Senadores criticam postura de Bolsonaro diante do conflito na Ucrânia

Alessandro Vieira e Leila Barros cobraram na rede social um posicionamento mais efetivo do presidente sobre a invasão militar russa (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

Os senadores Leila Barros (Cidadania-DF) e Alessandro Vieira (Ciddadania-SE) se manifestaram nas redes sociais sobre a postura do governo Bolsonaro em relação à invasão militar da Rússia à Ucrânia. Há duas semanas, o presidente esteve em Moscou e se solidarizou com o presidente russo, Vladimir Putin.

Para Leila Barros, não condenar a escalada militar seria mais um desastre da diplomacia brasileira, que se dissocia da comunidade internacional.

“O governo brasileiro não pode permanecer evasivo diante da invasão russa à Ucrânia. As principais democracias do mundo já manifestaram seu repúdio, diante da violação da soberania territorial ucraniana”, cobrou a senadora.

Na avaliação do senador Alessandro Vieira, a posição de Bolsonaro está cada vez mais irrelevante, tanto fora do País quanto internamente.

“As pessoas cobrando posicionamento do Bolsonaro sobre a invasão da Ucrânia. É sério? Claro que tem toda a questão humanitária e diplomática, mas na real a posição dele é 100% irrelevante lá fora. Aliás, é cada vez mais irrelevante aqui dentro também, pois quem manda é o Centrão”, publicou na rede social.

O governo brasileiro apostou até o último momento em uma solução diplomática para o conflito entre russos e ucranianos, algo em que nem mesmo a Ucrânia ou os EUA acreditavam.

Na última sexta-feira (25), o Brasil votou contra a Rússia no Conselho de Segurança da ONU (Organização da Nações Unidas), em um esforço de reposicionar o País diante dos ataques contra a Ucrânia e da pior crise de segurança internacional em décadas.