Mercado reduz estimativa do PIB de 2020 para 2,23%

Há quatro semanas, as previsões dos especialistas para o crescimento do PIB deste ano era maior, de 2,31% (Foto: Reprodução)

Os especialistas das 100 principais instituições financeiras do mercado brasileiro, que contribuem para a elaboração do Boletim Focus, do Banco Central, dminuíram a previsão do crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) para 2020 de 2,30% para 2,23%.

Há quatro semanas, no entanto, as previsões dos especialistas, no Focus, para o crescimento do PIB deste ano era maior, de 2,31%.

A economia brasileira, ou pelo menos as previsões para seu desempenho, está vivendo um novo déjà vu. Depois de frustrar as expectativas em 2017, 2018 e 2019, o crescimento do PIB deste ano começa a ser revisto para baixo por causa de fatores externos e também internos.

Os dados do PIB de 2019 será divulgado no início de março pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mas as previsões estão em torno de 1%. É a mais lenta retomada da história brasileira. Para 2020, as projeções estão mais para 2% do que 2,5%. (Com informações das agências de notícias e Valor Econômico)

Recuperação lenta: Prévia do PIB indica que economia cresceu 0,89% em 2019

De acordo com pesquisa do BC, instituições financeiras estimam uma expansão de 1,12% para a economia brasileira em 2019 (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

A economia brasileira cresceu 0,89% em 2019. É o que mostra o IBC-BR (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), divulgado na semana passada. É o terceiro ano seguido que o IBC-Br registra expansão.

No último trimestre do ano, comparado ao período anterior, o crescimento ficou em 0,46%, de acordo com dado dessazonalizado (ajustado para o período). O quarto trimestre comparado a igual período de 2018 apresentou crescimento de 1,36%.

Em dezembro, frente a novembro de 2019, houve queda de 0,27% (dessazonalizado). Na comparação com o último mês do ano passado e dezembro de 2018, a atividade econômica apresentou crescimento de 1,28%.

O IBC-Br incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

Previsões

O mercado, segundo pesquisa realizada pelo Banco Central com mais de 100 instituições financeiras na semana anterior, estima uma expansão de 1,12% para a economia brasileira em 2019.

O Ministério da Economia também estima uma alta de 1,12% e, para o BC, o crescimento será de 1,2% no último ano.

Para 2020, o mercado financeiro estima uma alta de 2,3% para o PIB. Entretanto, economistas avaliam que a crise do coronavírus, iniciada na China, tende a impactar a economia global, puxando essa taxa de crescimento para baixo.

Resultado oficial

O resultado oficial do PIB (Produto Interno Bruto), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no País, será divulgado somente em 4 de março pelo IBGEE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Embora o cálculo seja um pouco diferente, o IBC-Br foi criado para tentar ser um “antecedente” do PIB. O índice do BC incorpora estimativas para a agropecuária, a indústria e o setor de serviços, além dos impostos. (Com informações das agências de notícias)