Alessandro Vieira pede ao STF uso de recursos da Lava Jato para compra de vacinas

A petição foi enviada ao ministro do STF, Ricardo Lewandowski (Foto: Reprodução/Internet)

O líder do Cidadania no Senado, Alessandro Vieira (SE), e os deputados federais Felipe Rigoni (PSB-ES) e Tabata Amaral (PDT-SP) pediram nesta semana ao STF (Supremo Tribunal Federal) que os recursos recuperados pela Operação Lava Jato sejam destinados ao Plano Nacional de Imunização. A petição foi enviada ao ministro Ricardo Lewandowski.

No documento, os parlamentares que integram o Movimento Acredito reforçam pedido feito em liminar, em dezembro de 2020, pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

“O uso desses fundos é absolutamente necessário para evitar ainda mais mortes”, afirmam os integrantes do movimento.

Na petição ao STF, eles declaram que, como parlamentares, são testemunhas de que até o momento ainda não ocorreu a liberação de verba suficiente pelo governo federal para garantir o sucesso da vacinação contra a Covid-19 no Brasil.

Carmen avalia como “acertada” decisão do Brasil participar de consórcio de vacinas

“Com respeitabilidade na área de imunização, o país não poderia ficar fora do bloco multilateral” (Foto: Robson Gonçalves)

A deputada Carmen Zanotto (25), relatora da Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19, avaliou nesta sexta-feira (25)  como “acertada” a decisão do governo de oficializar  a participação do Brasil na aliança global coordenada pela  (Organização Mundial da Saúde) que  reúne fabricantes e mais de 150 países para garantir o desenvolvimento de vacinas contra o novo coronavírus.

“Foi uma decisão acertada. O Brasil, com toda sua história e respeitabilidade internacional na área de imunização, não poderia ficar de fora desse consórcio multilateral”, comemorou.

A adesão foi  sacramentada com o enviou ao Congresso da MP 1003/2020, que autoriza  participação no acordo multilateral. Também foi editada outra proposta (MP 1004/2020) que prevê a liberação de R$ 2,5 bilhões para financiar os custos do ingresso do Brasil no Covax Facility.

“Agora, cabe ao Congresso Nacional deliberar essas medidas que selam a nossa participação”, afirmou Zanotto.

Adesão garante acesso a nove vacinas em desenvolvimento contra a Covid-19.