Alessandro Vieira: Ricardo Salles aumentou desmatamento e reduziu fiscalização

Estamos queimando nosso futuro”, afirma o senador em rede social (Foto: Reprodução/Assessoria)

Ao defender na rede social que o Brasil precisa de “gestão eficiente”, o líder do Cidadania no Senado, Alessadro Vieira (SE), responsabilizou o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, pelo aumento do desmate e a redução da fiscalização ambiental.

“O Brasil não precisa de guerra de hashtags ou mitadas nas redes. Precisa de gestão eficiente e políticas públicas sérias. Sobre o Salles, a questão é objetiva: na sua gestão o desmatamento foi reduzido e fiscalização melhorou? Não, aconteceu o contrário. Estamos queimando nosso futuro”, afirmou no Twitter.

A redução das atividades de fiscalização do Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis) foi denunciada em carta assinada por cerca de 400 servidores do órgão, nesta terça-feira (20). Eles afirmam ao presidente do Ibama que estão com suas atividades de fiscalização totalmente paradas após uma decisão de Salles, que mudou o rito para a aplicação de multas ambientais. Segundo os fiscais, a instrução normativa conjunta do Ministério do Meio Ambiente, Ibama e ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), emitida na semana passada, “inviabiliza” as ações de combate ao desmatamento na Amazônia.

Desde que Salles assumiu a pasta, o ritmo de destruição da floresta aumentou substancialmente. As taxas de desmatamento em 2019 e 2020 são as maiores desde 2008. No mesmo período, o Ibama também suspendeu operações contra o desmate na Amazônia duas vezes por restrições orçamentárias.

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário