Roraima: Lenir Rodrigues é indicada pré-candidata a vice-prefeita de Boa Vista

O deputado federal e pré-candidato a prefeito de Boa Vista Ottaci Nascimento (SD) anunciou, nesta sexta-feira (11), a deputada estadual do Cidadania, Lenir Rodrigues, como pré-candidata a vice-prefeita na chapa. A decisão conta com o apoio de 19 parlamentares da Assembleia Legislativa e de 300 pré-candidatos a vereador de Roraima.

Em entrevista ao portal do Cidadania, a parlamentar afirmou ter recebido a indicação com “grande surpresa” e ressaltou que o anúncio impactou partidos de oposição. Para ela, a aliança é importante para o partido.

“Foi uma surpresa, principalmente para as outras chapas que agora tentam desconstruir esse projeto. Em menos de 24 horas surgiram diversas notícias falsas e nosso foco no momento é evitar que isso nos afete. Resolvi aceitar porque a composição contribui, ainda mais, para o fortalecimento do Cidadania aqui no estado”, disse.

Lenir Rodrigues adiantou que caso a chapa seja exitosa fará uma gestão compartilhada com Ottaci Nascimento.

“Não serei uma peça decorativa. Até porque possuo a experiência necessária para o cargo. Já fui secretária estadual de Educação duas vezes e defensora pública. Além disso, aceitei porque terei acesso a uma coordenação geral majoritária. Os deputados estaduais estão felizes por termos conseguido emplacar uma representante legislativa como pré-candidata ao Executivo municipal. Terei participação ativa na formulação do plano de governo da capital. O caminho está traçado e certamente com um bom trabalho só temos a crescer”, adiantou.

A parlamentar destacou ainda os trabalhos realizados pelo Cidadania voltados às próximas eleições.

“Inicialmente estávamos com nominata de vereadores em 100% dos municípios, mas decidimos abrir mão em dois deles. Logo, dos 15, iremos disputar em 13. Pretendemos eleger vereadores em todas as cidades que iremos disputar aqui no estado”, reforçou.

Em gesto de aproximação, Tabata apoiará pré-candidatura de Malu Molina pelo Cidadania

Assessora política da deputada federal, Molina simboliza fortalecimento, renovação e aproximação do partido com a sociedade, diz Carlos Fernandes, presidente da legenda na cidade de São Paulo (Foto: Reprodução)

Anunciada neste sábado (4), a chegada da cientista política Malu Molina ao Cidadania, pelo qual disputará uma vaga de vereadora em São Paulo, marca o fortalecimento das bandeiras do partido na cidade. A avaliação é do presidente municipal do Cidadania, Carlos Fernandes, para quem a deputada estadual suplente “simboliza a renovação” que a legenda busca desde que se abriu a movimentos cívicos como RenovaBR e Agora.

Malu terá o apoio da deputada federal Tabata Amaral (SP), hoje no PDT, de quem é assessora política. O gesto é mais um passo na aproximação entre a parlamentar e o Cidadania, observa Fernandes.

“Esperamos, mais à frente, continuar o diálogo com a Tabata para o futuro. Por ora, estamos muito felizes em receber o reforço da Malu como candidata, uma demonstração de que somos competitivos e vamos ampliar o número de cadeiras em outubro”, comemorou Carlos Fernandes.

Cidadania em SP vai apoiar candidatura do prefeito Bruno Covas, diz Fernandes (Foto: YouTube)

Segundo ele, o Cidadania terá “chapa completa” em São Paulo em apoio à pré-candidatura do prefeito Bruno Covas (PSDB), com perspectiva positiva de ter na vice o ex-secretário de Cultura Alê Youssef, também recém-filiado ao partido.

“Estamos conversando com os partidos da aliança para lançá-lo a vice, mas é uma definição que será tomada mais à frente. Oferecemos a aliança, mas não impusemos nomes. O prefeito está concentrado agora no combate ao coronavírus”, diz.

Perfil

Nascida e criada na Vila Mazzei, extremo norte da capital paulista, Malu Molina, 26 anos, é cientista política e atua como coordenadora política no mandato da deputada federal Tabata Amaral. Ocupa o posto de segunda deputada estadual suplente, após disputar eleição pela primeira vez em 2018 e obter 17.721 votos.

É líder nos movimentos de renovação política Raps, RenovaBr e Acredito. Começou a trabalhar aos 15 anos com vendas e costura, o que a motivou a escolher o curso de moda. Com bolsa de estudos, foi a primeira de sua família a fazer faculdade, e ao sair da sua comunidade para estudar e trabalhar fora, se deparou com uma outra São Paulo: rica, cheia de oportunidades, mas extremamente desigual.

Emendou a faculdade de moda com a de ciência política com um único foco: estudar e trabalhar para reduzir as desigualdades. Foi pesquisadora do tema (CNPq), eleita para o Conselho Municipal Participativo da Prefeitura Regional de Santana/Tucuruvi/Mandaqui, trabalhou na Secretaria de Direitos Humanos do município, dentre outras experiências no setor privado.

Cidadania confirma Carmen Zanotto como pré-candidata à Prefeitura de Lages (SC)

Deputada federal em terceiro mandato, a enfermeira Carmen Zanotto é pré-candidata do Cidadania à Prefeitura de Lages, Santa Catarina, sua terra natal, confirmou o Diretório Municipal do partido em reunião neste fim de semana.

Relatora da Comissão Externa da Câmara dos Deputados que acompanha o andamento do Coronavírus no País, Carmen diz que vai trabalhar em diálogo com os demais partidos na busca de um projeto comum para a cidade.

“Vamos buscar a construção de uma coligação com outros partidos e lideranças num projeto com o objetivo de desenvolvimento de Lages e em prol das pessoas”, adianta.

Conforme o presidente do Cidadania Municipal, ex-prefeito Toni Duarte, a parlamentar tem competência política e experiência em gestão para fazer uma grande administração em Lages. O Partido está representado na Câmara Municipal pelo vereador Maurício Batalha Machado.

Biografia

Formada em Enfermagem e Obstetrícia pela Faculdade do Alto Uruguai Catarinense e e em Saúde Pública pela Universidade de Ribeirão Preto, Carmen Zanotto foi secretária municipal de Saude de Lages e secretária estadual de Saúde de Santa Catarina. Na política, foi vereadora por Lages (SC), entre 2001 e 2004, e assumiu o primeiro mandato como deputada federal em 2011.

Na Câmara dos Deputados, foi presidente da Frente Parlamentar Mista da Saúde, Vice-presidente da Frente Parlamentar Mista da Primeira Infância, Vice-presidente da Frente Parlamentar Mista das Doenças Raras e Vice-presidente da Frente Parlamentar Mista das Micro e Pequenas Empresas.
É autora da Lei dos 60 dias, que garante aos pacientes com neoplasia maligna início do tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS) no prazo de até 60 dias. Também é dela a Lei do Registro Compulsório dos casos de câncer em todo o território nacional e a que garante pelo SUS a realização de mamografia a todas as mulheres, a partir dos 40 anos como exame de rotina.

Loreny Roberto é pré-candidata do Cidadania à Prefeitura de Taubaté (SP)

Vereadora diz que se for eleita sua gestão será pautada pela responsabilidade com o dinheiro do contribuinte (Foto: Reprodução)

A vereadora de Taubaté (SP) do Cidadania, Loreny Roberto, é a pré-candidata do partido para disputar à Prefeitura do município. Em entrevista ao Portal do Cidadania, a parlamentar destacou os principais problemas enfrentados pela cidade e adiantou como pretende pautar sua gestão à frente ao Executivo municipal, caso seja eleita.

Loreny Roberto destacou que o principal problema enfrentado pela cidade é a saúde pública. Ela pretende dar mais atenção à prevenção e ao bem-estar da população. Para ela, é preciso dar “mais atenção às pessoas e não às doenças”. Além disso, a vereadora disse que pretende diversificar a economia que, segunda ela, é muito focada na indústria.

A parlamentar disse ainda na entrevista a seguir que sua eventual gestão será pautada pela responsabilidade com o dinheiro do contribuinte. Lorenny afirmou que é possível fazer mais e com qualidade com o Orçamento municipal já existente.

Por que disputar a Prefeitura de Taubaté?

Loreny Roberto – Taubaté é uma cidade maravilhosa, mas infelizmente conta com o mesmo grupo político governando a cidade há décadas. A cidade cansou disso e já está na hora de mostrarmos que tem gente de Taubaté, nascida aqui como eu, que possui competência e capacidade para resolver os grandes problemas, antigos e persistentes, que temos na cidade até hoje.

É por isso que eu disputo à Prefeitura de Taubaté, para poder mostrar para população que é possível fazer mais e melhor com os mesmos recursos, com o orçamento excelente que Taubaté tem. É uma cidade rica, com uma população que é boa pagadora de impostos. [Sou candidata para] mostrar que podemos melhorar a qualidade dos serviços públicos e do atendimento das pessoas, sem perseguições ou favoritismos para “chegados” e sem política errada e velha.

A ideia é favorecer as pessoas e conseguir construir uma cidade muito melhor para as pessoas viverem. A cidade já e boa e o melhor de Taubaté é a nossa gente. Temos cidadãos muito engajados em diversas causas: artistas e pessoas que cuidam de projetos sociais incríveis, e tudo graças ao taubateano. Com uma administração pública que seja à altura do povo de Taubaté, a nossa cidade tem chance de garantir a melhor qualidade de vida do País, sem dúvidas.

Em sua opinião, quais são os principais problemas da cidade?

Com base no que escuto da população sendo vereadora e representante das pessoas, pois eu gosto de trabalhar com dados e evidencias. Gosto de andar e viver a cidade. Mas sem medo de errar, o principal problema hoje é a saúde que não trata com dignidade as pessoas. Por falta de informação e comunicação, faz as pessoas esperarem tempo demais. A gente tem doenças que se agravam muito porque não é cuidada na atenção básica, na prevenção. Deveríamos cuidar da saúde das pessoas e não das doenças. Temos condições, recursos e profissionais competentes o suficiente para cuidar das pessoas antes delas adoecerem, para que não tenhamos gasto e sofrimento quando as doenças ficam complexas e graves.

Temos também o problema do desemprego. Precisamos alternar a economia do município. Durante muito tempo, e de forma equivocada, [a cidade] se pautou exclusivamente na indústria e agora vemos muitas demissões. Temos vocação turística e cultural muito grande que precisam ser exploradas por meio da economia criativa. Temos grandes condições de fazer isso, além de colocar em prática tecnologias sociais aproveitando a mão de obra do município, para resolver problemas e executar serviços públicos, ao invés de contratar serviços terceiros que muitas vezes são de fora da cidade, e leva o Orçamento da cidade para fora. Vamos priorizar a geração de emprego de dentro da cidade prioritariamente.

Também temos a questão da segurança pública. Embora alguns indicadores digam que têm melhorado, a sensação das pessoas é de insegurança com roubos, furtos etc.

E por fim um ponto que a população não reclama muito, mas que para mim é prioritário, é a educação. A população não tem reclamado porque aqui o ensino é integral e a merenda funciona muito bem. Tudo o que é bom eu reconheço e manterei. Contudo, a qualidade do aprendizado em Português e Matemática é vergonhosa e vem “emburrecendo” as nossas crianças e jovens. Uma educação que deixa a desejar para nos tornarmos competitivos, e para que a nossa cidade possa se desenvolver ainda mais.

Caso eleita, como será pautada a sua gestão?

Sendo eleita a gestão da cidade será pautada pela qualidade do gasto publico. O orçamento público é a palavra chave. O povo não quer saber de Estado máximo ou mínimo. O povo quer sabe de Estado eficiente, quer os problemas resolvidos. Quer que os problemas do cotidiano sejam resolvidos.

A gestão será pautada pela responsabilidade com o dinheiro do povo e com participação popular. Uma gestão que escuta antes de se intrometer a fazer coisas. Antes de inverter a mão [da rua], vamos consultar as pessoas, ouvir o comércio e conselhos. Eles terão vez e voz para construirmos juntos uma cidade melhor. Quem vive a cidade e os problemas é quem está mais habilitado a opinar sobre eles [os problemas]. Uma cidade participativa, contra polarização e resolvendo os problemas com um Orçamento público bem gerenciado, com eficiência e qualidade.

Como o Cidadania poderá contribuir na sua gestão?

O Cidadania é um partido democrático que contribui com a resposta que acabei de dar. Oferecer um caminho eficiente, verdadeiro, realista e equilibrado. O equilíbrio é importante em todas as esferas da vida humana. Não podemos exagerar nas coisas porque os excessos costumam fazer mal ao ser humano. O Cidadania é um partido de equilíbrio e com boas experiências, como a do prefeito Luciano Rezende, de Vitória [ES], com resultado incrível, constatado e reconhecido. O partido tem quadros e experiências para compartilhar e contribuir, além de sua própria natureza, de ser republicano, defendendo todos os lados e as diversas opiniões.

Perfil

A vereadora Loreny Roberto é mestranda em Gestão e Desenvolvimento Regional na Universidade de Taubaté. Ela é especialista em Controle da Gestão Pública Municipal pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e bacharel em Gestão de Políticas Públicas pela USP (Universidade de São Paulo).

Foi eleita vereadora para a 17ª Legislatura (2017 a 2020), com 1.260 votos pelo PPS (Partido Popular Socialista), hoje Cidadania. Em fevereiro de 2019, sucedeu o vereador Bilili de Angelis (PSDB) no cargo de 2ª vice-presidente da Mesa Diretora da Câmara Municipal.

Loreny é co-criadora da Planus do Brasil, negócio social para o fortalecimento de cidades que atua implementando ferramentas de gestão democrática para os municípios, principalmente da Região Metropolitana do Vale do Paraíba com foco em processos participativos para transformação e ampliação das capacidades.

Isteiner Abreu é pré-candidata a prefeita do Cidadania em Divinópolis (GO)

Isteiner Abreu com o presidente do Cidadania, Roberto Freire; pré-candidata atua na área social (Foto: Reprodução)

O Cidadania vai disputar a eleição municipal de 2020 em Divinópolis (GO) com a pré-candidata a prefeita Isteiner Abreu. Em entrevista ao Portal do Cidadania (veja abaixo), Isteiner disse que tem como objetivo contribuir com a melhoria da qualidade de vida na cidade.

Ela destacou que o principal problema hoje em Divinópolis é o desemprego, além da saúde e educação que precisam ser melhoradas. Isteiner, que atua na área social, adiantou que caso seja eleita fará uma gestão focada nos menos favorecidos. Ela pretende atrair um polo de nível superior para garantir que os jovens invistam na formação acadêmica e continuem na cidade.

Por que disputar a Prefeitura de Divinópolis?

Eu trabalho há muito tempo na área social do município e trabalhei como chefe de gabinete da Prefeitura. Identifiquei que em alguns pontos é possível, sim, fazer mais pelo município e desenvolver um bom trabalho, principalmente dar suporte para as pessoas mais vulneráveis. Fazer uma boa política e exercer a cidadania. O meu objetivo é contribuir para o município.

Em sua opinião, quais são os principais problemas do município?

Um dos principais problemas é a geração de renda. Essa é a nossa maior dificuldade. Também temos a questão da saúde e educação que podem ser melhorada. Mas o nosso maior problema sem dúvidas é o desemprego.

Caso eleita, como será pautada a sua gestão?

A minha gestão será focada nos menos favorecidos da população, nas pessoas que precisam de oportunidades. A juventude também precisa ser trabalhada, porque muitos desses jovens mudam da cidade para estudar na faculdade em cidades vizinhas, e acaba que o município não cresce. É preciso trabalhar a geração de renda, trazendo empresas para atrair essas pessoas a ficarem na cidade. Também é preciso amparar essas pessoas que buscam por saúde e educação de qualidade. Na questão da juventude, precisamos atrair um polo de alguma faculdade para o município.

Como o Cidadania poderá contribuir na sua eventual gestão?

Vejo no Cidadania a questão da fidelidade e compromisso, que é muito importante. Eu vi no partido esse compromisso. Não é um partido que surgiu agora. Ele tem história. Eu acredito que o Cidadania vai me dar esse respaldo de transmissão para aquelas pessoas que também vão me apoiar. Uma gestão de credibilidade.

Perfil

Isteiner Abreu, 42 anos, casada, natural de Divinópolis de Goiás e formada em Assistência Social. Servidora publica municipal há mais de 19 anos, exerceu cargo de confiança como chefe de Gabinete por dois mandatos consecutivos. Foi secretária municipal de Assistência Social, por dois mandatos e prestou serviços por quatro anos no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) em Brasília-DF.

Danielle Garcia: ‘Aracaju precisa passar a limpo o que foi feito nas últimas gestões’

Pré-candidata a prefeita do Cidadania diz em entrevista exclusiva ao “Jornal da Cidade” que propostas para a capital de Sergipe serão pautadas na “legalidade, na transparência, na moralidade e eficiência administrativa e, principalmente, no diálogo com os cidadãos” (Foto: Reprodução)

Jornal da Cidade

A afirmação é da delegada Danielle Garcia, e ao que parece este será um dos motes da sua pré-candidatura à Prefeitura de Aracaju. Seu nome foi confirmado pelo Cidadania para disputar o cargo. Logo após ela concedeu esta entrevista exclusiva ao JORNAL DA CIDADE, a primeira na condição de pré-candidata. Na conversa, Danielle garante que não pensou em buscar apoio político de Sérgio Moro (a quem elogiou) ou do presidente Bolsonaro.

Ela se mostrou disposta buscar alianças, mas fez ressalvas: “Não iremos dialogar com quem possui ficha suja, afetos às práticas ilícitas e interessados apenas no próximo mandato”. Por fim, a pré-candidata afirmou que irá acabar com o uso político da Secretaria de Saúde e que fará uma minuciosa avaliação das contas e dos contratos firmados pela prefeitura. Confira abaixo.

JORNAL DA CIDADE – Em nome de qual projeto a senhora se apresenta para disputar a Prefeitura de Aracaju?

DANIELLE GARCIA – O nosso projeto parte da premissa de que a nossa atuação esteja sempre, em todas as hipóteses, pautada na legalidade, na transparência, na moralidade e eficiência administrativa e, principalmente, no diálogo com os cidadãos. Há muito o que se fazer nas mais diversas áreas, mas as velhas práticas impedem o uso completo, racional e efetivo das verbas públicas e consequentemente impacta na entrega de serviços básicos. A prefeitura de uma capital como nossa Aracaju pode entregar muito mais para toda a população, e isso será possível quando tivermos uma gestão eficiente, com planejamento e ações construídas, com a participação da população, para atender às necessidades dos aracajuanos e aracajuanas, sem vínculo com as velhas práticas do sistema. Nossa prioridade é mudar a gestão, escutar a população, entregar os melhores serviços e cumprir a missão de fazer Aracaju avançar mais.

JC – Quem defende a sua candidatura hoje? Quais lideranças, partidos…?

DG – Nossa pré-candidatura foi construída coletivamente. O Bloco Unidos por Aracaju é a semente desse propósito de mudança. Além dos parceiros do Cidadania, senador Alessandro Vieira, os deputados estaduais Georgeo Passos, Kitty Lima, Samuel Carvalho e nosso ex-vereador de Aracaju Dr. Emerson, estamos construindo coletivamente com nossa amiga, a vereadora Emília Corrêa (Patriotas), e com o empresário Milton Andrade (Novo). Mas principalmente minha pré-candidatura foi confirmada pela voz da população. Uma missão que assumo feliz e confiante, porque o desejo de mudar nossa capital também é meu.

Pré-candidatura de Danielle foi lançada na última segunda-feira (Foto:Reprodução)

JC – Por que esse grupo definiu o seu nome para a disputa? Foi uma imposição do senador Alessandro? Como foi este processo?

DG – Nunca houve qualquer tipo de imposição, de quem quer que fosse. Essa é uma ilusão que tentam criar, mas sem respaldo. O senador Alessandro é meu amigo e colega da Polícia Civil, compartilhamos ideais e valores, trabalhamos juntos para combater a corrupção em nossa capital e em Sergipe. Ele sempre me apoiou como amigo, na vida profissional e incentivou minha participação na vida política. A decisão de colocar meu nome à disposição dos aracajuanos como pré-candidata a prefeita da cidade foi uma decisão interna minha. Senti o chamado para contribuir com a gestão da minha cidade. Tenho minha profissão e sou muito realizada nela, graças a Deus em quase 20 anos como delegada da Polícia Civil realizei meu trabalho com os melhores resultados e isso é reconhecido pelas pesquisas, quando escutamos a população. Agora chegou um novo momento, Aracaju pode mais, precisa passar a limpo o que foi feito nas últimas gestões e iniciar uma nova história. No Bloco Unidos Por Aracaju, o processo de escolha dos pré-candidatos partiu das análises das pesquisas realizadas e de discussões em grupo. Foi uma decisão tomada com muito cuidado, respeito e bastante discutida internamente.

JC – A senhora pretende ampliar o arco de alianças? Quais são os políticos e partidos que estão na mira?

DG – Estamos abertos ao diálogo, pois faz parte da essência da política, porém as alianças serão feitas com base nos princípios da ética e da legalidade e em concordância ao nosso programa de governo. Não iremos dialogar com quem possui ficha suja, afetos às práticas ilícitas e interessados apenas no próximo mandato, sem qualquer atenção com as necessidades dos aracajuanos. Essas são as principais restrições. Mas buscaremos sempre pessoas e grupos que estejam alinhados com o nosso propósito de fazer uma gestão pública transparente, focada em metas, baseada em evidências e com a participação da população.

JC – Há algum partido, grupo ou nome vetado, na busca por alianças?

DG – Como respondi na pergunta anterior, nossa construção é feita por pessoas com compromisso ético, não tem aliança com ficha suja, corruptos, afetos às práticas ilícitas e interessados apenas em se perpetuar no poder.

JC – Teremos uma chapa puro-sangue? Caso positivo, não há um prejuízo do ponto de vista da logística, fundo eleitoral?

DG – A melhor aliança, sem sombras de dúvidas, é com a sociedade, e temos diversos exemplos no Brasil e especialmente aqui em Sergipe, que quando a população quer mudar isso é possível. Temos criatividade, equipe e voluntários para fazer essa campanha acontecer.

JC – A oposição ao prefeito Edvaldo Nogueira poderá sair unida? Estão conversando com Valadares Filho, que recebeu o seu apoio na reta final da última campanha para o governo?

DG – Iremos dialogar com todos que queiram instaurar um novo tempo em Aracaju e passar a limpo tudo o que foi feito até aqui. Se houver alinhamento e concordância com a nossa proposta de governo, certamente haverá um caminho para estarmos juntos. Mas todas as relações precisam ser construídas.

JC – Como avalia o anúncio de que o PT terá candidato em Aracaju?

DG – Cada partido tem o direito de ter seus próprios candidatos.

JC – A senhora espera contar com o apoio do presidente Jair Bolsonaro e do ministro Sérgio Moro?

DG – Durante todo o processo de construção desse grupo, nunca pensamos em angariar apoio dessa natureza, porque imaginamos que as ideias e o projeto de trabalho já estão bem definidos. Com relação ao ministro Sérgio Moro, homem sério e abnegado, o que posso dizer é que serei eternamente grata pelo convite para trabalhar em Brasília, bem como por todo aprendizado durante esses últimos oito meses.

JC – Quais seriam hoje os dois principais problemas da capital e quais soluções a senhora apresentaria?

DG – O transporte público e a saúde precisam urgente de reformulações. Quanto ao transporte público, temos uma das tarifas mais caras do Brasil e um serviço de péssima qualidade, além de uma licitação que não sai do papel, totalmente contaminada. A saúde é uma tragédia, os postos não funcionam de forma adequada, temos um desperdício de materiais e a população insatisfeita com o atendimento. É preciso investir num plano de mobilidade urbana e realizar a licitação para melhorar o serviço. Quanto à saúde, vamos acabar com o uso político da Secretaria de Saúde, investir na saúde básica e no saneamento.

JC – Como prefeita, a senhora pretende ser também delegada, no sentido de comandar investigações de dentro da PMA? A senhora pretende esmiuçar as contas da prefeitura?

DG – Diria que a minha essência de investigadora não me permitirá fazer uma gestão sem uma minuciosa avaliação das contas e dos contratos firmados pela prefeitura, especialmente aqueles vigentes há anos e com preços que superam e muito os praticados no mercado. Com transparência, reformularíamos todas as contratações, de modo que não houvesse desperdícios de dinheiro público, que precisa ser bem aplicado nas áreas necessárias: educação, saúde, transporte, mobilidade urbana e tantas outras. Uma boa gestão passa necessariamente por uma atuação transparente, legal e pautada nas reais necessidades do povo.

Fonte: http://jornaldacidade.net/politica/2020/02/315361/danielle-garcia-aracaju-precisa-passar-a-limpo-o-que-foi-.html

Márcia Teston se lança pré-candidata pelo Cidadania para a disputa em Santa Maria (RS)

‘Santa Maria é uma cidade atenta ao olhar da população e tenho experiência como gestora’, diz a professora (Foto: Reprodução)

A professora e ex-secretária municipal adjunta de Cultura de Santa Maria (RS), Márcia Teston, pretende disputar a Prefeitura da cidade gaúcha pelo Cidadania em 2020. Márcia Teston defende um olhar diferenciado para a gestão pública focando nas potencialidades da cidade, com enfoque na cultura, arte e turismo.

Para ela, o desenvolvimento dessas áreas permitirão o pleno desenvolvimento da cidade para melhorar a saúde, educação e segurança pública. Além disso, ela entende necessário a realização de gestão compartilhada atenta às demandas da população.

Márcia Teston ainda destacou as qualidades do Cidadania que tem buscado focar o futuro e garantir a liberdade de seus filiados e candidatos.

Perfil

Márcia Erichsen Teston é natural de Porto Alegre. Casada com Luiz Fernando Baltar. Têm dois filhos, dois netos. Professora estadual e universitária. Formação em Magistério, Língua Portuguesa, Literatura e Música. Pós Graduação em Língua Portuguesa, Folclore e Tradição. Mestrado em Gestão Educacional. Coordenadora do Centro de Letras do IESAU, banca de Redação UFSM. Presidente da AILA (Academia Iraiense de Letras e Artes), Membro Efetivo da Academia Internacional ALPAS 21. Diretora de Escola por duas gestões, Coordenadora Regional de Educação 8ª CRE, Secretária Adj da Cultura, Esporte e Lazer de Santa Maria, Diretora Cultural da SABB (Sociedade Amigos do “Boi de Botas” Memorial Mallet), Diretora do Departamento Cultural da 13ª Região Tradicionalista, Coordenadora da Biblioteca Pública de Santa Maria, Patroa do Piquete TERRA. Escritora do Natal Gaúcho Solidário e livros de poesia, crônicas, documentários e infantil (bilíngue). Compôs Hino da Escola Medianeira e Irmão José Otão. Participação em Coletâneas, Jornais Literários e Regionais. Atuante nas áreas de Gestão, Motivacional, Educacional, Artística, Folclórica e Tradicionalista. Homenageada com Destaque Municipal como Professora e Mulher Empreendedora, Medalhas e Moções de Reconhecimento Civis e Militares, destacando-se Título de Embaixadora da Solidariedade, a Comenda da Ordem do “Boi de Botas”, a Comenda de Insigne Colaboradora do Exército Brasileiro, o Troféu Roda Brasil Toque de Letras e Artes, Destaque Comenda Educacional e Cultural da ASAMCO e a Comenda Personalidade Cultural 2019 RS ALPAS 21.

Entrevista

Por que disputar a prefeitura do seu município? 

Eu vejo que a força da mulher está muito reconhecida. Acredito na competência e sensibilidade da mulher. Santa Maria é uma cidade atenta ao olhar da população e tenho experiência como gestora. Sem gestão não chegamos em lugar algum. Gosto do desafio da política séria e bonita.

Na sua opinião, quais são os principais problemas no município? 

O primeiro problema de Santa Maria que eu vejo é a falta de atenção no sentido de promoção da vida, um olhar mais voltado para o cidadão. Falamos de segurança e educação, mas isso já é obrigação do gestor. A localização geografia de Santa Maria precisa de um outro olhar. Se tivermos renda com cultura , arte e turismo, a saúde e educação vão andar. Vejo a cidade com um olhar mais amplo e carinhoso. Santa Maria é uma terra que tem muito e é pouco explorada. Creio que se unirmos os diversos segmentos, Santa Maria seria um polo muito diferente.

Caso eleita, como será pautada a sua gestão? 

Uma das minhas características é falou cumpriu. Missão dada, missão cumprida. Quero me pautar conversando com as pessoa, olhando de perto, visitando e conhecendo a necessidade das pessoas. A partir daí termos um foco na saúde, educação e turismo. Temos uma cidade universitária que é preciso ser explorada. Podemos fazer muitos convênios e projetos em conjunto. Nós temos que trabalhar nesse sentido.

Como o Cidadania poderá contribuir na sua gestão? 

Pode contribuir muito. Chego agora no Cidadania e gostei muito das filosofias e ideias. Conheci o partido por meio da Any [Ortiz, deputado estadual do Cidadania]. Uma pessoa, além de carismática, competente. Vemos o resultado do trabalho dela. Enxergo o Cidadania nem como um partido de direita ou esquerda. É bom partido que quer ir para frente e preocupado com as pessoas. O Cidadania nos dá essa possibilidade de ser livre e olhar para a frente.

Yula Merola é pré-candidata a prefeita do Cidadania em Poço de Caldas (MG)

Pré-candidata defende a implementação de administração pública enxuta e transparente (Foto: Reprodução)

O Cidadania de Minas Gerais vai disputar a prefeitura de Poços de Caldas em 2020 com o lançamento da pré-candidata, Yula de Lima Merola. Formada em Farmácia Bioquímica e ex-presidente do Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais, Yula afirmou em entrevista ao portal do Cidadania (veja abaixo), que a sua maior preocupação será a população e que pretende adotar políticas de estado e não de governo na sua gestão. Para ela, é necessário pensar na cidade em longo prazo e não apenas focar em uma única área.

Yula defendeu a implementação de uma administração pública enxuta e transparente. Ela destacou que, caso eleita, discutirá os problemas da cidade de forma cooperativa e adiantou que realizará um pacto social. Segundo a pré-candidata, a nova administração municipal precisa ser atual, moderna, sintonizada, equilibrada para valorizar a história do município.

Ao ser questionada como o Cidadania poderá contribuir na gestão municipal, Yula Merola afirmou que a legenda, por ser um partido forte e estável, desempenhará um papel importante na governabilidade, seja no Executivo como também do Legislativo com preparo e ideias inovadoras

Perfil

Yula de Lima Merola é bacharel em Farmácia Bioquímica pela Faculdade de Farmácia da Universidade Estadual Paulista, Doutora em Ciências pela Universidade de Campinas, MBA em Gestão Ambiental, Especialista em Farmácia Clinica, cursando a pós-graduação em Liderança e Gestão Pública pelo CLP (Centro de Liderança Publica).

Iniciou a carreira política como autoridade sanitária da Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde de Poços de Caldas em 2003. Em 2005 convidada para a Coordenação de Vigilância Sanitária e subsequente em 2008 para a Coordenação da Vigilância Epidemiológica. Em 2011 recebeu o convite para gerenciar a Diretoria de Vigilância em Saúde, onde implementou novos indicadores e processos.

Em 2018 foi eleita presidente do CRFG (Conselho Regional de Farmácia do Estado de Minas Gerais) para mandato de 02 anos e conselheira pelo CRFG para mandato de 4 anos. Como presidente do CRFMG implantou na autarquia federal Lean Mentoring e gestão eficiente e trouxe transparência ao órgão com novas práticas de gestão.

Veja abaixo a entrevista com a pré-candidata.

Por que disputar a prefeitura de Poço de Caldas?

Porque posso contribuir com a minha experiência de 17 anos no setor público em várias áreas, como docente e pesquisadora e agora na presidência de uma autarquia federal que é o Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais. E por estar me preparando para exercer um cargo de agente público por meio do Centro de Lideranças Públicas, pós-graduação em Master e liderança pública e RAPS, com relacionamentos com várias lideranças estaduais e federais. Também porque querer cuidar da cidade onde meus filhos cresceram e construí a minha vida. Quando o grupo me procurou , vi a possibilidade real disto acontecer e poder contribuir com a cidade que me acolheu. Fico muito feliz e honrada.

Na sua opinião, quais são os principais problemas do município?

Cuidar de gente. É isso que nós temos que fazer: se preocupar com o povo, que é o dever do Estado. Quero fazer politica de estado e não de governo. Pensar na cidade em longo prazo como Pedro Sanches e Assis Figueiredo. Fazer políticas públicas e não focar numa área, pois todas estão interligadas. A saúde esta interligada com a educação, mobilidade urbana e meio ambiente e segurança. Então não existem problemas pontuais. Este é o grande erro, pensar em problemas pontuais. Estamos falando de gente e de uma cidade.

Caso eleita, como será pautada a sua gestão?

A minha gestão será pautada por clareza e transparência. Esse foi um dos compromissos que tive na presidência do CRF e que quero trazer para a administração municipal. Um governo que dá acesso às informações a sua população está sendo transparente, pois é dever do agente publico prestar contas e qualificar o debate publico a respeito de questões que desafiam a gestão. Acho o que irei falar irá soar piegas ou mesmo óbvio, mas infelizmente nestes 17 anos de administração publica e dois anos como agente publico essas palavras foram esquecidas por todos e são fundamentais para o exercício da atividade publica: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. E a minha gestão caso eleita será pautada por estes princípios. Iremos sentar e discutir os problemas e as soluções de Poços de Caldas com cooperação, gestão em rede e o principal, um pacto social. Vontade, competência e coragem não me faltam. Poços de Caldas precisa atualizar, modernizar, sintonizar e equilibrar e respeitar e valorizar a sua história.

Como o Cidadania poderá contribuir na sua gestão?

Acredito que o Cidadania poderá auxiliar na minha gestão, pois atualmente está renovado e fortalecido. São partidos fortes e estáveis que poderão contribuir para a governabilidade, tanto no Executivo quanto Legislativo, sendo uma escola de política e cidadania. Acredito na população mais politizada para construir uma cidade mais democrática, mais justa e cidadã. Temos um grupo muito preparado e com ideias inovadoras.

Marilda Natal é pré-candidata à prefeitura de Canaã dos Carajás (PA)

Advogada diz que tem como bandeira política a inclusão e empoderamento das mulheres e das minorias étnicas (Foto: Reprodução)

A pré-candidata do Cidadania à prefeitura de Canaã dos Carajás (PA), a advogada Marilda Natal tem como preocupação estimular novas fontes de renda para o município que hoje recebe recursos por meio de royalties da extração mineral da empresa Vale do Rio Doce. Esta será a terceira vez que Marilda disputará eleições para o cargo.

“Já disputei duas vezes [a prefeitura] e agora queremos lançar novamente o meu nome com um projeto grandioso para a cidade. Em razão de ser um municípios que vive da extração mineral, as administrações daqui se voltam apenas para a arrecadação dos royalties sem ter uma visão de futuro. Um dia o minério vai acabar e se não utilizar os recursos dos royalties, que são grandiosos, como será o futuro? Precisamos utilizar esse dinheiro para que nossos filhos e netos não fiquem dependentes da extração mineral que um dia irá acabar”, disse.

Inclusão de mulheres e minorias

Marilda Natal diz que tem como bandeira política a inclusão e empoderamento das mulheres e das minorias étnicas.

“Em todas as eleições que participei defendi a inclusão e o empoderamento da mulher e das minorias. Essa parcela da sociedade precisa participar da política de forma mais ativa. Precisamos trabalhar com afinco essa inclusão. Enfrentamos muitas dificuldades por aqui por ser uma região de migração”, explicou.

Ela disse que no início da vida pública suas principais bandeiras foram habitação, a defesa dos direitos das mulheres e das minorias.

“Sempre atue para melhorar a distribuição e a geração de renda no município. Mas que vemos hoje é uma cidade pequena, com uma população pequena e com muitos recursos que um dia acabarão, mas a população ficará. É preciso se preocupar com isso”, ressaltou.

Perfil

Marilda Natal ou Dra. Marilda, como é conhecida em Canaã dos Carajás, é advogada e natural do Paraná. Ela é filiada ao então PPS, hoje Cidadania, desde 2004, e já disputou duas vezes o cargo de prefeito e uma vez para deputada estadual. Ela é reconhecida na cidade por sua defesa incansável das causas sociais.

Tânia Eberhardt defende reaproximação das comunidades em Joinville (SC)

O Cidadania de Santa Catarina lançou a ex-vereadora Tânia Eberhardt como pré-candidata à prefeitura de Joinville nas eleições municipais de 2020. Tânia tem longa carreira de serviços públicos prestados e deverá ser a única mulher a disputar o cargo na cidade. Ela terá como missão oferecer uma alternativa para a sucessão municipal defendendo uma reaproximação com as comunidades e os anseios da cidade.

O objetivo principal da pré-candidata é oferece um olhar diferente do que os gestores municipais tiveram até o momento no maior município de Santa Catarina.

Perfil

Tânia Eberhardt, com uma longa carreira de serviços públicos prestados, exerceu mandato de vereadora, sendo também secretária municipal do Bem Estar, secretária da Saúde de Joinville. Posteriormente, foi secretária estadual da Saúde e também dirigiu o Hospital Regional de Joinville. Por onde passou deixou sua marca de competência e comprometimento com o serviço público.

Loreny Roberto defende transparência e eficiência na gestão de políticas públicas para Taubaté (SP)

O Cidadania de São Paulo lançou como pré-candidata à prefeitura de Taubaté a vereadora Loreny Roberto. A parlamentar é um dos grandes nomes do partido para a disputa municipal nas eleições de 2020. Loreny defende uma gestão pública eficiente e, sobretudo, transparente. Sua formação acadêmica é inteiramente voltada para a gestão de políticas públicas municipais.

“Como justificar ou negar a necessidade de ser transparente? Transparência deve ser obrigação dos ocupantes dos cargos públicos e se, o Executivo não normatiza, nós, Poder Legislativo podemos fazer. Eu discuto a legalidade sempre no plenário [da Câmara Municipal] ”, disse em 2017, ao ter seu projeto de transparência pública vetado inteiramente pela atual gestão da cidade.

Perfil

A vereadora de Taubaté (SP) Loreny Roberto é mestranda em Gestão e Desenvolvimento Regional na Universidade de Taubaté. Especialista em Controle da Gestão Pública Municipal (UFSC) e Bacharel em Gestão de Políticas Públicas (USP).

Co-criadora da Planus do Brasil, negócio social para o fortalecimento de cidades que atua implementando ferramentas de gestão democrática para os municípios (principalmente da Região Metropolitana do Vale do Paraiba com foco em processos participativos para transformação e ampliação das capacidades.

Tayana Dantas defende gestão compartilhada em VilaVelha (ES)

O Cidadania do Espírito Santo aposta na renovação política do estado e anunciou como pré-candidata a prefeita de Vila Velha a administradora Tayana Dantas para as eleições municipais de 2020. Ela é ativista e fundadora do movimento Vila Nova, que busca identificar os principais problemas da cidade e propor soluções em um plano de governo.

“O propósito do Vila Nova é entregar em 2020 o pensamento de uma nova cidade. A gente quer construir uma nova cidade, fazendo uma Vila Velha diferente do que é hoje, trazendo engajamento para a população, repensando coisas que achamos que ficaram muito para trás em relação até mesmo a Vitória [a capital do Espírito Santo]. Então, a gente quer reconstruir a cidade de forma colaborativa”, disse.

Tayana Dantas defende ainda o estabelecimento de uma gestão compartilhada no poder local.

“O prefeito ou a prefeita tem que primeiro ser uma pessoa que esteja disposta a gerir a cidade com as pessoas, não tão politicamente, mas compartilhadamente, e não ser só mais um líder solitário como é a política que tem sido feita até aqui”, ressaltou.

Perfil

Tayana Dantas começou sua vida profissional como atriz, roteirista e dramaturga aos 18 anos de idade. Atuou em diversos seriados de televisão, filmes de longa-metragem e peças de teatro. Também escreveu roteiros de peças, de filmes e de propagandas que venceram editais e prêmios nacionais. Logo após se formar, fundou sua empresa de Gestão de Marcas e conteúdos, a Vibe Marcas com Propósito, uma empresa que já começou com grandes clientes de porte nacional. Após adentrar o universo do empreendedorismo Tayana Dantas se especializou em Liderança Global pela THNK School of Creative Leadership em Lisboa, em Administração pelo Insper São Paulo e agora faz Mestrado em Segurança Pública.

Tayana já trabalhou nas áreas de marketing e gestão de empresas como Azul Linhas Aéreas, Shoppings Sá Cavalcante, UVV e Simplesmente. Atualmente engajada em galgar uma vaga como prefeita da cidade de Vila Velha, Tayana atualmente dirige seu discurso político contra os atuais vereadores do Município, os quais ela acusa de serem os mantenedores da situação de calamidade em que Vila Velha se encontra.

Any Ortiz quer oferecer nova proposta política para Porto Alegre

O Cidadania do Rio Grande do Sul sai na frente e projeta como pré-candidata à prefeitura de Porto Alegre nas eleições municipais de 2020 a advogada e deputada estadual, Any Ortiz. A parlamentar, caso eleita, será a primeira mulher a comandar a capital gaucha. Any Ortiz destacou que o objetivo é oferecer ao município uma possibilidade concreta de novas possibilidades para a sociedade, a qual anseia por um governo moderno e diferente do que foi visto até o momento.

“Porto Alegre nunca teve uma prefeita mulher. Temos aí a grande possibilidade. É importante, mas não só da eleição da mulher pela mulher, mas também saber qual tem o melhor projeto para a cidade. Nós queremos como partido apresentar uma possibilidade para a nossa cidade. Fico muito feliz de representar isso e de ver meu trabalho reconhecido na Assembleia através das urnas no passado, que é o momento de avaliação do trabalho”, disse.

Any Ortiz foi a quinta deputada estadual mais votada em Porto Alegre nas eleições de 2018 e a terceira em todo o estado, saindo de 8 para 25 mil votos em comparação as eleições de 2014.

Perfil

A deputada estadual pelo Cidadania do Rio Grande do Sul Any Machado Ortiz é advogada. Ela foi assessora do deputado estadual Luciano Azevedo na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Em 2008 concorreu, sem sucesso, a vereadora de Porto Alegre pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Em 2010, concorreu a deputada estadual pelo PSDB. Any obteve quase sete mil votos e não conseguiu se eleger. Nas eleições municipais de 2012 foi eleita vereadora de Porto Alegre pelo então PPS, hoje Cidadania, com 5 940 votos.

Na Câmara Municipal da capital, foi líder da bancada do seu partido, segunda secretária da Mesa Diretora, presidente da Escola do Legislativo e vice-presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, Direitos Humanos e Segurança Urbana. Any também integrou a Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude, a frente parlamentar para criação de bairros e a que combate maus tratos contra os animais. Em 22 de dezembro de 2014, despediu-se da Câmara de Vereadores para assumir o mandato de deputada estadual. Ela foi eleita deputada com 22.553 votos.