Eliziane Gama critica ‘termo de consentimento’ para vacinação contra Covid-19

Para a senadora, a exigência cria dificuldades para o sucesso da vacina no combate à Covid-19 (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

A líder do Cidadania no Senado, Eliziane Gama (MA), criticou nesta terça-feira (15) a decisão do governo de editar a  medida provisória que prevê a compra de vacina contra a Covid-19 pelo programa internacional Covax Facility com a previsão de um “termo de consentimento” a ser assinado por quem tomar a futura vacina.

“Nós estamos lidando com um governo que coloca a disputa política e suas convicções à frente do bem do povo brasileiro.  Enquanto o governo bate cabeça, o Brasil perde vidas e também perde tempo. O Congresso Nacional não vai aceitar isso”, afirmou a parlamentar.

De acordo com o relator da MP,  deputado federal Geninho Zuliani (DEM-SP), o texto a ser votado pelo Congresso prevê o  consentimento com o objetivo de tirar da União a responsabilidade sobre eventuais efeitos colaterais da vacina.

Para Eliziane Gama, a exigência cria dificuldades para o sucesso da vacina no combate à Covid-19.

“A proposta agride a saúde pública. A responsabilidade pelos medicamentos é dos laboratórios, não do governo. A Anvisa decide tão somente sobre os relatórios de pesquisa. Talvez uma proposta razoável seja a não obrigatoriedade da vacina”, defendeu.

A MP deve ser votada hoje (15) pela Câmara dos Deputados. A previsão do relator é de que o relatório seja aprovado até quinta-feira (17).

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário