Yula Merola é pré-candidata a prefeita do Cidadania em Poço de Caldas (MG)

Pré-candidata defende a implementação de administração pública enxuta e transparente (Foto: Reprodução)

O Cidadania de Minas Gerais vai disputar a prefeitura de Poços de Caldas em 2020 com o lançamento da pré-candidata, Yula de Lima Merola. Formada em Farmácia Bioquímica e ex-presidente do Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais, Yula afirmou em entrevista ao portal do Cidadania (veja abaixo), que a sua maior preocupação será a população e que pretende adotar políticas de estado e não de governo na sua gestão. Para ela, é necessário pensar na cidade em longo prazo e não apenas focar em uma única área.

Yula defendeu a implementação de uma administração pública enxuta e transparente. Ela destacou que, caso eleita, discutirá os problemas da cidade de forma cooperativa e adiantou que realizará um pacto social. Segundo a pré-candidata, a nova administração municipal precisa ser atual, moderna, sintonizada, equilibrada para valorizar a história do município.

Ao ser questionada como o Cidadania poderá contribuir na gestão municipal, Yula Merola afirmou que a legenda, por ser um partido forte e estável, desempenhará um papel importante na governabilidade, seja no Executivo como também do Legislativo com preparo e ideias inovadoras

Perfil

Yula de Lima Merola é bacharel em Farmácia Bioquímica pela Faculdade de Farmácia da Universidade Estadual Paulista, Doutora em Ciências pela Universidade de Campinas, MBA em Gestão Ambiental, Especialista em Farmácia Clinica, cursando a pós-graduação em Liderança e Gestão Pública pelo CLP (Centro de Liderança Publica).

Iniciou a carreira política como autoridade sanitária da Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde de Poços de Caldas em 2003. Em 2005 convidada para a Coordenação de Vigilância Sanitária e subsequente em 2008 para a Coordenação da Vigilância Epidemiológica. Em 2011 recebeu o convite para gerenciar a Diretoria de Vigilância em Saúde, onde implementou novos indicadores e processos.

Em 2018 foi eleita presidente do CRFG (Conselho Regional de Farmácia do Estado de Minas Gerais) para mandato de 02 anos e conselheira pelo CRFG para mandato de 4 anos. Como presidente do CRFMG implantou na autarquia federal Lean Mentoring e gestão eficiente e trouxe transparência ao órgão com novas práticas de gestão.

Veja abaixo a entrevista com a pré-candidata.

Por que disputar a prefeitura de Poço de Caldas?

Porque posso contribuir com a minha experiência de 17 anos no setor público em várias áreas, como docente e pesquisadora e agora na presidência de uma autarquia federal que é o Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais. E por estar me preparando para exercer um cargo de agente público por meio do Centro de Lideranças Públicas, pós-graduação em Master e liderança pública e RAPS, com relacionamentos com várias lideranças estaduais e federais. Também porque querer cuidar da cidade onde meus filhos cresceram e construí a minha vida. Quando o grupo me procurou , vi a possibilidade real disto acontecer e poder contribuir com a cidade que me acolheu. Fico muito feliz e honrada.

Na sua opinião, quais são os principais problemas do município?

Cuidar de gente. É isso que nós temos que fazer: se preocupar com o povo, que é o dever do Estado. Quero fazer politica de estado e não de governo. Pensar na cidade em longo prazo como Pedro Sanches e Assis Figueiredo. Fazer políticas públicas e não focar numa área, pois todas estão interligadas. A saúde esta interligada com a educação, mobilidade urbana e meio ambiente e segurança. Então não existem problemas pontuais. Este é o grande erro, pensar em problemas pontuais. Estamos falando de gente e de uma cidade.

Caso eleita, como será pautada a sua gestão?

A minha gestão será pautada por clareza e transparência. Esse foi um dos compromissos que tive na presidência do CRF e que quero trazer para a administração municipal. Um governo que dá acesso às informações a sua população está sendo transparente, pois é dever do agente publico prestar contas e qualificar o debate publico a respeito de questões que desafiam a gestão. Acho o que irei falar irá soar piegas ou mesmo óbvio, mas infelizmente nestes 17 anos de administração publica e dois anos como agente publico essas palavras foram esquecidas por todos e são fundamentais para o exercício da atividade publica: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. E a minha gestão caso eleita será pautada por estes princípios. Iremos sentar e discutir os problemas e as soluções de Poços de Caldas com cooperação, gestão em rede e o principal, um pacto social. Vontade, competência e coragem não me faltam. Poços de Caldas precisa atualizar, modernizar, sintonizar e equilibrar e respeitar e valorizar a sua história.

Como o Cidadania poderá contribuir na sua gestão?

Acredito que o Cidadania poderá auxiliar na minha gestão, pois atualmente está renovado e fortalecido. São partidos fortes e estáveis que poderão contribuir para a governabilidade, tanto no Executivo quanto Legislativo, sendo uma escola de política e cidadania. Acredito na população mais politizada para construir uma cidade mais democrática, mais justa e cidadã. Temos um grupo muito preparado e com ideias inovadoras.

Cidadania de Belo Horizonte realiza Encontro Mulheres 23

O evento elegeu as coordenações do Cidadania Mulher de Belo Horizonte e de Minas Gerais (Foto: Reprodução)

O Cidadania de Belo Horizonte realizou no último sábado (9), na Assembleia Legislativa do estado, o Encontro Mulheres 23. O evento contou com diversas palestras e filiações de lideranças femininas da capital mineira.

O presidente estadual do Cidadania, o deputado estadual João Vítor Xavier, destacou que o evento foi um ato preparatório para garantir “um protagonismo das mulheres nas eleições do ano que vem”.

Participaram do encontro a presidente do Cidadania de BH, Luzia Ferreira; a vereadora Alessandra, de Brumadinho; a ex-prefeita Arlete, de Aricanduva; a vereadora Fernanda, de Santo Antônio do Monte; e a vereadora Luciene, de Vespasiano.

O evento contou ainda com representantes do Cidadania de Belo Horizonte, Betim, Contagem, Caeté, Montes Claros, Poços de Caldas, Mariana, Timóteo, Brumadinho, Coronel Fabriciano, Aricanduva, Divinópolis, Gouveia, Sabará, Vespasiano e Santo Antônio do Monte.

No final do evento foram eleitas as coordenações do Cidadania Mulher de Belo Horizonte e de Minas Gerais.

Orlando Caldeira do Cidadania de MG é eleito o novo prefeito de Itabirito

A população de Itabirito, município localizado na região central de Minas Gerais, elegeu, neste último domingo (5), em eleição suplementar para a prefeitura da cidade, Orlando Amorim Caldeira, do Cidadania. Caldeira obteve 14.421 votos (53,87%) e terá como vice Elio da Mata Santos, também do Cidadania. Eles serão diplomados até o dia 23 de agosto e ficarão no cargo até dezembro de 2020.

Orlando Caldeira agradeceu a confiança dos eleitores e, sobretudo, dos militantes do partido no estado, em especial, ao dirigente Paulo Elisiário.

“Dedico está vitória ao nosso companheiro Paulo Elisiário, que na oportunidade da minha filiação no então PPS, era o nosso presidente. Ele dos despertou a vontade de fazermos diferente a nossa política local com a apresentação de propostas e ideias. Esta vitória é do Cidadania, que nos ajudou e despertou a possibilidade de vencer o impossível. Foram 12 anos de caminhada, mas afora o Cidadania 23 se desperta para um futuro melhor para nossa Itabirito”, disse.

O pleito foi realizado após o TRE-MG (Tribunal Regional Eleitoral) cassar os mandatos do ex-prefeito, Alex Salvador (PSD) e do vice, Wolbey Olveira (PSD). Eles foram acusados de abuso de poder econômico e captação ilícita de recursos financeiros na campanha eleitoral.

Na eleição suplementar ficou em segundo lugar a chapa formada por Arnaldo Pereira dos Santos (MDB) e Rodrigo do Porco (PSD), que receberam 11.568 votos (43,22%). Já a chapa formada por Luiz Niquini e Marina Pedrosa (Democracia Cristã) tiveram 779 votos (2,91%).

João Vitor Xavier conclama mineiros para ingressar no Cidadania

O presidente do Cidadania de Minas Gerais e deputado estadual, João Vitor Xavier, diz em vídeo (veja abaixo) que o País passa por um novo momento político e ressaltou as qualidades do partido. Ele conclamou todos os mineiros a fazer parte do Cidadania para discutir os problemas enfrentados pela Nação e construir soluções.

João Vitor Xavier assume presidência do Cidadania de Minas Gerais

O deputado estadual  João Vitor Xavier foi eleito neste sábado (06), em Belo Horizonte, presidente do Cidadania em Minas Gerais (veja abaixo). A eleição teve chapa única e obteve o voto unânime dos 55 membros do Diretório Estadual aptos a votar.

Na condução da legenda, ele terá pela frente a missão de lançar candidatos próprios no maior número possível de municípios – especialmente aqueles maiores, o que ajuda a fortalecer a chapa de vereadores.

De olho na disputa pela PBH, João Vitor Xavier assume comando do Cidadania

Recém-filiado à legenda, o deputado estadual foi eleito neste sábado presidente estadual do Cidadania. Meta é disputar a prefeitura nas principais cidades de Minas, incluindo a capital

Isabella Souto – Estado de Minas

De olho na disputa pela Prefeitura de Belo Horizonte no ano que vem, o deputado estadual João Vitor Xavier foi eleito, neste sábado, presidente do Cidadania (ex-PPS), partido ao qual se filiou há pouco mais de um mês. A eleição teve chapa única e obteve o voto unânime dos 55 membros aptos a votar.

Na condução da legenda, ele terá pela frente a missão de lançar candidatos próprios no maior número possível de municípios – especialmente aqueles maiores, o que ajuda a fortalecer a chapa de vereadores.

Sem esconder as pretensões eleitorais no ano que vem, o parlamentar afirmou que já tem mantido conversas com o DEM e o Patriotas – partidos que inclusive participaram da solenidade de filiação de Xavier ao Cidadania em busca de uma aliança. Atualmente a legenda tem apenas um vereador em Belo Horizonte, que integra a base independente da Casa.

“Belo Horizonte é uma das prioridades e precisa de outra opção, percebemos desde a eleição passada que há uma parcela da população que tem uma visão diferente do que está acontecendo na cidade, e gostaríamos de debater com elas e apresentar nossas propostas”, afirmou João Vítor.

Na eleição passada, o Cidadania – que ainda tinha o nome de PPS – apoiou a candidatura de João Leite (PSDB), com a indicação de Ronaldo Gontijo para candidato a vice. A chapa foi derrotada por Alexandre Kalil (PSD) no segundo turno da disputa.

Já é dada como certa a candidatura à reeleição de Alexandre Kalil – recentemente o prefeito se filiou ao PSD e assumiu a presidência do partido no estado. Questionado sobre a expectiva em relação a uma disputa com o atual prefeito, João Vitor Xavier foi enfático.

“Na eleição passada, metade dos prefeitos candidatos à reeleição perdeu. O governador do Estado (Fernando Pimentel, do PT) tentou a reeleição e perdeu. Isso é natural na política, ninguém ganha de véspera. Esperamos levantar e organizar um debate com parcela sgingficativa da sociedade que não se sente representada hoje”, argumentou.

O Partido Popular Socialista trocou o nome para Cidadania em março deste ano. Na ocasião, o presidente nacional do partido, Roberto Freire, alegou que a agenda socialista havia fracassado. Antes de chegar à nova denominação, o PPS ainda tentou a fusão com outras legendas, como o PV e a Rede. Sem sucesso nas negociações, optou apenas pela mudança na nomenclatura.

Cidadania-MG faz Congresso Extraordinário neste sábado para definir membros do Diretório Estadual

O Diretório Estadual do Cidadania de Minas Gerais, sucessor do PPS, aprovou proposta apresentada em reunião do último sábado (29) de realização de Congresso Extraordinário do partido (veja abaixo a convocação), neste sábado (06), na Assembléia Legislativa mineira (Auditório José Alencar – Rua Rodrigues Caldas, nº 30, bairro Santo Agostinho – Belo Horizonte-MG), de 9h às 13h, para definir a escolha dos novos membros do Diretório Estadual.

CONVOCAÇÃO DO CONGRESSO EXTRAORDINÁRIO DO CIDADANIA 23 DE MINAS GERAIS, SUCESSO DO PPS

Nos termos do Art. 17, § 8º, II, do Estatuto do PPS, o Diretório Estadual do Cidadania 23 de Minas Gerais, sucessor do PPS, CONVOCA um Congresso Extraordinário do partido, a se realizar na Assembléia Legislativa de Minas Gerais – Auditório José Alencar, localizada à Rua Rodrigues Caldas, nº 30, bairro Santo Agostinho – BH/MG, de 9h às 13h, para tratar da seguinte temática:

1) Conjuntura Política;
2) Eleição de um novo Diretório Estadual, Conselho de Ética e Conselho Fiscal.
Participarão do Congresso, com direito a voz e voto:
1) Os membros dos atuais Diretório Estadual, Conselho de Ética e Conselho Fiscal, cada um desempenhando como delegado a mesma condição de titular ou de suplente que ostenta no atual mandato;
2) Delegados do Movimento Agora, delegados do Livres e delegados do Acredito, a serem indicados à atual Comissão Executiva Estadual em até 01 (um) dia antes do início do Congresso Extraordinário, sendo metade titulares e metade suplentes;
3)Delegados titulares indicados individualmente por grupos de 10 (dez) cidadãos brasileiros que se filiarem ao Partido até 05 de julho de 2019.

Caberá à atual Comissão Executiva Nacional aprovar um regimento interno para o Congresso Extraordinário, publicando-o no site do partido até a véspera do início do Congresso.

Caberá ao Congresso Extraordinário deliberar sobre a continuidade dos mandatos dos atuais Diretórios Municipais ou sobre a convocação de Congressos nas referidas instâncias partidárias.

Este ato convocatório deve ser publicado no site do Partido para os efeitos do Art. 54 do Estatuto do PPS.

Belo Horizonte, 29 de junho de 2019.

Raimundo Benoni Franco
Presidente

Sindicato repudia apelo do prefeito de BH por afastamento de jornalista que é deputado do Cidadania

O Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais divulgou nota (veja aqui e abaixo) em repúdio ao apelo do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (sem partido), pela demissão do jornalista e deputado estadual, João Vítor, filiado recentemente ao Cidadania de Minas Gerais.

Sindicato repudia apelo do prefeito Kalil por afastamento de jornalista

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais repudia a manifestação do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, pelo afastamento do radialista João Vítor Xavier de programa esportivo na rádio Itatiaia. João Vítor é deputado estadual pelo partido Cidadania e, segundo Kalil, faz críticas à sua administração no seu programa.

O apelo foi feito pelo prefeito em conversa informal com jornalistas, inclusive profissional da Itatiaia, no dia 29/5, segundo relato de Os Novos Inconfidentes.

O Sindicato considera essa atitude inadmissível. A lei assegura a João Vítor o exercício da profissão até abril do próximo ano, caso pretenda se candidatar a um novo mandato em 2020. Afastá-lo do seu trabalho, assim como a qualquer jornalista, por criticar a administração pública, configura clara censura à imprensa.

#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

Cidadania de Minas Gerais filia deputado estadual João Vitor

Cotado para concorrer à Prefeitura de BH, João Vítor Xavier oficializa filiação ao Cidadania

Jornal Hoje em Dia – Lucas Simões

Mirando sua candidatura à Prefeitura de Belo Horizonte no ano que vem, o deputado estadual João Vitor Xavier oficializou, nesta segunda-feira (27), sua filiação ao Cidadania (ex-PPS) e afirmou que tomou “a decisão de apresentar um projeto para a cidade”.

“É uma decisão apresentar esse projeto para a cidade. Precisamos construir uma sociedade mais moderna, mais contemporânea, que converse mais de perto com as pessoas. Uma Prefeitura que esteja aberta a dialogar com todo mundo”, disse o ex-tucano. Apesar do anúncio, o Cidadania ainda não formalizou o nome de João Vítor à corrida eleitoral de 2020.

O deputado, que se desfiliou do PSDB há um mês por uma série de divergências ideológicas, recebeu o apoio de dezenas de políticos, durante cerimônia realizada no espaço de eventos do Mercado Central. Entre eles, o senador Rodrigo Pacheco (DEM) e o deputado federal Fred Costa (Patriotas). Ambos os partidos têm tendência a apoiar um eventual projeto político de João Vítor em direção à Prefeitura da capital mineira.

Questionado sobre possíveis negociações, João Vítor evitou cravar apoios entre as legendas. “Gostaria muito que estivessem (na campanha), principalmente porque são partidos liderados por pessoas de bem, no caso do senador Rodrigo Pacheco e do deputado federal Fred Costa. Mas, isso vai ser decidido com o tempo, discutindo com esses partidos no momento adequado”, justificou o deputado.

Ainda no começo dos acordos eleitorais, o DEM tenta aprovar um sinal verde à candidatura de João Vítor para a Prefeitura, em troca de apoio do deputado a uma eventual candidatura de Pacheco ao governo do Estado, em 2022. Mesmo sem confirmar sua candidatura para o Palácio das Mangabeiras, Pacheco acredita em uma aliança entre os dois partidos.

“O Cidadania é um parceiro do Democratas em Minas Gerais e podemos construir muitas pontes futuras. Hoje eu estou no Senado e não há perspectiva de eu ser candidato à Prefeitura de Belo Horizonte. O João Vítor Xavier se apresenta como um nome viável, um nome que Belo Horizonte ficaria muito bem servida se o fizesse prefeito. Se num momento oportuno, houver reconhecimento da sociedade mineira ao nosso trabalho, (candidatar ao governo) é algo que podemos considerar. Mas, não há nenhuma definição neste momento”, disse Pacheco.

Cidadania

Em março deste ano, o Partido Popular Socialista (PPS) aprovou, durante congresso nacional extraordinário da sigla, a mudança de nome do partido para Cidadania. O presidente da legenda, o deputado federal Roberto Freire, justificou a alteração ao dizer que a “agenda socialista fracassou”.

Antes de aprovar a mudança de nome para Cidadania, o PPS tentou se fundir com dezenas de outras siglas enquadradas na cláusula de barreiras, a exemplo de negociações com o PMN, MD, PSB, PHS, PV e PEN. No fim do ano passado, novas conversas foram tratadas com líderes do PV e da Rede, mas nenhuma das negociações foi para frente.

Cidadania cresce em Minas Gerais com filiação do deputado estadual João Vitor

O deputado estadual de Minas Gerais, João Vitor Xavier,  oficializou seu ingresso no Cidadania, nesta segunda-feira (28). O parlamentar, que pode ser a aposta do partido para a eleição de prefeito, no ano que vem, recebeu o apoio diversas lideranças nacionais, como o presidente da sigla, Roberto Freire, e o líder do partido na Câmara, deputado federal Daniel Coelho, que prestigiaram o evento realizado no Mercado Central, em Belo Horizonte.

“Precisamos construir uma sociedade mais moderna, mais contemporânea, que converse mais de perto com as pessoas. Uma prefeitura que esteja aberta a dialogar com todo mundo”, afirmou João Vitor, que se desfiliou do PSDB há um mês.

A mudança de partido, segundo o deputado, foi motivada por questões ideológicas. Integrante do movimento denominado “cabeças pretas”, que pregava a renovação dos quadros do PSDB, ele se colocou contra o apoio da legenda ao governo Michel Temer, no ano passado. Na sua visão, o Cidadania “é um partido novo, aberto ao público jovem e que está sendo reformulado no país inteiro”.

“Está construindo uma linha ideológica dentro do que acredito, que é um partido que vai do centro para centro-direita, com liberdade do ponto de vista econômica mas também com preocupação com o engajamento social”, analisou.

Além de ser cotado para a disputa majoritária, Xavier também pode ser indicado para a presidência do Cidadania no estado.

“O João Vitor está disposto a isso, a ser prefeito e a presidir o partido. Ainda é cedo para falar sobre tudo, mas ele está disposto. Então, a presença do João Vitor vai além da Prefeitura. É a fixação do Cidadania em Minas Gerais”, afirmou Roberto Freire.