Companheiros históricos do Cidadania homenageiam Francisco Almeida em livro

O militante e dirigente histórico do Cidadania Francisco Inácio de Almeida foi homenageado, na tarde deste sábado (14), em encontro virtual, com o lançamento do livro “Almeida: Um combatente da democracia”, composto por textos e depoimentos de antigos amigos que ao longo de suas vidas pessoais se relacionaram e atuaram politicamente ao lado do jornalista. A obra foi idealizada pelos também militantes históricos Ivan Alves Filho (RJ) e George Gurgel (BA).

Na abertura da live, Gurgel destacou a atuação de Almeida e sua trajetória partidária, que começou no PCB (Partido Comunista Brasileiro), passou pelo PPS (Partido Popular Socialista) e continua hoje no Cidadania.

“O camarada Almeida foi sempre acolhido e reconhecido pelo seu gigantesco trabalho pela democracia e por uma sociedade mais justa e humana. A sociedade precisa construir esse humanismo que ele representa. Essa referência [do Almeida] deixa claro que é possível termos uma sociedade melhor, democrática, fraterna e justa. Estamos emocionados”, disse.

Ivan Alves afirmou que o livro revela o lado humano e combativo do dirigente e o evidencia como um grande articulador político e partidário.

“A ideia partiu do Gurgel para homenagear o nosso querido Almeida. O livro o revela como um grande organizador, formulador, ativista cultural e, sobretudo, um ser humano extremamente solidário. Todos aqui o conhecemos há décadas. Não tem uma pessoa entre nós que não veja o Almeida como sinônimo de solidariedade humana”, pontuou.

Já a coordenadora do Cidadania Mulher e esposa de Francisco Almeida, Tereza Vitale, reforçou a trajetória do dirigente na história política nacional.

“[O livro] tem um retrato muito legal do Almeida como ser humano e um retrato do Brasil com o Almeida militante. Achei emocionante o fato dele fazer parte dessa história. Estou emocionada. É um homem cheio de amigos. Gosta de todos. Conversa com todos. Sempre gentil”, ressaltou.

No encontro, o presidente do Cidadania, Roberto Freire, lembrou o caráter apaziguador adotado pelo dirigente em toda sua trajetória.

“Almeida é uma figura que todo mundo sabe que nele encontrará palavras com objetivo de pacificar os embates. Algumas vezes, quando pensávamos em fazer algo, ele tomava a frente. Uma pessoa prestativa e solidária. Nos ajudou e ajuda tremendamente. Merece todas as nossas homenagens. Na Fundação [Fundação Astrojildo Pereira], ele dizia que o PCB precisava de um jornal ou revista e por meio da revista rearticulou muito dos nossos intelectuais. Almeida sempre foi um elo entre todos nós”, enalteceu

Em seu depoimento na live, e de maneira emocionada, a socióloga Cleia Schiavo lembrou que, desde garota, era simpática às ideias de esquerda, mas que se filiou ao partido somente em 1992. Explicou que a sua adesão ao PPS muito se deve a a Francisco Almeida e a Ivan.

“Entrei em um momento em que se discutia muito democracia e revisão da teoria marxista. Entrei com muito medo, mas percebi que ali [o partido] era minha casa. Nesse início, fui muito abraçada pelo Ivan e pelo Almeida. Eu sou muito grata”, elogiou.

Almeida também recebeu amplos elogios do ex-governador e ex-senador Cristovam Buarque e de muitos outros amigos que participaram do encontro virtual, a maioria deles com militância iniciada no antigo PCB.

O livro foi uma obra entre amigos e companheiros e não estará à venda nas livrarias. A publicação contou com a colaboração de 33 pessoas e o prefácio foi elaborado pelo pesquisador Luiz Weneck Vianna.

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário