COP26: Eliziane Gama alerta para omissão e desmonte da política ambiental sob o governo Bolsonaro

Relatório apresentado pela senadora na cúpula do clima da ONU mostra a ‘real cara do Brasil’, com os retrocessos na execução da política de preservação ambiental brasileira (Foto: Reprodução/)

Na audiência da COP 26 – a cúpula do clima da ONU -, em Glasgow, na Escócia, para apresentação do mais recente Relatório de Avaliação das Políticas Climática e de Prevenção e Controle do Desmatamento, elaborado pela Comissão de Meio Ambiente do Senado, os senadores Eliziane Gama (Cidadania-MA) Fabiano Contarato (Rede-ES)  alertaram nesta quarta-feira (10) para a omissão e o desmonte, pelo governo federal, dos mecanismos de proteção ambiental. O texto também indica que o desmatamento ocorre em todos os biomas do Brasil e é efetuado pelos grandes proprietários de terra.

A audiência foi transmitida de Glasgow, onde os parlamentares compõem a representação do Senado na Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, dentro da iniciativa Brazil Climate Action Hub, promovida pelas organizações não governamentais iCS (Instituto Clima e Sociedade), Instituto ClimaInfo e Ipam (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia).

O relatório de 2021, sob a relatoria de Eliziane Gama, atualiza a edição do documento organizada por Contarato em 2020 e, segundo ela, é apresentado ao mundo para mostrar a ‘real cara do Brasil’ num contraponto ao discurso oficial do governo Bolsonaro.

A senadora afirmou que o documento identifica os retrocessos na execução da política de preservação ambiental e de mitigação das mudanças climáticas. Entre eles, aponta a substituição de técnicos por militares, motivada por motivos ideológicos e com graves consequências para a preservação do meio ambiente.

“[Mesmo com] um novo momento de retorno à proteção ambiental, ainda levará um bom tempo para termos reconhecimento internacional”, lamentou Eliziane Gama.

A senadora reconheceu a importância dos acordos assinados pelo Brasil, mas salientou que é preciso exigir políticas concretas além das boas intenções. Eliziane Gama cobrou que o Congresso brasileiro assuma sua missão de fiscalização e controle contra tentativas de ‘desconstrução da governança ambiental’.

Desmatamento

Para Fabiano Contarato, o relatório reúne fatos incontestáveis sobre o desmonte ambiental praticado pelo governo, que teria acabado “de fato” com o Ministério do Meio Ambiente, através do sucateamento dos órgãos de educação e fiscalização competentes.

“O Brasil não cumpriu o Acordo de Paris, com meta de redução de 80% no desmatamento. Não só não reduziu, como aumentou em 145%”, avaliou.

Manifestando desconfiança diante das promessas do governo em Glasgow, Contarato disse que os parlamentares devem fazer sua parte, além do discurso, e ‘impedir’ a tramitação de projetos que considera ataques ao direito constitucional ao meio ambiente equilibrado. (Com informações da Agência Senado)

COP26: Não estamos aqui para falar mal do Brasil, mas para mostrar a realidade, afirma Eliziane Gama

Senadora entrega nesta quarta-feira (10) na cúpula do clima da ONU o relatório elaborado pela Comissão de Meio Ambiente do Senado sobre o desmonte da política ambiental brasileira de 2019 -2021 (Foto: Reprodução/GloboNews)

Em entrevista ao jornal Em Ponto da GloboNews (veja aqui), nesta terça-feira (09), direto de Glasgow, na Escócia, onde participa da COP26 – cúpula da ONU pelo clima – a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) destacou a importância dos acordos internacionais para o equilíbrio ambiental do planeta, e afirmou que participava do evento não para ‘falar mal do Brasil, mas para mostrar a realidade’ do desmonte da política ambiental do País.

Ao ser questionada sobre a nova postura do Brasil em relação ao acordo climático para redução das emissões de carbono, a senadora disse que a reação dos demais países que participam da cúpula é um misto de ‘acreditando e desconfiando’ das intenções do governo brasileiro.

“Não podemos deixar de reconhecer que foi importante a assinatura desses acordos em relação as metas de emissão de gases e ao desmatamento zero, mas a gente precisa entender quais as ações do governo federal para a materialização do que foi acordado”, disse Eliziane Gama, ao reafirmar o clima de desconfiança do Brasil na COP em relação as metas climáticas.

Relatório

Ela entrega nesta quarta-feira (10), às 16h (horário de Brasília), na cúpula do clima da ONU o relatório elaborado pela Comissão de Meio Ambiente do Senado sobre o desmonte da política ambiental brasileira no período de 2019 -2021.

O documento relatado por Eliziane Gama foi elaborado com a contribuição de representantes da sociedade civil, empresários e especialistas traça um cenário devastador sobre o desmatamento de biomas e o sucateamento dos órgãos de vigilância e fiscalização ambiental no Brasil.

A parlamentar alerta que os órgãos ambientais sofreram nos últimos anos um processo de sufocamento com cortes consideráveis de orçamento e no quadro de pessoal.

“Queremos mostrar ao mundo o que o governo brasileiro tem feito para desmontar todo o arcabouço legal de preservação ambiental no país.  As taxas de desmatamento da Amazônia e de outros biomas atingiram níveis recordes, o que coloca em risco a sobrevivência dos nossos biomas”, explica Eliziane Gama.