“Minha candidatura é para valer e já está incomodando”, diz Simone Tebet

Senadora participou do primeiro evento de campanha com o PSDB, organizado pelo prefeito de São Bernardo do Campo, o tucano Orlando Morando

A senadora Simone Tebet, pré-candidata à Presidência da República pelo centro democrático (MDB, PSDB e Cidadania), foi recebida no início da tarde desta sexta-feira (22), pelo prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB), no Diretório Municipal do PSDB na cidade do ABC paulista. Ao lado do presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, os três concederam uma entrevista coletiva à imprensa.

Questionada sobre ameaças de eventual judicialização da convenção nacional do MDB, marcada para quarta-feira, dia 27, Simone foi enfática: “A minha candidatura é para valer e aí está a prova de que já está incomodando”, disse. “E por que não tentaram isso lá atrás? Porque não acreditavam que nós iríamos levar até o final. Mas nossa candidatura é em defesa do Brasil, que precisa ser devolvido aos brasileiros, e vai ser devolvido da forma mais importante, com um governo afetivo, que atende aos interesses das pessoas com amor, com determinação, é o coração de mãe que vai estar dia 1 de janeiro 2023 governando este país.”

A parlamentar frisou ainda que, neste momento de crise – na verdade, numa conjunção de crises –, é preciso olhar para as pessoas. “Menos Lula, menos Bolsonaro e mais Brasil. Vamos devolver o Brasil para quem é dono dele, para o povo brasileiro, para o povo trabalhador, para a trabalhadora, a dona de casa e a mãe, aquela mulher que se sacrifica pelo seu filho, que tem de enfrentar jornadas duplas até triplas de trabalho, e ganha 25% menos do que os homens, se for uma mulher preta, chega a ganhar 40% menos.” A pré-candidata frisou ainda que sua candidatura se apresenta contra a desigualdade e os “retrocessos civilizatórios” que têm marcado o país. “Triste Brasil que tem de fazer uma escolha entre a corrupção do ‘mensalão’ e ‘petrolão’ do passado e a corrupção da educação, da saúde e do ‘orçamento secreto’ no presente.”

Orlando Morando, o prefeito de São Bernardo do Campo, disse que, com alegria, era o primeiro administrador municipal tucano a receber a pré-candidata em um evento oficial. Para ele, o Brasil precisa “falar, pensar e acordar” para a política. “Eu gostaria de registrar e declarar o meu apoio à sua candidatura, e nossas lideranças políticas estarão na sua trincheira defendo o Brasil, São Bernardo e São Paulo”, disse Morando, ao receber a senadora. “O Brasil não pode ficar nesta polarização. Ninguém governa para ideologias. Governa para as pessoas, para o cidadão que acorda cedo, para quem está com a vida difícil, para o desempregado. Não é a ideologia que vai resolver esses problemas. É alguém com preparo e capacidade para isso. A senadora Simone Tebet soma todas essas qualidades”.

O presidente do Cidadania, Roberto Freire, acrescentou que a consolidação da candidatura da senadora é certa no dia 27. A seguir, alertou: “E que tomem tento aqueles que pensam que já venceram as eleições”. Também presente no diretório do PSDB, Gustavo Reis, prefeito de Jaguariúna e presidente da Associação Nacional de Prefeitos, Vice-Prefeitos e Vereadores do MDB, destacou a importância da presença da pré-candidata na cidade do ABC paulista. “Isso pelo fato de estar sendo recebida pela primeira vez por um prefeito do PSDB em numa cidade tão importante, mas também por possibilitar que as pessoas a conheçam na região”, disse. “E não tenho dúvida que, uma vez feito o contato, é amor à primeira vista, tamanho os atributos da senadora, como a experiência na vida pública e a idoneidade. Ela está mais do que capacitada e preparada para disputar a Presidência.”

Em São Bernardo do Campo, importante polo da indústria nacional, a senadora Simone Tebet tratou ainda da questão da reindustrialização do Brasil. Ela observou que praticamente todas as economias ao redor do mundo com um setor industrial forte apresentam três pilares em comum: 1) uma intensa agenda de desenvolvimento tecnológico e produtividade; 2) uma forte inserção internacional; e 3) uma sólida estrutura de capital. “Hoje o Brasil não possui nenhum dos três pontos”, afirmou. “A reindustrialização brasileira se dará com aumento de sua participação no comércio internacional, com uma indústria nacional moderna, aberta às novas tecnologias, novos produtos e serviços, limpa e inovadora, condizente com a nova sociedade do conhecimento e a economia de baixo carbono.”

VISITA A UM SÍMBOLO DO ANTIPETISMO

Antes da entrevista coletiva no diretório do PSDB, Simone Tebet conheceu as instalações da Fábrica de Cultura 4.0 de São Bernardo do Campo. As atividades oferecidas no local unem cultura, tecnologia e empreendedorismo. Ele possui áreas destinadas a atividades como espaço maker, robótica, games, programação e artes. Conta com uma “bibliotech”, a primeira biblioteca digital do Estado de São Paulo, e uma área de coworking para incentivar a troca de experiência entre empreendedores e agentes culturais. O espaço é considerado um símbolo do antipetismo no ABC paulista. Ele foi erguido pelo prefeito Morando onde seria o Museu do Trabalhador, um projeto fracassado do ex-prefeito Luiz Marinho, do PT.

Na visita à Fábrica de Cultura, a parlamentar estava acompanhada pelo prefeito Orlando Morando, pelo presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, além do prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis (MDB). No local, ela foi recebida por Sérgio Silva de Freitas, presidente do conselho da administração da Organização Social Catavento Cultural e Educacional, gestora da Fábrica de Cultura, além de responsáveis pela administração da entidade em São Bernardo do Campo, como Ricardo da Silva, Evelin Toniette, Aline Canciani, Renato Barreiros e Deise Campos.

(Assessoria de Imprensa – Pré-Campanha Simone Tebet)

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment