Cegueira do general, daltonismo do capitão

Segundo o dicionário Michaellis, daltonismo é uma incapacidade para distinguir certas cores, principalmente o vermelho e o verde. Após a grande repercussão do assassinato por espancamento de João Alberto, em uma loja da rede Carrefour em Porto Alegre, Mourão declarou à imprensa que não existe racismo no Brasil. Bolsonaro, na sequência, afirmou que é um daltônico social, para ele, todos têm a mesma cor no Brasil e não comentou nada sobre o episódio acontecido na capital gaúcha. Bem doutrinado pela falsa ideia da democracia racial brasileira, tem dificuldade em enxergar os pretos. Mas o que é o racismo no Brasil? Toda e qualquer atitude que parta da ideia de que os brancos são superiores. A percepção racista do General Mourão também não é novidade: em agosto de 2018, ele declarou que “o brasileiro herdou ‘indolência’ do índio e ‘malandragem’ do africano”. 

A brutalidade da repreensão dos seguranças revela que existe uma pré-disposição no indivíduo em violentar pessoas negras, uma pré-disposição construída socialmente – e, portanto, institucionalizada – que tem como pano de fundo a concepção absurdamente racista de que o negro é malandro. Uma coisa Mourão acertou: isso é resultado de um profissional totalmente despreparado. É latente que temos que ensinar novas atitudes não somente às instituições públicas e privadas de segurança, mas à sociedade como um todo. 

Roberto Freire
Presidente nacional do Cidadania

Romero Rocha
Coordenador do Igualdade 23

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário