Paula Belmonte fala a ministra sobre violência contra crianças e jovens

Em audiência com a ministra da Família, da Mulher e dos Direitos Humanos, Damares Alves, nesta quarta-feira (05), a deputada federal Paula Belmonte (Cidadania-DF) se emocionou ao falar da violência contra crianças. Ela lembrou o caso do garoto Rhuan Maycon da Silva Castro, de apenas nove anos de idade, que foi assassinado pela mãe e pela companheira dela em Samambaia (DF).

“Brasília chora porque não foi só o Rhuan que foi morto brutalmente. Também tivemos o caso de uma criança que foi pedir alimentação no vizinho e acabou morta, depois de apanhar muito”, disse.

Os casos de agressões a crianças têm sido noticiado cotidianamente pelos jornais.

“É muito sério o que está acontecendo com nossas crianças e jovens e só é possível dar segurança a elas a partir de duas bases: geração de emprego e educação”, afirmou

A deputada salientou que não se pode admitir que o povo passe fome.

“Não podemos aceitar que as políticas não conversem entre si – saúde, educação e justiça. Eu me coloco 100% para lutar por essa causa”, disse.

Carmen Zanotto pede que Polícia Federal intensifique o cerco à pedofilia

O abuso de crianças  não é apenas  um caso de assistência social. Antes de tudo, é caso de polícia. A declaração é da deputada federal Carmen Zanotto (Cidadania-SC), ao defender que  a Polícia Federal intensifique o cerco ao crime de pedofilia no País.

“Sabemos que a Polícia Federal tem agido duramente para coibir essa prática criminosa sobre as nossas crianças. Mas é preciso intensificar, fortalecer  mais as investigações. O lugar desses criminosos é na cadeia”, disse.

A fala a parlamentar catarinense ocorreu, nesta quarta-feira (05), em audiência pública, com a ministra  da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves,  na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara. .

Carmen Zanotto anunciou que vai apresentar requerimento de indicação ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, solicitando mais ação da Polícia Federal.

“O aumento desses crimes tem deixado a sociedade estarrecida”, reforçou.

O tema da reunião era “Suicídio e Automutilação de Crianças e Adolescentes”, mas os relatos de Damares Alves sobre abusos de crianças ampliou o debate sobre a questão.

Crimes na Internet

Carmen Zanotto pediu ainda a Damares Alves que redobre a vigilância sobre os crimes na internet, inclusive os que  incentivam suicídio e automutilação de crianças e adolescentes.  Ela chamou a atenção do Comitê Gestor da Internet, que é responsável pela veiculação de vídeos.

Carmen Zanotto defende manutenção do Conselho do Idoso e pede que Câmara interceda junto ao governo

A deputada federal Carmen Zanotto (Cidadania-SC) defendeu nesta terça-feira (14) que as Comissões de Seguridade Social e Família e dos Direitos da Pessoa Idosa encaminhem requerimento de indicação ao governo destacando a importância da manutenção do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa.

O documento de indicação serão enviados aos ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.

Mesmo sendo autora da iniciativa,  a parlamentar do Cidadania disse que a assinatura dos dois colegiados  que tratam do tema irá fortalecer a reivindicação da sociedade para que tanto Conselho Nacional e as instâncias nos estados possam continuar funcionamento.

Na audiência que tratou do assunto, a parlamentar disse que está preocupada com os prejuízos que o Decreto nº 9.759/2019, que extinguiu ou limitou as atividades dos órgãos colegiados em todo o país, possa trazer às políticas públicas direcionadas à pessoa idosa, cujos avanços foram conquistados com a participação da sociedade civil.

“Os conselhos são fundamentais para dar visibilidade aos problemas por que passam os idosos brasileiros, que estão cada vez mais vulneráveis . Esses colegiados são necessários para nortear o Parlamento e o Poder Executivo na formação de políticas públicas voltadas para este segmento da população, que a cada dia envelhece mais”, alertou Carmen Zanotto.

Com capilaridade nos 27 unidades da Federação, os conselhos funcionam plenamente em  2.117 municípios.

Participaram da audiência conjunta vários ex-presidentes do Conselho Nacional do Idoso, especialistas e representantes do governo.

O decreto dá um prazo até o próximo dia 28 deste mês para que os conselhos nas mais diversas atividades justifiquem na necessidade de continuar existindo.