Crise pode levar escolas privadas ao colapso, diz senador Jorge Kajuru

De acordo com o senador, o setor representa um universo de 41 mil instituições de ensino’ e que 50% das escolas podem fechar as portas com a crise (Foto: Pedro França/Agência Senado)

O senador Jorge Kajuru (Cidadania-SE) manifestou preocupação na sessão remota, nesta quarta-feira (28), diante da possibilidade de escolas de ensino privado no País sofrerem um colapso sem a ajuda governamental para atravessarem à grave crise econômica desencadeada pela pandemia do novo coronavírus.

“O setor tem emitido vários sinais de alerta de que pode sofrer um colapso e que não vai sobreviver sem a ajuda oficial. Por causa das dificuldades financeiras decorrentes da crise sanitária, as mensalidades deixam de ser pagas, e os estabelecimentos de ensino ficam sem condições de honrar seus compromissos”, disse o senado, ao citar projeções de que 50% das escolas privadas podem fechar as portas.

“Estamos falando de um universo de 41 mil instituições de ensino particular do País que formam 15 milhões de estudantes. Imaginem o impacto se a metade deixar de funcionar”, acrescentou.

Em Goiás, estado representado pelo parlamentar do Cidadania, o Conselho Estadual de Educação estima que 62% das escolas são da rede particular.

“Imaginem se metade dos estudantes que ela atende tiverem de se deslocar para as escolas públicas. Será um caos. Mais um motivo para preocupação nesse setor vital que é a educação e num momento em que vemos o FNDE [Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação] sendo entregue [pelo governo federal] a gestores ligados a parlamentares do centrão [em troca de apoio]”, criticou Kajuru.

Ele lembrou que o FNDE responde por quase 40% dos recursos do Ministério da Educação para o Fundeb (Fundo de Manutenção da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), que perde a vigência em 31 de dezembro deste ano.

“Fiz minha parte, ainda em 2019, e apresentei a PEC 33, aqui no Senado – foi a primeira –, que torna permanente o Fundeb. Estamos, então, correndo contra o tempo”, disse Jorge Kajuru, ao defender a votação da proposta pelo Congresso Nacional.

VEJA TAMBÉM

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário