Alessandro Vieira é indicado para compor a CPI da Covid

Expectativa do senador é  de que a indicação dos membros da comissão pelas bancadas seja finalizada ainda nesta quarta-feira (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

O líder do Cidadania no Senado, Alessandro Vieira (SE), foi indicado pelo bloco parlamentar Senado Independente (Rede/Cidadania/PDT/PSB) para compor a CPI da Covid na condição de suplente. O titular será o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor do requerimento da CPI, que vai apurar as ações do governo federal na pandemia e a utlização de recursos da União repassados a estados e municípios.

A leitura da criação da CPI ocorreu nesta terça-feira (13) por determinação do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Luís Roberto Barroso, em atendimento a ação promovida por Alessandro Vieira.

Em entrevista à rádio Jovem Pan, o líder do Cidadania no Senado disse que a expectativa é  de que a indicação dos membros da CPI pelas bancadas seja finalizada ainda nesta quarta-feira (14), abrindo possibilidade para o início do processo de apuração.

“A imensa maioria dos senadores manifestaram que é necessário ter CPI que apure eventuais falhas do governo federal e também acompanhe os desdobramentos dos repasses de recursos do governo federal a estados e municípios. É muito importante não ter uma CPI capenga, que apure apenas um lado da história”, disse.

“Estamos em um bom caminho, é um risco sempre em qualquer CPI ter uma excessiva politização, mas é onde entre responsabilidade de cada senador e a fiscalização da sociedade. Temos condições, vamos fazer um bom trabalho”, completou.

Instalação após definição da composição

Não há um prazo regimental para que os líderes nomeiem os membros da CPI, mas isso pode vir a ser definido pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-AP). A instalação da comissão será feita depois que a composição estiver definida, ocasião em que serão escolhidos os presidente, o vice e o relator.

A comissão terá 11 membros titulares e 7 suplentes, que serão indicados pelos blocos partidários, conforme distribuição abaixo:

Unidos pelo Brasil (MDB/PP/Republicanos), 24 senadores:

3 titulares e 2 suplentes

Podemos/PSDB/PSL, 17 senadores:

2 titulares e 1 suplente

Vanguarda (DEM/PL/PSC), 11 senadores:

2 titulares e 1 suplente

PSD (sem bloco), 11 senadores:

2 titulares e 1 suplente

Resistência Democrática (PT/Pros), 9 senadores:

1 titular e 1 suplente

Senado Independente (PDT/Cidadania/Rede/PSB), 9 senadores:

1 titular e 1 suplente 

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário