Leila Barros destaca os 10 anos do Hospital da Criança de Brasília

Senadora lembra que o HCB integra a rede pública de assistência à saúde do Distrito Federal desde 2013 (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)

A senadora Leila Barros (Cidadania-DF) registrou em pronunciamento, nesta terça-feira (23), os 10 anos de atividades do Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB). Ressaltou que a instituição é fruto de uma parceria entre a Abrace (Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias) e o governo do Distrito Federal.   

Leila Barros lembrou que o HCB integra a rede pública de assistência à saúde do Distrito Federal desde 2013. É um hospital de referência especializada, de média e alta complexidades. Oferece consultas pediátricas em várias especialidades, além de exames laboratoriais e de imagem. A senadora ressaltou que o HCB não atende a casos de emergência e os atendimentos são realizados somente com hora marcada para crianças a partir dos 29 dias de nascidas até jovens de 19 anos.

“Meus cumprimento e agradecimentos aos mais de 1.500 funcionários do Hospital da Criança de Brasília José Alencar, ao diretor Francisco Duda, ao ex-diretor Renilson Rehem, aos médicos, enfermeiros, colaboradores, parceiros, pacientes e famílias que fazem parte daquele universo tão humanizado, tão especial, do HCB. A instituição merece nota máxima em saúde e também o reconhecimento do povo brasileiro, em especial de toda a população do Distrito Federal”, disse Leila Barros. (Com Agência Senado)

Leila Barros diz que aumento da pobreza no DF é ‘revoltante’

População do Distrito Federal foi a unidade da federação que mais empobreceu entre o primeiro trimestre de 2019 e janeiro de 2021, mostra estudo de economista do FGV-Ibre (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

A senadora Leila Barros (Cidadania-DF) disse na rede social, nesta segunda-feira (30), que o aumento da pobreza no Distrito Federal de 12,9% para 20,8% da população, registrado pelo estudo do economista Daniel Duque, pesquisador do FGV-Ibre (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas), é ‘revoltante’.

“Não bastassem as 10.024 mortes por Covid-19 no DF, os escândalos de corrupção e o descaso do GDF [Governo do Distrito Federal], temos de lidar ainda com o aumento dos preços e da pobreza”, postou a senadora em seu perfil no Twitter, ao comentar matéria do jornal Correio Braziliense sobre o estudo (veja aqui).

De acordo com o levantamento, a população do Distrito Federal foi a unidade da federação que mais empobreceu entre o primeiro trimestre de 2019 e janeiro de 2021. Já a extrema pobreza, cresceu 4,1%, de 3,2% para 7,3% dos habitantes.

No Brasil, a fatia de população pobre passou de 25,2% para 29,5%. Conforme dados do estudo, a pandemia de Covid-19 é considerada como a maior causa do empobrecimento dos brasileiros.