Eliziane Gama participa da COP-27 no Egito com o presidente eleito Lula

‘Depois de anos de desmonte na governança ambiental, o Brasil voltará a ter uma posição de destaque na preservação do meio ambiente’, diz senadora sobre a conferência do clima da ONU (Foto: Divulgação)

A líder do Cidadania no Senado e da Bancada Feminina, Eliziane Gama (MA), participou nesta terça-feira (15) de reunião, no Egito, com o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e senadores que participam da Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas.

“Encontro produtivo na COP27 com o presidente Lula. Depois de anos de desmonte na governança ambiental, o Brasil voltará a ter uma posição de destaque na preservação do meio ambiente e no desenvolvimento sustentável. O mundo quer voltar a negociar com o Brasil”, destacou a senadora.

Em evento no Brazil Action Hub da COP27 (Conferência do Clima), nesta segunda-feira (14), Eliziane Gama destacou que o Brasil terá anos melhores e um governo mais preocupado com o meio ambiente.

Para a senadora, os últimos quatro anos foram ‘sombrios’ e ‘tristes’ no que diz respeito à proteção ambiental.

“O governo trabalhou o tempo todo para destruir as políticas de proteção e fiscalização do setor”, disse.

Eliziane Gama ressaltou que as ameaças desse governo ao meio ambiente podem não ter acabado.

“Precisamos estar atentos para não deixar passar, nesses últimos 40 dias de governo Bolsonaro, decisões de última hora que agridam ainda mais o meio ambiente. Como projetos do pacote do veneno que representam mais retrocesso”, avaliou a parlamentar.

Ela afirmou que parlamentares do Congresso Nacional e membros da sociedade civil irão se reunir na próxima semana para discutir projetos nocivos ao meio ambiente.

Na avaliação da senadora, o Brasil vai retomar nos anos que virão o protagonismo histórico na proteção dos recursos naturais e das nossas riquezas. Para ela, a expectativa é muito grande de retomada do protagonismo brasileiro no setor e os dias de desmonte ficarão para trás. (Assessoria da parlamentar)

COP26: Não estamos aqui para falar mal do Brasil, mas para mostrar a realidade, afirma Eliziane Gama

Senadora entrega nesta quarta-feira (10) na cúpula do clima da ONU o relatório elaborado pela Comissão de Meio Ambiente do Senado sobre o desmonte da política ambiental brasileira de 2019 -2021 (Foto: Reprodução/GloboNews)

Em entrevista ao jornal Em Ponto da GloboNews (veja aqui), nesta terça-feira (09), direto de Glasgow, na Escócia, onde participa da COP26 – cúpula da ONU pelo clima – a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) destacou a importância dos acordos internacionais para o equilíbrio ambiental do planeta, e afirmou que participava do evento não para ‘falar mal do Brasil, mas para mostrar a realidade’ do desmonte da política ambiental do País.

Ao ser questionada sobre a nova postura do Brasil em relação ao acordo climático para redução das emissões de carbono, a senadora disse que a reação dos demais países que participam da cúpula é um misto de ‘acreditando e desconfiando’ das intenções do governo brasileiro.

“Não podemos deixar de reconhecer que foi importante a assinatura desses acordos em relação as metas de emissão de gases e ao desmatamento zero, mas a gente precisa entender quais as ações do governo federal para a materialização do que foi acordado”, disse Eliziane Gama, ao reafirmar o clima de desconfiança do Brasil na COP em relação as metas climáticas.

Relatório

Ela entrega nesta quarta-feira (10), às 16h (horário de Brasília), na cúpula do clima da ONU o relatório elaborado pela Comissão de Meio Ambiente do Senado sobre o desmonte da política ambiental brasileira no período de 2019 -2021.

O documento relatado por Eliziane Gama foi elaborado com a contribuição de representantes da sociedade civil, empresários e especialistas traça um cenário devastador sobre o desmatamento de biomas e o sucateamento dos órgãos de vigilância e fiscalização ambiental no Brasil.

A parlamentar alerta que os órgãos ambientais sofreram nos últimos anos um processo de sufocamento com cortes consideráveis de orçamento e no quadro de pessoal.

“Queremos mostrar ao mundo o que o governo brasileiro tem feito para desmontar todo o arcabouço legal de preservação ambiental no país.  As taxas de desmatamento da Amazônia e de outros biomas atingiram níveis recordes, o que coloca em risco a sobrevivência dos nossos biomas”, explica Eliziane Gama.