Cidadania confirma Carmen Zanotto como pré-candidata à Prefeitura de Lages (SC)

Deputada federal em terceiro mandato, a enfermeira Carmen Zanotto é pré-candidata do Cidadania à Prefeitura de Lages, Santa Catarina, sua terra natal, confirmou o Diretório Municipal do partido em reunião neste fim de semana.

Relatora da Comissão Externa da Câmara dos Deputados que acompanha o andamento do Coronavírus no País, Carmen diz que vai trabalhar em diálogo com os demais partidos na busca de um projeto comum para a cidade.

“Vamos buscar a construção de uma coligação com outros partidos e lideranças num projeto com o objetivo de desenvolvimento de Lages e em prol das pessoas”, adianta.

Conforme o presidente do Cidadania Municipal, ex-prefeito Toni Duarte, a parlamentar tem competência política e experiência em gestão para fazer uma grande administração em Lages. O Partido está representado na Câmara Municipal pelo vereador Maurício Batalha Machado.

Biografia

Formada em Enfermagem e Obstetrícia pela Faculdade do Alto Uruguai Catarinense e e em Saúde Pública pela Universidade de Ribeirão Preto, Carmen Zanotto foi secretária municipal de Saude de Lages e secretária estadual de Saúde de Santa Catarina. Na política, foi vereadora por Lages (SC), entre 2001 e 2004, e assumiu o primeiro mandato como deputada federal em 2011.

Na Câmara dos Deputados, foi presidente da Frente Parlamentar Mista da Saúde, Vice-presidente da Frente Parlamentar Mista da Primeira Infância, Vice-presidente da Frente Parlamentar Mista das Doenças Raras e Vice-presidente da Frente Parlamentar Mista das Micro e Pequenas Empresas.
É autora da Lei dos 60 dias, que garante aos pacientes com neoplasia maligna início do tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS) no prazo de até 60 dias. Também é dela a Lei do Registro Compulsório dos casos de câncer em todo o território nacional e a que garante pelo SUS a realização de mamografia a todas as mulheres, a partir dos 40 anos como exame de rotina.

Mulheres do Cidadania-SC promovem encontros em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

A Secretaria Estadual de Mulheres M23 de Santa Catarina promoveu, neste domingo (8), encontro e atos em quatro cidades do estado em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. Em Navegantes e Tubarão houve um café da tarde com palestra e confraternização, assim como a apresentação das pré candidatas.

Em Itajaí e Florianópolis a M23 foi até a praça mais movimentada dos respectivos municípios e fizeram panfletagem parabenizando pelo dia e convidando as mulheres a conhecerem o Cidadania. Em municípios como Macieira, Blumenau e Balneário Camboriú os eventos ocorrerão dentro do mês de março.

Os atos foram coordenados e fomentados pela Secretaria Estadual que forneceu o material, assim como mobilizou e incentivou as mulheres e os dirigentes municipais a promoveram atos e encontros.

Para uma das secretárias estaduais, Talien Stofelli Assis, que esteve a frente da mobilização “é imprescindível mobilizações como essas para reforçarmos a importância do papel social das Mulheres. Temos sim que comemorar as conquistas até aqui, mas é preciso reforçar que a nossa luta por igualdade é constante”. (Com informações da Secretaria Estadual de Mulheres M23-SC)

Vereador do Cidadania é pré-candidato a prefeito de São João Batista (SC)

O vereador da cidade de São João Batista (SC), Heriberto Eurides de Souza, o Betinho Souza (Cidadania), afirmou que é pré-candidato a prefeito nas próximas eleições de outubro. O parlamentar quer construir um nome para ser seu companheiro de chapa até o dia 4 de abril.

Membro da Executiva Estadual do Partido, o vereador Betinho comunicou na reunião que aconteceu no sábado (15) da sua intenção e recebeu apoio incondicional da deputada federal Carmen Zanotto, presidente do Cidadania de Santa Catarina.

Betinho foi candidato a deputado estadual em 2018 e consolidou sua liderança na região defendendo o voto pela renovação.

São João Batista

Com praticamente quarenta mil habitantes, o município é considerado o terceiro polo industrial calçadista do Brasil. Há ainda expressiva participação das indústrias de componentes para calçados. (Alisson Micoski)

Vereador do Cidadania assume Prefeitura de São Francisco do Sul (SC)

Prefeito interino disse que gestão será de continuidade, garantindo que as obras e os investimentos não vão parar no município (Foto: Reprodução/PMSFS)

Presidente da Câmara de São Francisco do Sul (SC), vereador Álvaro José Siebers, o Álvaro da Farmácia (Cidadania), assumiu o cargo de prefeito interino do município da cidade, no norte do estado, e que tem população de quase 43 mil habitantes. O ato ocorreu no início deste mês na sede do Legislativo local, em sessão extraordinária.

Em seu pronunciamento, Álvaro agradeceu primeiramente o seu partido, o Cidadania, e afirmando que a gestão será de continuidade, garantindo que as obras e os investimentos não vão parar no município.

Presidente estadual do partido, deputada federal Carmen Zanotto, em contato com o vereador licenciado Álvaro da Farmácia, ao lhe parabenizar, disse compreender o momento político e colocou-se ainda mais à disposição desejando ao prefeito interino pelo Cidadania que suas ações frente ao Poder Executivo sejam de muito trabalho e conquistas em prol da população de São Francisco do Sul, o município mais antigo do estado.

A sessão extraordinária para posse ocorreu exatamente 24 horas após a citação do prefeito Renato Gama Lobo e de seu vice-prefeito, Walmor Berreta Júnior, pelo Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina. Eles tiveram seus mandatos cassados após uma votação que foi concluída na última quinta-feira (30) e que também lhes deixaram inelegíveis até 2024.

Perfil

Álvaro Siebers é natural de São Francisco do Sul e tem 61 anos. Ele é sócio-proprietário da Farmácia Rodrigues, estabelecimento no Centro Histórico da cidade. Se candidatou pela primeira vez nas eleições municipais de 2016 pelo PPS (Partido Popular Socialista), que no ano passado passou a ser denominado Cidadania. O partido fazia parte da Coligação Uma São Francisco do Sul Melhor para Todos (PSD/ PT/ PR/ DEM/ PSDB/ PSB/ PV/ PP/ PSC/ PPS), o mesmo de Renato Gama Logo. Foi o candidato a vereador mais votado naquele ano, com 1.141 votos. (Com informações daComunicação do Cidadania/SC)

Juventude23 de Santa Catarina integra membros de movimentos cívicos do estado

No evento de planejamento do núcleo de jovens, foram realizadas oito filiações ao Cidadania de membros de grupos ligados a movimentos cívicos, sendo que três serão pré-candidatos a vereador nas eleições de 2020 (Foto: Reprodução)

Lideranças da Juventude23 do Cidadania de Santa Catarina promoveram a primeira reunião do núcleo jovem do partido no último sábado (23), em Balneário Camboriú. Participaram do encontro de planejamento de ações e metas da Juventude23 para 2020 representantes dos movimentos cívicos Livres e do Grupo de Educação para políticos do RenovaBR.

Os jovens aproveitaram para fazer um balanço da última gestão da Juventude23 e das ações promovidas em 2019. A Coordenação Provisória do núcleo no estado pretende retomar o protagonismo característico da juventude catarinense e participar de forma coletiva do Cidadania, defendendo uma agenda de políticas públicas para a juventude em sintonia o planejamento partidário.

A secretária estadual de Mulheres-M23, Talien Assis, e a representante do Diversidade-SC, Juliana Nogueira, participaram do encontro colaborando nas discussões e ajudando definir o conjunto de proposta, para a realização de encontro de formação de pré-candidatos dos órgãos de cooperação do Cidadania, no primeiro semestre de 2020.

A presidente estadual do Cidadania de Santa Catarina, deputada federal Carmem Zanotto, gravou mensagem aos jovens do encontro ressaltando a nova fase da Juventude23

“Nós do Cidadania precisamos olhar para frente, precisamos em algum momento pensar em sermos mais ousados nas nossas tomadas de decisão, e tenho certeza de que vocês da Juventude-23 tem essa garra, esse espírito e essa vontade de renovação”, disse.

Filiações

No evento, foram realizadas oito filiações de membros de grupos ligados a movimentos cívicos, sendo que três serão pré-candidatos a vereador na eleições municipais do ano que vem.

Para os integrantes da Juventude23 de Santa Catarina, o Cidadania vive uma nova fase na qual se busca mostrar de forma mais clara os seus princípios políticos de respeito à democracia, às diversidade e comprometimento com País.

“[Estamos] motivados em colaborar com esse novo momento formando um primeiro grupo de jovens de todo o estado que admiram e se identificam com as decisões e posturas dos parlamentares do Cidadania”, disse o coordenador estadual da Juventude23, João Flávio.

Ele ressaltou ainda que o Cidadania busca por meio do “debate democrático, da diversidade de pensamentos e atuação política construir um País menos desigual e de economia forte”.

Presidente do Cidadania critica ameaças contra participação de Miriam Leitão em feira de livro em Santa Catarina

O presidente do Cidadania, Roberto Freire (SP), criticou, nesta quarta-feira (17), ameaças feitas por internautas contra a participação da jornalista Miriam Leitão na 13º Feira do Livro de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina.

Para o dirigente, a violência virtual contra a participação da profissional é antidemocrática. Ele lembrou situações semelhantes praticadas por defensores do lulopetismo. Os organizadores do evento afirmaram que a decisão teve como objetivo proteger a integridade física da colunista.

“Isso [as ameaças] inviabiliza uma sociedade democrática. É preciso salientar de que também tivemos isso do lado do lulopetismo com algumas atitudes profundamente antidemocráticas como essa. Basta lembrar o exemplo da blogueira cubana [Yoani Sánchez] que foi impedida, também por balbucias desse tipo, de realizar palestras em alguns estados brasileiros. Tivemos também essa intolerância a um filme do astrólogo preferido de Bolsonaro, Olavo de Carvalho. Isso em nenhum momento pode servir como justificativa para que agora o façam”, disse.

Roberto Freire questionou se o País agora viverá  de “revanches” e destacou que a cultura é do contraditório, e que as diferenças precisam ser respeitadas.

“Vamos ficar um País de revanches todos os dias? Revanches antidemocráticas que inviabiliza o pensamento livre, de expressão do pensamento e de afirmação da cultura. A cultura é do contraditório. Não é pensamento único. Aquilo que me agrada pode não agradar outros e vice-versa. O respeito tem que ser a regra. Infelizmente em tempos de bolsonarismo isso tende a ficar mais grave ainda do que no tempo do lulopetismo”, afirmou.

Ameaças

A jornalista Miriam Leitão, e seu marido, Sérgio Abranches, haviam sido convidados a participarem da feira, mas a organização preferiu anunciar o cancelamento do convite após manifestações nas redes sociais contrárias a participação dos profissionais. Em nota, o coordenador da feira, Carlos Schroeder, lamentou o cancelamento e afirmou ter “vergonha de dizer” que não poderia garantir a segurança dos jornalistas.

Juventude do Cidadania de Santa Catarina repudia governador pela extinção de coordenação de jovens

A Juventude do Cidadania de Santa Catarina divulgou nota pública (veja abaixo) em repúdio a decisão do governador do estado, Comandante Moisés da Silva (PSL-SC), em extinguir órgão gestor da juventude. O documento critica a decisão e diz que o ato deixa de garantir aos jovens catarinenses ações executivas focadas em políticas públicas para o público alvo. A nota diz ainda que a decisão contraria o Estatuto da Juventude e pode causar insegurança jurídica.

NOTA PÚBLICA DA JUVENTUDE DO CIDADANIA DE SANTA CATARINA

MUNICÍPIOS DE ITAJAÍ, BALNEÁRIO CAMBORIÚ E FLORIANÓPOLIS

“Quando ceifamos a participação da juventude na política, estamos matando gerações inteiras de renovação, de participação democrática e do exercício pleno da cidadania!”

Consta do obituário das conquistas das políticas públicas para a juventude catarinense o dia de seu desaparecimento, aos 22 dias do mês de maio de 2019, tendo a aquiescência infelizmente, da Casa Legislativa, que talvez por não ter sido provocada por setores da própria juventude (fazemos nosso mea culpa), igualmente acabou por endossar a mortal proposta do Senhor Governador Carlos Moisés.

Espaço democrático e na defesa de direitos, a Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina tem em sua história ricos momentos de enfrentamento contra tentativas de reduzir conquistas, supressão de participações sociais e tantas outras atitudes que somente orgulham o povo catarinense.

Enquanto assistimos absortos que na esfera nacional, o Presidente da República, que por Decreto, acabou com conselhos de direitos, é no estado de Santa Catarina que a Reforma Administrativa do Governador Moisés alcança seu maior retrocesso, ao extinguir a Coordenação Estadual da Juventude, órgão responsável pela gestão de políticas públicas para a juventude de Santa Catarina.

Órgão este que foi uma luta de todas as forças politicas e da sociedade organizada para bem representar essa parcela tão importante do nosso estado na busca de politicas afirmativas de inclusão e de futuro, a simples extinção sem qualquer debate com a sociedade presta um desserviço à juventude catarinense. Foram mais de dez anos de batalhas e articulação política para que a lei 12.852 de 2013 fosse aprovada, assim como a PEC 138/03, dando um novo paradigma nas políticas públicas de estado e trazendo ao plano nacional um novo e importante debate, passando a existir o conselho Nacional da juventude e fortalecendo a Coordenadoria Nacional da Juventude.

A Juventude do Cidadania, sucessora da JPS/SC, teve papel relevante para que tal feito tivesse êxito, articulando com as mais diversas Câmaras de Vereadores do estado, onde diversas moções foram enviadas ao Congresso Nacional, construindo diálogo com os senadores a época, para que o projeto fosse colocado em votação e aprovado depois de anos de tramitação.

Outrossim, a aprovação feita pela Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, ALESC, ao ferir os princípios e diretrizes do Sistema Nacional da Juventude dá margem para insegurança jurídica, que poderá ser questionada, por deixar de possuir órgão estadual responsável em um momento crucial de debate de uma nova formatação de políticas públicas e do papel do estado. Em um momento que se discute ensino superior, novo ensino médio, verbas da educação, novo modelo penal, maioridade penal não ter um órgão legitimo de debate é cercear o direito e o futuro de milhões de jovens catarinenses.

Preocupa-nos a onda de retrocessos na liberdade e nos direitos individuais e coletivos, espantando-nos da docilidade permeada no Parlamento Estadual, e esperamos que estes vestígios ideológicos e populistas não cheguem ao nosso estado.

Portanto, defendemos o retorno da Coordenadoria Estadual da Juventude para que a mesma, subordinada ao Gabinete do Governador do Estado possa continuar sendo a representante legitima dos jovens catarinenses na busca de políticas públicas e na modernização do estado.

Saudações Cívicas e Democráticas,

Foz do Itajaí (SC), 23 de maio de 2019.

JUVENTUDE DO CIDADANIA

Itajai, Balneário Camboriú e Florianópolis