Freire: forças de oposição precisam encontrar caminho comum de enfrentamento a Bolsonaro

Presidente do Cidadania participou de webconferência com representantes de PSDB, PDT, PSB, PROS, PT, PSOL, PCdoB e Rede

O presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, disse nesta quarta-feira (17) que as forças democráticas devem dialogar e encontrar caminhos conjuntos para enfrentar o governo Bolsonaro. O ex-parlamentar coordenou a webconferência “Democracia, política e partidos”, que reuniu representantes do PSDB, PDT, PSB, PROS, PT, PSOL, PCdoB e Rede Sustentabilidade. 

“Os partidos aqui representados, se não estão em franca oposição ao governo, têm profundas críticas. Essa nossa conversa pode ter uma grande importância, se não for apenas ela, mas o início de um diálogo. O momento que o Brasil vive exige que as forças democráticas dialoguem, se possível tentando encontrar caminhos comuns de como fazer esse enfrentamento democrático”, destacou Freire.

O presidente nacional do Cidadania também condenou a forma como Jair Bolsonaro vem conduzindo uma das maiores crises sanitárias enfrentadas pelo país e pelo mundo. “Precisamos fazer oposição porque o país não pode conviver com alguém que demonstra tanta desumanidade no enfrentamento de uma pandemia e de uma tragédia que vive o povo brasileiro e, ao mesmo tempo, não cuida de governar e, sim, de destruir”, reforçou.

Unidade de discurso

Freire ainda comentou os ataques constantes do presidente ao Supremo Tribunal Federal (STF). Nesta manhã, em conversa com seus apoiadores no Palácio do Alvorada, Jair Bolsonaro disse: “não vou ser o primeiro a chutar o pau da barraca. Eles estão abusando, tá? Isso está a olhos vistos”. Ele se referia à quebra de sigilos bancários de parlamentares governistas, pedida pela Procuradoria-Geral da República e autorizada pelo ministro do STF Alexandre de Moraes.

“Hoje, pela manhã, tivemos o início de uma outra ofensiva e ameaça aos poderes. Acho que esse encontro é importante para cada um discutir a conjuntura política e o que poderia ser algo que nos unificasse em torno de uma frente democrática de enfrentamento ao governo, que demonstra desrespeito à Constituição e à própria democracia”, afirmou o ex-parlamentar. 

Para Freire, o debate teve como consenso dos participantes a oposição ao presidente Bolsonaro. “Houve essa unidade. Alguns com uma urgência para tirá-lo do governo, vendo-o profundamente nefasto para o país”, disse.  “Não temos tempo. Agora está em jogo a democracia. Não é o que vamos fazer a partir de 2022, é o agora. Precisamos lutar pela liberdade e pensarmos em como construir essa frente. É necessário unificar a luta para sermos vitoriosos”, finalizou.

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário