Leila Barros destaca os 10 anos do Hospital da Criança de Brasília

Senadora lembra que o HCB integra a rede pública de assistência à saúde do Distrito Federal desde 2013 (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)

A senadora Leila Barros (Cidadania-DF) registrou em pronunciamento, nesta terça-feira (23), os 10 anos de atividades do Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB). Ressaltou que a instituição é fruto de uma parceria entre a Abrace (Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias) e o governo do Distrito Federal.   

Leila Barros lembrou que o HCB integra a rede pública de assistência à saúde do Distrito Federal desde 2013. É um hospital de referência especializada, de média e alta complexidades. Oferece consultas pediátricas em várias especialidades, além de exames laboratoriais e de imagem. A senadora ressaltou que o HCB não atende a casos de emergência e os atendimentos são realizados somente com hora marcada para crianças a partir dos 29 dias de nascidas até jovens de 19 anos.

“Meus cumprimento e agradecimentos aos mais de 1.500 funcionários do Hospital da Criança de Brasília José Alencar, ao diretor Francisco Duda, ao ex-diretor Renilson Rehem, aos médicos, enfermeiros, colaboradores, parceiros, pacientes e famílias que fazem parte daquele universo tão humanizado, tão especial, do HCB. A instituição merece nota máxima em saúde e também o reconhecimento do povo brasileiro, em especial de toda a população do Distrito Federal”, disse Leila Barros. (Com Agência Senado)

Saúde pública: Alessandro Vieira pede solução para atraso de repasses de recursos em Sergipe

Atraso de repasses para o Hospital de Cirurgia prejudica os serviços prestados pelo SUS no estado e pode provocar a suspensão do atendimento, afirma o senador (Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado)

Sergipe, com mais de 2,3 milhões de habitantes, tem um único estabelecimento de saúde habilitado pelo Ministério da Saúde para prestar atendimento a pacientes com infarto agudo do miocárdio e para assistência em alta complexidade em Oncologia. Esse atendimento, porém, tem sido prejudicado pelo atraso no repasse de recursos federais que já beiram R$ 60 milhões para o chamado Hospital de Cirurgia, e que pode resultar na suspensão dos atendimentos e serviços de saúde prestados pela instituição.

Essa situação levou o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) a solicitar do governo de Sergipe urgente justificativa para o atraso destes pagamentos, pedindo também o comprovante das tratativas para a realização dos repasses e o cronograma da programação dos pagamentos devidos.

“O atraso, sem justificativa, impacta diretamente no atendimento da população, especialmente num momento em que ainda estamos em pandemia, mas com a abertura das cirurgias eletivas”, disse o senador.

Como o Hospital de Cirurgia já tem fila de espera para cirurgias cardíacas, ortopédicas e urológicas, Alessandro Vieira pediu, em ofício, urgência na regularização dos pagamentos por parte do governo de Sergipe.

Os repasses em atraso se referem aos R$ 27 milhões referentes às emendas parlamentares e R$ 31 milhões relacionados aos serviços prestados pelo Hospital de Cirurgia. Apesar de todas as dificuldades, só no primeiro semestre de 2021, o Hospital realizou 2.785 cirurgias das mais diversas especialidades, 13.389 consultas ambulatoriais, 4.207 internamentos, 3.015 sessões de quimioterapia, 2.445 exames cardiológicos.

“Os recursos estão na conta do estado, e o atraso no repasse ao Hospital de Cirurgia prejudica os serviços prestados pelo SUS [Sistema Único de Saúde] para todos os sergipanos e pode provocar a suspensão do atendimento. Isso é muito grave”, afirmou Alessandro Vieira. (Assessoria do parlamentar)

Alessandro Vieira quer informações sobre incêndio em hospital de Aracaju

‘É extremamente necessária a devida apuração dos fatos e eventuais responsabilidades por ação ou omissão neste evento trágico’, justifica o senador (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

O líder do Cidadania no Senado, Alessandro Vieira (SE) apresentou requerimento solicitando informações sobre o incêndio no Hospital Nestor Piva, na última sexta-feira (28), em Aracaju. A tragédia atingiu dentre outras áreas, a ala de estabilização para pacientes com Covid-19, ocasionando a morte de quatro pessoas e deixando diversas feridas.

“Além do drama de quase 5 mil mortes por Covid-19, Sergipe sofre com esse incêndio no Hospital Nestor Piva. É extremamente necessária a devida apuração dos fatos e eventuais responsabilidades por ação ou omissão neste evento trágico que vitimou os sergipanos e que se relaciona com o objeto desta CPI, na medida em que recursos federais foram disponibilizados e devem ser utilizados para adequada preparação dos meios e instalações hospitalares a fim de enfrentar grande aumento da demanda causado pela pandemia”, destaca Alessandro Vieira.

Dentre as informações solicitadas à Prefeitura Municipal de Aracaju está cópia do alvará e/ou licenças para construção do anexo e reforma do Hospital Nestor Piva em Aracaju/SE para atender o aumento da demanda causado pela pandemia, como também, cópia dos Projetos Elétricos e de Engenharia seguidos, contratos vigentes com a empresa terceirizada que administra o Hospital Nestor Piva e com as subcontratadas que realizaram a obra de ampliação do hospital.

O requerimento de Alessandro Vieira também demanda informações à prefeitura e ao Centro Médico do Trabalhador, que administra o hospital, o Plano de Prevenção e Combate à Incêndio e a relação de profissionais pertencentes à Brigada de Incêndio e responsáveis pela intervenção imediata em casos de incêndio.

Ao Corpo de Bombeiros de Sergipe, o senador solicita que envie laudos de inspeção existentes antes e depois do incidente do dia 28, principalmente o laudo que aponta as possíveis causas do incêndio ocorrido no local nesta data. Ao Instituto Médico Legal de Sergipe, o pedido é pelos laudos que relatem as causas das mortes das vítimas do incidente.

Há também pedido ao Ministério Público do estado e, pelos autos de inquéritos e todas as informações e provas levantadas acerca da tragédia; e à Polícia Civil pelos autos do inquérito que apura os fatos. (Assessoria do parlamentar)