CFM libera telemedicina, defendida por Paula Belmonte

A parlamentar encaminhou pedido de adoção da medida à entidade com o intuito de reduzir o fluxo de pessoas nas unidades de saúde (Foto: Robson Gonçalves)

O Conselho Federal de Medicina liberou nesta quinta-feira (19) o exercício da telemedicina em caráter excepcional por causa da crise do coronavírus. A deputada federal Paula Belmonte (Cidadania-DF) encaminhou pedido de adoção da medida à entidade com o intuito de reduzir o fluxo de pessoas nas unidades de saúde.

As consultas poderão ser feitas por videoconferência.

Videoconferência desafoga sistema de saúde com epidemia do Covid-19 (Foto: Robson Gonçalves)

“Estamos passando por uma pandemia e, com essa medida, é possível mitigar a vulnerabilidade dos profissionais de saúde, evitando o contato com pessoas infectadas, além de desafogar o sistema de saúde”, disse a deputada.

Paula Belmonte pede ao CFM que regulamente consultas médicas via internet

Um dos objetivos é diminuir o fluxo de pessoas que estão buscando as emergências nos hospitais (Foto: Robson Gonçalves)

A deputada federal Paula Belmonte (Cidadania – DF) solicitou ao Conselho Federal de Medicina (CFM) que adote providências de regulamentação para que consultas ambulatoriais sejam feitas por videoconferência, via internet, sem a necessidade de acompanhamento de um profissional da saúde.

O objetivo é diminuir o fluxo de pessoas que estão buscando as emergências nos hospitais e também reduzir a exposição dos profissionais da saúde ao coronavírus.

“Estamos passando por uma séria pandemia. Com a medida, mitigamos a vulnerabilidade desses profissionais ao terem contatos com pessoas infectadas, que são praticamente vetores da doença, mas que não se encontram em condições de saúde que careçam de um atendimento médico presencial, intensivo e com intervenções físicas e hospitalares”, destaca a deputada.