Da Alemanha, no Dia Mundial do Meio Ambiente, Arnaldo Jardim defende energia renovável

Neste Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho,  o deputado federal Arnaldo Jardim (Cidadania-SP) defendeu a sustentabilidade, com foco na energia renovável, na preservação e na implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Jardim está em missão oficial da Câmara na Alemanha, discutindo questões relativas ao meio ambiente e conhecendo experiências do mundo desenvolvido na economia de baixo carbono.

“Cuidar do meio ambiente é cuidar do futuro, futuro com qualidade de vida. Sempre entendi que sustentabilidade veio para ficar”, disse o parlamentar.

O programa da viagem ao país europeu é intenso, contou Jardim. Nesta quarta-feira (05) ele vai conhecer o Instituto Potsdam para Pesquisa do Impacto Climático pela manhã. À tarde, será a vez de visitar a aldeia de Bollewick, que em 2012 tornou-se bioenergética. Na localidade, estão instaladas duas centrais de biogás e centrais fotovoltaicas geram 8,19 milhões de kWh/ano de eletricidade e mais de 6 milhões de kWh/ano de calor, que abastecem a população.

O parlamentar do Cidadania  falou sobre seu trabalho em prol do meio ambiente.

“Desde o início, indo além de modismos, compreendendo que, afora mudança cultural e comportamental, precisamos buscar a sustentação econômica para isto”, defendeu.

O parlamentar ressaltou seu compromisso com a energia limpa, pela qual trabalha em vários setores na Câmara dos Deputados, como as frentes parlamentares da Economia Verde e do Setor Sucroenergético. Jardim foi relator da Política Nacional de Resíduos Sólidos, aprovada pelo Congresso, e é defensor de sua total implementação. Uma das bandeiras do deputado é a aprovação da proposta de pagamento por serviços ambientais.

Biocombustíveis

O parlamentar esteve recentemente nos Estados Unidos debatendo a viabilidade e a necessidade dos biocombustíveis, principalmente do etanol e do bioquerosene e agora está na Alemanha, que faz uma grande mudança na sua matriz energética e lidera a Europa nesse movimento.

“Saí convencido de que o Brasil pode, e deve, ser a vanguarda mundial da nova economia ou economia verde ou economia de Baixo Carbono. Temos vantagem geográfica, legislação consolidada e histórico que permitiu avanço tecnológico. Vamos ao trabalho”, disse.

Energias renováveis

Na Alemanha, nesta terça-feira, Jardim e os demais deputados brasileiros que compõem a comitiva da missão oficial conheceram o grupo Agora Energiewende, que formula uma visão de como pode ser concebido um sistema elétrico baseado em energias renováveis. Essa equipe se tornou conhecida como um dos principais atores no domínio da política energética, colaborando com institutos de pesquisa e desenvolvendo suas próprias análises e estudos. O grupo apresentou estudos para eliminar gradualmente a energia obtida a partir do carvão.

Ainda ontem (04),  Arnaldo Jardim esteve com a presidente da Comissão de Meio Ambiente, Proteção da Natureza e Segurança Nuclear do Bundestag Alemão, Sylvia Kotting-Uhl, e com demais membros da comissão. O parlamentar conheceu também o Centro de Congressos de Berlim e o Conselho Alemão para o Desenvolvimento Sustentável, responsável pelo aconselhamento do governo alemão sobre questões de sustentabilidade. Outra tarefa do colegiado é reforçar o debate social para aumentar o grau de conscientização para a importância da sustentabilidade.

Conferência

Os parlamentares do Brasil participaram do painel de encerramento da 19.ª Conferência Anual do Conselho de Desenvolvimento Sustentável, que contou com a presença do ministro federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento, Gerd Müller, e da ministra federal do Meio Ambiente, Proteção da Natureza e Segurança Nuclear, Swenja Schulze.

Marcos do Val: Dia Mundial do Meio Ambiente

Instituído em 1972 pela Assembleia Geral das Nações Unidas, o Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado no dia 5 de junho. No Brasil, essa data foi ampliada e se tornou a Semana Nacional do Meio Ambiente. Época em que escolas, universidades, institutos de meio ambiente, ONGs e mídia desenvolvem ações conjuntas para lembrar a sociedade sobre a importância de medidas de atenção e proteção ambientais. Aproveitamos o momento para refletir sobre qual ambiente de vida queremos para o futuro do nosso planeta e o que estamos deixando para as próximas gerações.

Nos deparamos hoje com a triste realidade da degradação ambiental, a contaminação de rios, lagos e oceanos, a poluição do ar nas grandes cidades e a devastação de nossas florestas e sua inestimável biodiversidade. Temos que iniciar um rápido e amplo processo de reversão dessa conduta nefasta e inconsequente antes que seja tarde demais. Devemos deixar para os nossos descendentes um ambiente saudável para viverem e usufruírem, assim como estamos fazendo.

Nossa sociedade, sem os devidos instrumentos de planejamento, controle, proteção e fiscalização tem mostrado-se predadora, mantendo um comportamento deletério de consumo e uso desenfreado dos recursos naturais. É preciso combater e punir essa cultura de destruição ao meio ambiente.

Como parlamentares, cabe-nos o aperfeiçoamento dos instrumentos legais de controle bem como a fiscalização impiedosa da aplicação das leis sobre os métodos de produção industrial, agrícola e minerária. É nosso dever também acompanhar se o tratamento de rejeitos e sua disposição estão sendo feitos de maneira adequada. Não é mais possível o convívio com o esgoto a céu aberto, com os lixões espalhados pelas periferias das cidades e com as doenças decorrentes da destinação inadequada, enquanto bilhões de reais são desviados pela corrupção, mau uso e enriquecimento ilícito.

Por outro lado, há que se evidenciar e pôr luz sobre importantes ações em curso em meu estado, o Espírito Santo. O Programa Reflorestar, resultado de uma exitosa parceria entre o governo do estadual e os produtores rurais, sobretudo os pequenos, está recuperando de forma inédita milhares de hectares de florestas nativas sem prejuízo de sua atividade econômica. Fica criada uma relação onde todos ganham deixando um legado de que o homem que produz o alimento é o mesmo que conserva a terra.

Enquanto representantes dos estados no Senado Federal, devemos envidar esforços em prol da conservação e do uso sustentável de nossas riquezas naturais sob pena de, num futuro próximo, ficarmos na história como atores que fecharam os olhos no momento em que mais poderiam ter contribuído para garantir uma vida melhor às futuras gerações, deixando-as abandonadas à própria sorte.

Na condição de senador da República, quero abraçar e assumir compromisso com cada iniciativa capixaba e brasileira que nos ajudem a entregar um País melhor para as futuras gerações que ocuparão esse ambiente chamado Terra.

Marcos do Val é senador pelo Cidadania do Espírito Santo