Paula Belmonte: UnB, 60 anos de compromisso com Brasília

As crianças e os jovens, quando comemoram o aniversário, têm os olhos voltados para o futuro. A famosa afirmação do “faça um desejo” ao soprar as velas do bolo simboliza bem esse momento de alegria e de reflexão sobre os próximos passos na vida. Já nós, adultos, costumamos fazer um balanço do que já fizemos e o que ainda sonhamos realizar.

Na semana passada, celebramos o aniversário de 60 anos da Universidade de Brasília. Aos olhos de um adulto, que olha para o passado e faz projeções para o futuro, não faltam motivos para exaltar a trajetória dessa instituição, que nasceu quase junto com Brasília, com apenas dois anos de diferença.

Somente na última década, a UnB formou mais de 45 mil profissionais. É uma das principais universidades do Brasil e da América Latina. Possui 10 áreas do conhecimento entre as melhores do mundo no ranking internacional QS World University Rankings by Subject. A UnB é referência em pesquisa, com mais de 3,5 mil projetos em andamento. Somente durante a pandemia da covid-19, por exemplo, foram mais de 200 iniciativas de pesquisa, extensão e inovação lançadas para o combate ao coronavírus.

Com o entusiasmo e a energia de uma criança, a UnB está em constante processo de evolução, colocando sempre a pesquisa a serviço da comunidade. A expansão da universidade já chegou ao Gama, Ceilândia e Planaltina, bem como a oferta de cursos de graduação a distância não só para Brasília, mas para todo o Brasil. O compromisso social e o apoio à comunidade é outra marca que a UnB construiu nesses 60 anos, com ações que vão do atendimento hospitalar e o apoio psicológico à formação para idosos e o suporte à produção sustentável e orgânica de alimentos.

A missão da UnB, em suas próprias palavras, é ser uma universidade inovadora e inclusiva, comprometida com as finalidades essenciais de ensino, pesquisa e extensão, integradas para a formação de cidadãos éticos e qualificados para o exercício profissional e empenhados na busca de soluções democráticas para questões nacionais e internacionais, por meio de atuação de excelência.

Posso dizer, sem medo de me equivocar, que a reitora Marcia Abrahão tem conseguido, com louvor, que a UnB cumpra a missão. E, por ser uma defensora de ações e políticas públicas para as crianças e jovens, não posso deixar de elogiar o trabalho que a UnB também tem feito em prol da primeira infância, período que vai até os seis anos de idade.

Recentemente, tive a honra de visitar as obras do Centro de Pesquisa em Primeira Infância e de uma creche que estão sendo construídos no Câmpus Darcy Ribeiro. Como a própria reitora afirmou, a creche é um antigo sonho da comunidade que finalmente se materializou e, a partir do próximo ano, já estará em funcionamento. Destinei emendas parlamentares para custear a construção do Centro de Primeira Infância e da creche, pois acredito na universidade, em especial a UnB, como elemento transformador da sociedade.

O Centro de Pesquisa em Primeira Infância será multidisciplinar, e poderá acolher alunos da graduação e da pós-graduação em áreas diversas como saúde e educação. As melhores práticas serão colocadas em ação na creche, que acolherá crianças de zero a três anos, filhos de estudantes e servidores da universidade, além da comunidade da Asa Norte.

São projetos que obedecem à arquitetura modernista da universidade, utilizando cobogós e outros elementos que marcam o câmpus. O espaço de pesquisa terá uma área de total de 1.370 metros quadrados e será construído ao lado do Instituto de Ciências Sociais. Já a creche será sediada ao lado da Associação dos Servidores da Fundação UnB (FUB) e terá instalações que totalizam 1.060 metros quadrados. Ambas as edificações ficam próximas dos alojamentos estudantis da Colina.

Neste mês de celebrações dos aniversários de Brasília e da UnB, me alegro em saber que, nos seus 63 anos de existência, veremos a nova creche repleta de crianças, atendidas com o que há de melhor na pesquisa e tratadas com segurança, carinho e amor. (Correio Braziliense – 26/04/2022)

Paula Belmonte é deputada federal do Cidadania-DF

Leia também

Impacto das mudanças climáticas

As mudanças climáticas têm sido um tema central em...

Eliseu e a luta contra a homofobia

Desde a primeira vez que botei o bago dos...

O dilúvio às vésperas das eleições gaúchas

NAS ENTRELINHASO governador Eduardo Leite propõe adiar as eleições...

Um novo desafio do SUS para Nísia Trindade

NAS ENTRELINHASO Ministério da Saúde está diante de outro...

Lula já politizou socorro aos gaúchos

NAS ENTRELINHASLula e Leite têm um adversário comum, Jair...

Informativo

Receba as notícias do Cidadania no seu celular!