar – Orlando Brito, o fotógrafo decisivo

Lamento, com grande pesar, em meu nome e do Cidadania 23, a perda do amigo Orlando Brito, o maior e mais relevante fotojornalista do país. Brito conseguiu aliar a melhor técnica e um apurado senso estético a um olhar muitas vezes poético para a árida cobertura diária da política. Foram inúmeros os instantes decisivos da história da República captados pelas lentes desse mineiro de Janaúba, que conquistou o mundo e tinha na fotografia uma de suas primeiras e únicas paixões. Exerceu seu ofício e sua arte com um talento e uma dedicação ímpares. Tive o prazer de conhecer esse artista há muitos anos. Dele, me despeço agora com respeito e admiração.

Roberto Freire
Presidente Nacional do Cidadania

Nota de pesar – Arnaldo Jabor

Lamento em meu nome e em nome do Cidadania, a morte de Arnaldo Jabor, um dos maiores cineastas brasileiros. Para muito além do polemista dos anos mais recentes, com olhar arguto sobre a realidade, foi responsável por algumas obras-primas da grande tela, como roteirista e diretor, e por sucessos de bilheteria, mostrando a sintonia que tinha com seu público: o Brasil, o mundo. Levou, como ninguém, a obra e o espírito de Nelson Rodrigues para a sétima arte, nos brindando com “Toda nudez será castigada”, premiado em Berlim, e “O Casamento”, reconhecido em Gramado. Amou a vida e o cinema e os viveu intensamente. Não subestimava seus interlocutores. Ao contrário, homenageava sua inteligência com desabrida ironia. Fará falta. Nossos sentimentos à família e aos amigos.

Roberto Freire
Presidente Nacional do Cidadania

Nota de Pesar – Uma imensa perda: Raulino de Oliveira

Nós, dirigentes e militantes do partido Cidadania, incluindo seus núcleos setoriais, Diversidade 23, Igualdade 23 e Mulheres 23, sofremos uma gigantesca perda com o falecimento nesta quarta-feira (2), à noite, do nosso competente, dedicado e fraterno companheiro Raulino Aquino de Barros Oliveira, o “Velhinho das Redes”, como ele mesmo se intitulava.

Vítima de um câncer violento, tinha 77 anos e nunca deixou de ser político. Nem de ter certeza de que só a política (com as redes) é capaz de fazer avançar a sociedade. Filho dileto da cidade do Rio de Janeiro, ele, desde muito jovem, estudante do Colégio Militar, integrou-se às fileiras do PCB, tornando-se militante partidário desde as organizações juvenis.

Graças às suas qualidades, virou um dirigente permanente até alcançar o Comitê Central/Diretório Nacional do nosso Partido.

Flamenguista apaixonado, economista, não pôde concluir a faculdade devido à repressão política da ditadura militar. Isso não o impediu de sagrar-se um excepcional consultor das mais variadas instituições privadas e públicas no seu Estado natal. Descobriu as redes e seu potencial revolucionário muito antes que outros. Era um grande incentivador da internet e das redes virtuais.

Foi presidente do AlterNex, o primeiro provedor de acesso à Internet do Brasil. Quando no Ministério da Reforma Agrária, nele organizou uma rede nacional. Idealizou e criou a revista Presença no início dos anos 1980, nos estertores do regime militar fascista vigente desde o Golpe de Estado de 1964.

Tive o agradável prazer de uma longa e rica convivência com esta figura exemplar. Inteligente e sempre bem-humorado, se destacava também como um formulador político de alto nível. Era um homem da política. Não do ódio ou das picuinhas políticas, mas de como se caminha para a frente com o maior número de pessoas possível.

Além de um apaixonado por diferentes manifestações artísticas, apreciava de ópera a samba. Tinha grande orgulho da história do partido, a qual ajudou a escrever. Fazia política olhando para o futuro.

Raulino presente!

A cremação do seu corpo ocorre nesta sexta-feira (4), de 13h às 17h, no crematório do Caju, capela B.

Profundos sentimentos às suas companheiras Mara e Comba; aos filhos Nanda, Rafael e Raul; aos sobrinhos Alessandra, Bruno e Migmig; e aos netos Juan, Manu, Luisoca, Julinha, Lírica e Quinqui.

Brasília, 3 de janeiro de 2022

Roberto Freire
Presidente do Cidadania