Eliziane Gama: Luta pelo espaço da mulher na política não pode parar

‘Nós temos muito ainda a conquistar, mas jamais temos de deixar de reconhecer o que conseguimos até agora’, diz a senadora sobre os 90 anos da instituição do voto feminino no Brasil (Foto: Pedro França/Agência Senado)

As mulheres representam 52,5% do eleitorado brasileiro e 77,8 milhões estão registradas na Justiça Eleitoral para votar, mas no Congresso Nacional elas são apenas 15% dos parlamentares.  Para a líder da Bancada Feminina no Senado, Eliziane Gama (Cidadania-MA), a abaixa representatividade no Brasil se comparada aos Parlamentos do continente, com taxa de 31%, é um alerta para que a luta das brasileiras pelo espaço que têm direito na política não pode parar.

Em entrevista à Rádio Senado sobre os 90 anos do voto feminino no Brasil (ouça aqui), Eliziane Gama disse que sua instituição, em 24 de fevereiro de 1932, foi um importante marco na luta das mulheres por igualdade de direitos com os homens.

“Essa foi uma grande conquista da mulher brasileira. Nós temos muito ainda a conquistar, mas jamais temos de deixar de reconhecer o que conseguimos até agora”, destacou.

Das mulheres que concorreram a um cargo eletivo nas eleições de 2018, foram eleitas 290, um aumento de 52,6% em relação a 2014.

Para a Câmara dos Deputados, em 2018, foram eleitas 77 parlamentares, um aumento de 51% em relação ao último pleito, quando foram escolhidas 51 mulheres para a Casa.

No Senado Federal, sete mulheres foram eleitas – mesmo número de 2010 – e passaram a representam 13% dos parlamentares. (Com informações da Agência Senado e TSE)