Mulheres serão responsáveis pela maior renovação do Cidadania nas eleições de outubro, diz Roberto Freire

Segundo presidente do Cidadania, a ampliação do número de mulheres candidatas torna o partido mais representativo do conjunto da sociedade

Em live com as pré-candidatas a prefeitas pelo Cidadania nesta quarta-feira (15), o presidente nacional do partido, Roberto Freire, mostrou entusiasmo com a quantidade de mulheres que irão disputar as eleições municipais neste ano e disse que a ampliação da presença feminina nas urnas é um passo em direção a um partido mais representativo do conjunto da sociedade.

“São quase 100. Isso é um exército importante pro Cidadania, uma grande conquista. Acredito que é nessa eleição que teremos o maior processo de renovação, um ótimo sinal porque significa que estamos ampliando concretamente a participação da cidadania brasileira”, analisou, ao sustentar que o olhar feminino será essencial na construção de uma nova formação política.

Freire disse que o Cidadania trabalha para ser um partido mais plural e aberto, em que as mulheres ocupem o centro do debate político e participem da condução do país em meio aos muitos desafios que os novos tempos vem trazendo. Ao comentar a conjuntura política, ele  defendeu que as mulheres e homens do Cidadania construam o partido como alternativa democrática entre os extremos.

“Esse governo obscurantista precisa ser enfrentado com uma oposição firme. Isso não significa que o Cidadania votará sistematicamente contra tudo que vier do governo. Mas precisamos ser um partido que aponte para o futuro como alternativa”, defendeu Freire.

Durante o encontro, a coordenadora da Secretaria de Mulheres do Cidadania, Tereza Vitale, disse que o partido está aproveitando o ano eleitoral para ampliar a participação feminina na legenda.

“Por causa das eleições municipais estamos com uma lista de candidatas de excelente qualidade. O Cidadania está envolvido, o que é importante. Se temos apoio, vamos em frente. Mulher gosta de política. Estamos vendo que um bom trabalho da M23 está atraindo mulheres de muita qualidade”, elogiou.

A secretária do M23 no Ceará, Raquel Dias, também comemorou o crescimento de candidaturas de mulheres nessas eleições municipais.

“Vocês que estão nos municípios sabem as dificuldades que as populações estão passando. Estamos atraindo novos nomes, isso é um bom sinal. O Cidadania vem se transformando para atrair mais mulheres. É um partido que deu voz a essas mulheres que estão hoje secretárias nacionais. Espero que a gente pense também em 2022. Vocês que estão se colocando como pré-candidatas a prefeitas saibam que a próxima luta também é muito grande e deve ser levada em conta nesse momento”, observou.

Covid-19: Mulheres do Cidadania se destacam no enfrentamento à pandemia

Para Tereza Vitale, secretária do M23, Eliziane, Carmen e Paula dão orgulho ao partido com sua atuação no Congresso Nacional

As mulheres do Cidadania têm se destacado na formulação de propostas de combate ao coronavírus e de socorro aos mais vulneráveis atingidos pela crise provocada pela doença. A Secretária de Mulheres do Cidadania (M23), Tereza Vitale, avalia o engajamento das parlamentares do partido no enfrentamento da pandemia.

“Elas estão afinadas com as recomendações de ordem mundial para que o bem-estar das pessoas seja preservado, e que os efeitos desta doença letal sejam os menores possíveis, aliviando física e emocionalmente todos os que por ela forem afetados. As nossas mulheres na política nos orgulham”, diz.

Líder do partido no Senado, Eliziane Gama está trabalhando pela manutenção do isolamento social como forma de minimizar os efeitos da crise, principalmente sobre os mais pobres. Gama engrossa o coro dos que defendem o aumento do gasto público para atender a essa população. “Neste momento de crise, é fundamental que o gasto público chegue ao bolso dessas populações minoritárias do Brasil”, sustenta.

Uma das medidas apresentadas pela senadora é o Projeto de Lei Complementar (PLP 50/2020), que institui imposto sobre grandes fortunas e empréstimo compulsório para garantir a proteção social. A estimativa é de que a arrecadação seja de até R$ 40 bilhões. Ela também propôs emenda à PEC 187/2019 para que 10% do superavit dos fundos públicos, hoje estimados em R$ 219 bilhões, sejam utilizados no atendimento ao trabalhador informal.

“A senadora tem afirmado contundentemente que precisamos pensar nas pessoas mais vulneráveis e salvar vidas. Suas medidas apontam efeitos imediatos para fortalecer a cultura solidária na economia brasileira”, elogia a secretária do M23.

Outro expoente na luta contra a pandemia é a deputada federal Carmen Zanotto (Cidadania-SC). Foi por iniciativa da deputada, autora do Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 87/20, que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) permitiu a venda de álcool etílico hidratado na graduação 70%, em embalagens de um litro, durante o período de emergência sanitária do coronavírus.

Zanotto ainda requereu que o Ministério da Saúde faça, com urgência, o pagamento de R$ 191 milhões de cirurgias eletivas realizadas no ano passado em todo o País. A deputada argumenta que é preciso mais união e menos disputa política. “Não podemos politizar o combate ao coronavírus. Só com união de forças poderemos enfrentar essa pandemia”, afirma.

Vitale destaca a participação da parlamentar na coordenação de ações da Comissão Externa da Câmara no combate ao novo coronavírus. “Carmem vem cumprindo sua função com toda a competência e generosidade que traz como profissional da saúde, liderando e coordenando estratégias contra com a Covid-19, em parceria com o ministro Mandetta,”, aponta.

Já a deputada federal Paula Belmonte (Cidadania-DF), em linha com o foco de sua atuação no Congresso, trabalhou pela aprovação do projeto que determina o fornecimento de merenda aos estudantes da rede pública enquanto durar a suspensão das aulas por causa da pandemia. “Muitas crianças só vão à escola por causa da alimentação. Não podemos deixar que falte a elas”, observa.

A medida é elogiada por Tereza Vitale, que também destaca a atuação de Belmonte na liberação da telemedicina durante o combate à pandemia. Conforme a secretária do M23, são todas ações de solidariedade e liderança na busca por políticas convergentes. “Elas trazem não só a sensibilidade exigida, mas a postura empática necessária para tranquilizar as pessoas, tomar medidas plausíveis e fortalecer a sociedade”, finaliza.

Mulheres do Cidadania celebram acordo de cooperação com a juventude do partido

No encerramento do 1º Encontro de Mulheres Jovens do Cidadania neste domingo (30), em Brasília, o núcleo de Mulheres M23 celebrou um acordo de cooperação (veja aqui) com o coletivo de juventude J23 por dois anos. O termo foi assinado pelas dirigentes Juliet Matos, secretária nacional do M23 e Indaiá Pacheco, da J23.

Raquel Dias (esq.), secretária do M23

Segundo Raquel Dias, organizadora do evento, integrante do M23 e do Igualdade 23, o acordo faz parte da estratégia de ação da Secretaria Nacional de Mulheres para o empoderamento feminino.

A dirigente disse que o desafio do acordo é dar voz às mulheres por meio de candidaturas femininas na eleição municipal de 2020, e fazer com que as participantes do encontro conquistem mais mulheres para a luta contra o preconceito e a consolidação de direitos.

“Queremos fazer valer o acordo para que de fato ele saia do papel e nos ajude a reforçar enquanto grupo social”, disse Raquel, ao agradecer a presença de representantes de mulheres jovens do partido de 15 estados no encontro.

Experiência Parlamentar

Integrantes do M23 durante o encontro

A deputada estadual do partido em Sergipe, Kitty Lima, e as vereadoras Jéssica Serra (Terra Roxa-PR) e Loreny Caetano Roberto (Taubaté-SP) falaram no encontro de suas experiências na política da atividade parlamentar. Elas relataram as participantes do encontro, em uma roda de conversar, suas experiências com a campanha eleitoral e as dificuldades partidárias e legais  para o exercício do mandato: preconceito, discriminação e machismo.

A secretária do M23, Tereza Vitale, disse que o núcleo está atento a questão do machismo nas instâncias partidárias e que o combate a essa prática dever ser enfrentadas por todas as mulheres do partido. “Nossa luta [contra o machismo] se dá no coletivo: uma fortalecerá a outra”, afirmou.

Redes e fake news

A última roda de conversa do evento foi sobre redes sociais e fake news, com o coordenador de Comunicação do Cidadania, Lairson Giesel, e a secretária do M23, Juliet Matos.  

Encontro foi encerrado neste domingo

Lairson abordou as mídias sociais e deu exemplos de como usá-las de forma responsável. Ele também defendeu que a tecnologia deve ser utilizada como ferramenta para combater a desinformação nas redes sociais. 

A fake news sobre os fatos de grande repercussão foi um dos temas abordados por Juliet. A dirigente chamou atenção para necessidade que se tem de prestar atenção aos grupos que propagam notícias falsas. Para ela, é preciso cada vez mais criar redes para denunciar fake news.  

Poesia

O encontro foi encerrado pelo Slam – DéF com a apresentação de poesias de temática feminina. No sábado (29), o grupo também se exibiu em um “batalha de poesias” entre as integrantes. 

1º Encontro de Mulheres Jovens: Formação política para o empoderamento feminino

O 1º Encontro de Mulheres Jovens do Cidadania foi aberto neste sábado (29), em Brasília, com a participação de representantes femininas do partido de 15 estados. Promovido pelo núcleo de Mulheres do partido M23, o evento dá sequência a estratégia de formação política das militantes para o empoderamento feminino na luta contra à violência e à discriminação no Brasil.

A mesa de abertura do encontro contou com a participação do presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire; da deputada estadual do partido em Sergipe, Kitty Lima; das vereadoras Jéssica Serra (Terra Roxa-PR), presidente da Câmara Municipal; Loreny Caetano Roberto (Taubaté-SP), 2ª vice-presidente da Câmara; Juliet Matos, Secretária Nacional do M23; e de Indaiá Pacheco, do núcleo de Mulheres e da Juventude 23.

Ao fazer a saudação , Raquel Dias (Igualdade 23 e M23), uma das organizadoras do encontro, falou sobre a “política inclusiva” da Secretaria de Mulheres de dividir recursos do núcleo com as “facetas femininas” dos demais agrupamentos do partido, como o Juventude 23, Igualdade 23 e Diversidade 23.

Encontro de Mulheres Jovens em Brasília

“As mulheres do Igualdade estiveram aqui na semana passada [no 1º Encontro de Mulheres Negras], as mulheres da J23 estão presentes nesta mesa”, reforçou.

Segundo ela, a estratégia da Secretaria de Mulheres é transformar sua “plataforma geral em plataforma inclusiva”.

“[É ]ouvir as especifidades das mulheres e permitir que as políticas públicas defendidas por nós, mulheres do Cidadania, sejam de inclusão de todas faces e desafios do que é ser mulher nesse País”, disse, ao explicar que ao final do encontro será celebrado um acordo de cooperação entre J23 e M23.

Roberto Freire lembrou que a vitória e conquista de qualquer movimento só acontecem quando ganham a sociedade. “Enquanto ele ficar só entre nós, ele se perde”, provocou, lembrando que o partido (PPS-PCB) foi o primeiro a discutir o aborto.

Mulheres do Parlamento

Deputada estadual Kitty Lima

A secretária nacional do M23, Tereza Vitale, destacou a importância da presença das mulheres no Parlamento. Ela disse que o encontro dá continuidade a formação política do grupo feminino do partido para a conquista de direitos e busca de espaços na política para o empoderamento das mulheres.

Após a abertura, as mulheres participaram de dinâmica de grupo e assistiram ao vídeo “Agradeça a uma feminista”. A programação do dia foi encerrada pelo grupo Slam – DéF, de Brasília, com uma “batalha de poesias”. O Slam – DéF também se apresentou no início dos trabalhos com poesias de temática feminina.

Participam do encontro representantes do Cidadania do Pará, Paraná, Amazonas, Espírito Santo, Maranhão, São Paulo, Sergipe, Piauí, Rio de Janeiro, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte e Distrito Federal.

Saúde e redes sociais

O 1º Encontro de Mulheres Jovens prossegue neste domingo (29) com relato do ex-deputado federal Arnaldo Jordy (Cidadania-PA) sobre os resultados da CPI do Tráfico de Pessoas no Brasil, roda de conversa sobre a saúde da mulher e o uso das mídias sociais com responsabilidade.