‘Bolsonaro vai cada vez mais mudando o que prometeu na campanha’, afirma Jorge Kajuru

Senador do Cidadania de Goiás critica proposta de criação de mais um ministério (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)

Kajuru: “Bolsonaro vai cada vez mais mudando o que prometeu na campanha”

Diego Amorim – O Antagonista

O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) disse a O Antagonista que a eventual recriação do Ministério da Segurança Pública seria mais uma contradição de Jair Bolsonaro em relação ao discurso da campanha presidencial.

“Bolsonaro vai cada vez mais mudando o que prometeu na campanha. Ele falava em menos ministérios. E, nesse caso, não vejo dificuldade alguma para Sergio Moro continuar tomando conta das duas pastas [Justiça e Segurança Pública].”

Kajuru ponderou que, caso esteja insatisfeito com Moro e queira dar mais importância à Segurança Pública, o presidente poderia dar carta branca para o ministro escolher uma pessoa de sua inteira confiança para ajudá-lo nessa área, sem necessidade de recriação de ministério.

“Se a pasta for recriada, quem vai ser esse ministro? Qual a relação que ele vai ter com o Moro? Eu não concordo com isso.”

Fonte: https://www.oantagonista.com/brasil/kajuru-bolsonaro-vai-cada-vez-mais-mudando-o-que-prometeu-na-campanha/

Coaf no Ministério Justiça fortalece o combate a corrupção, diz Rubens Bueno

O deputado federal Rubens Bueno (Cidadania-PR) afirmou nesta quarta-feira (08) que o funcionamento do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) dentro da estrutura do Ministério da Justiça é fundamental para o aprimoramento do combate à corrupção no País. Em reunião da Executiva Nacional do Cidadania, o partido fechou questão em torno da proposta do órgão ficar sob o comando do ministro Sérgio Moro, como está previsto na Medida Provisória (MP 870/2019) que reorganiza a estrutura administrativa do Poder Executivo e que está em análise no Congresso.

“Trata-se de um órgão de extrema importância em investigações sobre corrupção, como é o caso da Operação Lava Jato. Nada mais natural que ele fique no ministério que tem em sua estrutura a Polícia Federal. O Coaf é fundamental para a identificação de operações suspeitas e no rastreamento de esquemas de lavagem de dinheiro”, ressaltou Rubens Bueno.

Cidadania na Câmara apresenta emenda contra recriação do Ministério das Cidades

O líder do Cidadania na Câmara, deputado federa Daniel Coelho (PE), elaborou um destaque  – espécie de emenda – para suprimir do parecer apresentado à medida provisória que trata da reforma administrativa da União dispositivo que permite a recriação do Ministério das Cidades.

A matéria está sendo discutida em Comissão Especial Mista que seu reuniu nesta terça-feira (7) no Senado Federal.

O parlamentar disse que causou estranheza o fato de o relatório inovar e restituir uma estrutura que vai na contramão da austeridade fiscal que o País exige neste instante.

“Fomos pego de surpresa por ver no referido parecer a recriação do Ministério das Cidades. O que a população quer neste instante é menos despesa e mais eficiência das estruturas de poder. E não nos parece concebível restabelecer esta pasta que contraria promessa de campanha do atual presidente da República. O que precisamos fazer é o enxugamento da máquina pública”, justificou Daniel Coelho.

O relatório da MP 870/2019 está previsto para ser votado na Comissão nesta quarta-feira (8).

Previdência: Rubens Bueno pede a Guedes estudos e detalhamento de impacto fiscal mantidos em sigilo

O deputado federal Rubens Bueno (Cidadania-PR) protocolou nesta segunda-feira (22) requerimento de informações pedindo ao ministro da Economia, Paulo Guedes, cópias dos estudos e pareceres técnicos que fundamentam a aprovação da Reforma da Previdência (PEC 6/2019), além de detalhamento dos valores dos impactos fiscais de cada item contido na Proposta de Emenda à Constituição, por ano, nos próximos dez anos. Segundo noticiado pela imprensa no último domingo (21), o Ministério da Economia decretou sigilo sobre os dados que embasaram PEC. A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho alega que os expedientes foram classificados com nível de acesso restrito por se tratarem de documentos preparatórios.

“A matéria é de suma importância para o restabelecimento das contas públicas do Brasil e, apesar de merecer aperfeiçoamentos em seu texto, caminha para a rápida aprovação por esta Casa. Não há o que se falar, portanto, em documentos preparatórios neste estágio. O sigilo não deve ser a regra”, argumenta o deputado, que é membro da CCJ e espera receber o material o mais rápido possível.

A reforma já está em vias de ser aprovada na Comissão de Constituição da Câmara e seguirá, então, para uma Comissão Especial.

Para Rubens Bueno, a Reforma da Previdência é necessária e todos os dados que embasaram a proposta devem ser acessados pelo Parlamento, pois contribuem para o debate.

“As discussões em torno da nova previdência, como não poderia deixar de ser, envolvem estudos e análises atuariais e contábeis sobre gastos, impactos e projeções para o futuro que principalmente o Poder Executivo tem a capacidade de promover. E esses dados devem ser compartilhados ao máximo, para o bem das discussões democráticas, do princípio republicano, da própria aprovação da Reforma e, finalmente, do futuro melhor para o país que queremos construir” reforça o parlamentar.

Após receber o requerimento, o ministro tem 30 dias para enviar a resposta para a Câmara dos Deputados, sob pena de incorrer em crime de responsabilidade. No entanto, Rubens Bueno espera que o material seja liberado antes desse prazo.

MEC virou “Ministério da Esculhambação”, critica Rubens Bueno

O deputado federal Rubens Bueno (Cidadania-PR) afirmou nesta segunda-feira (01) que causa extrema preocupação a série de desencontros e problemas gerenciais verificados nestes três primeiros meses de gestão do ministro Ricardo Vélez Rodríguez a frente do Ministério da Educação. A situação já está prejudicando milhares de estudantes que não conseguem frequentar a faculdade devido a problemas no sistema do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) e gera preocupações com relação ao Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

“O MEC virou o ‘Ministério da Esculhambação’. Nesses três meses já foram 16 exonerações em postos do primeiro escalão da pasta, cancelamento e recuo em torno da avaliação de alfabetização, brigas ideológicas, enfim, uma série de problemas que atingem um dos mais importantes ministérios do governo. Me parece que o MEC está precisando urgentemente de um bedel”, criticou Rubens Bueno.

A situação da pasta, ressaltou Rubens Bueno, é um reflexo de como a briga ideológica pode dificultar o bom andamento da administração federal.

“O que vemos no MEC é a exacerbação do que acontece em menor escala em outros ministérios. Isso é perigoso, já mostra seus efeitos práticos, e pode prejudicar uma série de serviços”, alertou o deputado.

Para o parlamentar, após três meses de governo é hora de apresentar os primeiros resultados.

“E no caso do MEC, lamentavelmente, o que se vê é um acúmulo de problemas. Se a situação persistir, o governo precisa deixar de por ‘panos quentes’ e tomar uma providência. A pasta da Educação não pode ficar refém de briguinhas de recreio”, finalizou.