Aprovado PL relatado por Leila Barros que dá nome de repórter cinematográfico a estúdio da TV Senado

‘Carlos Alberto Pereira da Silva era um profissional competente, muito querido e admirado pelos colegas’, afirmou a senadora (Foto: Roque de Sá/Agência Senado)

O Senado aprovou, nesta terça-feira (15), o projeto (PRS 62/2020) relatado pela senadora Leila Barros (Cidadania-DF) que dá o nome de ‘Estúdio Carlos Alberto Pereira’ ao estúdio da TV Senado no Salão Azul. A iniciativa é do ex-presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e tem por objetivo homenagear Carlos Alberto Pereira da Silva, repórter cinematográfico da TV Senado, desde 1994 – quando a emissora era apenas uma central de vídeo, que faleceu, vítima da Covid-19.

Leila destacou que Carlos Alberto era um profissional competente, muito querido e admirado pelos colegas. A senadora também lembrou que ele foi a primeira vítima fatal da Covid-19 no Senado. Conforme relatou Leila, Carlos Alberto foi internado no dia 25 de julho de 2020, no Hospital Regional da Asa Norte, em Brasília, logo que teve os primeiros sintomas da doença. Ele morreu no dia 13 de agosto.

 “Esta homenagem é não apenas reconhecer a contribuição de Carlos Alberto Pereira da Silva para a comunicação do Senado, mas também rememorar todos os brasileiros e brasileiras que morreram vítimas do coronavírus”, ressaltou a senadora, ao lembrar que também nesta terça-feira (15) foi inaugurado um Memorial em homenagem às vítimas brasileiras da pandemia. 

Trajetória

Carlos Alberto nasceu em Anápolis (GO), no dia 8 de agosto de 1956. Ele formou família e fez carreira em Brasília, onde trabalhou na antiga Radiobras, na extinta TV Manchete, na TV Record e na TV Câmara. Deixou a TV Senado por um curto período, entre 2003 e 2006. Em 2014, o programa EcoSenado, com o qual ele colaborou, venceu como Melhor Reportagem Cinematográfica na etapa distrital do 6º Prêmio Sebrae de Jornalismo. (Com informações da Agência Senado)

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment