COVID-19: Lohanna França enfrenta campanha difamatória após defesa do isolamento

Ameaçada, vereadora mais votada de Divinópolis registrou queixa-crime na Delegacia de Proteção à Família nesta segunda-feira

A vereadora do Cidadania Lohanna França, de Divinópolis, esteve sob escolta da Polícia Militar de Minas Gerais no fim de semana após sofrer ameaças por defender medidas de isolamento social contra o avanço da Covid-19 na cidade. A parlamentar responsabiliza adversários políticos derrotados nas eleições passadas por uma campanha difamatória que envolve até mesmo um insólito abaixo-assinado pedindo seu “impeachment”.

“Eu sempre defendi a saúde, ao lado da economia, assim como o comércio e os trabalhadores. E, justamente por isso, sei que a economia não fica de pé com recordes diários de mortes como os que estávamos enfrentando. Dizer isso é duro, e quem joga pra galera corre desse discurso”, sustenta. “É inadmissível que covardes ataquem aqueles que defendem a saúde das pessoas”, completa.

Ao jornal O Tempo, Lohanna, que registrou queixa-crime nesta segunda-feira (19) na Delegacia de Proteção à Família, se diz assustada com o teor das mensagens que vem recebendo inclusive por celular.

“A PM interceptou ameaças contra mim. Nas mensagens, dizem que eu preciso tomar cuidado, que serei linchada, que minha batata está assando. O que mais me preocupou foi uma mensagem que dizia que alguém precisava me parar. Me parar como?”, questiona.

Abaixo-assinado, ignorância e mentiras

Um dos argumentos para o despropositado abaixo-assinado – o impeachment não se aplica a vereadores – é de que ela teria mandado fechar a cidade, medida que só poderia ser tomada pelo prefeito.

“A coisa vem numa espiral crescente de ódio desde quinta-feira, quando a Advocacia-Geral do Estado denunciou a prefeitura por não estar seguindo os critérios de distanciamento previstos no Minas Consciente, programa estadual de enfrentamento à pandemia. Pegaram vídeos antigos meus e estão dizendo que mandei fechar a cidade. Como se eu tivesse esse poder”, conta.

França observa que defendeu a restrição de circulação em Divinópolis diante do colpso iminente do sistema de saúde. “Chegamos a quase 100% de ocupação hospitalar. Na UPA, 300%. Sempre defendi vidas em primeiro lugar. Entendo que foi acertado e faria tudo novamente. É inadmissível as pessoas serem amarradas em macas por falta de sedativo. É inadmissível as pessoas morrerem por falta de leitos”, argumenta.

Sobre as mentiras, calúnias e difamações, Lohanna diz que sua equipe está monitorando e vai processar todos os envolvidos. “Ignorância e mentiras continuam matando na pandemia. É inadmissível que covardes ataquem aqueles que defendem a saúde das pessoas”, crítica.

Em apoio à vereadora, o Cidadania convoca os filiados militantes do partido a denunciar a petição com pedido de… impeachment. Basta acionar este link aqui, clicar em “denunciar conteúdo, em seguida marcar a caixa “abusivo ou odioso” e enviar para avaliação da plataforma change.org.

Leia mais na matéria do jornal O Tempo:

Vereadora mais votada de Divinópolis é ameaçada e apresenta queixa na polícia

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário