Cidadania avalia CPI do Apagão pra investigar responsabilidades em blecaute no Amapá

Decisão será tomada a partir das respostas do governo federal a requerimento de informações enviado pela Câmara

O presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, afirmou nesta sexta-feira (13) que o partido aguarda respostas do Ministério de Minas e Energia e da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para avaliar a apresentação de um pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) pra apurar as causas e punir os culpados pelo apagão no Amapá. O apagão, que já dura 12 dias, está levando caos e sofrimento à população local, que enfrente de falta d’água à dificuldade pra encontrar alimentos básicos no estado.

“Embora o governo esteja dizendo que adotou medidas emergenciais para restabelecer 80% do fornecimento, a população continua sem energia, que voltou, segundo os relatos, de forma intermitente e muito aquém do necessário. Enquanto o povo sofre, o governo bate cabeça e as informações são desencontradas. É preciso apurar as responsabilidades também da concessionária de energia. Não é possível que um estado inteiro fique sem luz e não haja plano adequado de contingência”, cobrou.

O presidente do partido também criticou a decisão de adiar as eleições somente na capital, já que o problema atinge outras cidades. E ainda apontou os riscos envolvidos num momento de pandemia. “Os relatos são de que as UTIs estão lotadas e o sistema de saúde, sobrecarregado. Com o apagão, perde-se o controle sobre o registro de casos, além do próprio atendimento aos pacientes ser comprometido. Enquanto isso, vemos o presidente da República voltado pras suas fanfarronices. Não trabalha nem deixa os outros trabalharem”, censurou.

Candidato do Cidadania à Prefeitura de Macapá, o deputado estadual Dr Furlan foi o primeiro a defender o adiamento das eleições, mas também questionou por que a medida não foi adotada nas demais cidades.

“Por que só em Macapá? Por que não no Estado inteiro? Que as eleições deveriam ser adiadas, a gente já sabia, tanto que pedimos isso. Agora, que elas tinham que ser adiadas até o irmão do presidente do Senado parar de cair nas pesquisas, isso é novidade”, apontou, em referência ao irmão de Davi Alcolumbre que disputa a eleição na capital, Josiel Alcolumbre.

Segundo ele, que é médico, a UTI e a Enfermaria do Hospital Universitário estão lotadas, o que indica a necessidade de abertura de novos leitos e de adiamento do pleito em outras cidades. “Não temos condições de atender essa segunda onda de Covid-19. A vida é o bem mais precioso de todos nós. Conclamo todos os partidos políticos, candidatos, sociedade civil, TRE, Ministério Público, os nossos gestores governador Waldez e prefeito Clécio para juntos buscarmos uma solução”, defendeu Dr. Furlan.

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário