Candidatos a prefeito pelo Cidadania destacam projetos para a juventude

Em live nesta sexta-feira (11), organizada pelo coordenador do Juventude do estado de Goiás, Guilherme França, o deputado estadual Virmondes Cruvinel, pré-candidato a prefeito de Goiânia pelo Cidadania, destacou as iniciativas para superar o momento da pandemia e o pós, como a retomada de empregos e qualificação, com pautas ligadas à juventude como primeiro emprego, empreendedorismo, cultura e esporte.

“Um dos grandes desafios para quem pensa em ser prefeito é o resgate da juventude, que tem esbarrado na falta de experiência e oportunidade no mercado de trabalho. Temos defendido parcerias com o Sistema S e cursos de capacitação que podem prepará-los. Queremos também criar um banco de talentos, incentivando o uso da tecnologia como nova ferramenta de emprego e trazer a realidade das startups que ajudam a melhorar a gestão pública. Além de apoiar o jovem empresário que precisa de acesso ao crédito e orientação do poder público”, sustentou Cruvinel.

Questionado, o pré-candidato em Goiânia também explicou sua ideia sobre projetos para modernização das escolas municipais e expansão dos sinais de internet por Goiânia. “O primeiro passo é trazer essa tecnologia para as escolas e popularizar o acesso à banda larga, garantindo a pulverização por toda a cidade. E pensar a ideia de sensos tecnológicos comunitários para que os jovens e os pais possam ter acesso às atividades online em parceria com entidades e Ongs com mais qualidade”.

Cruvinel ainda ressaltou como pretende fortalecer a prestação de serviços da assistência social. “Temos que amparar no tripé formação, treinamento e inserção. A prefeitura esqueceu o cidadão, só pensa em obras. Dando oportunidades para a juventude os distanciamos de outros problemas, como as drogas, por exemplo. Por isso estamos muito motivados a encarar esse problema da assistência social e avançar pensando no cidadão”.

A delegada Daniele Garcia, pré-candidata do Cidadania a prefeita de Aracaju (SE), também participou do debate e observou que a questão do desemprego entre jovens pode ser resolvida com um ambiente de negócios favorável, facilitando a abertura de empresas, que passa, necessariamente, pela capacitação dos jovens.

“Pensamos em criar uma casa do empreendedor para desburocratizar a abertura dessas empresas. Mas vai além disso, temos uma juventude muito ociosa no nosso município, não temos mão de obra qualificada e, por isso, as empresas se estabelecem aqui e a mão de obra é toda de fora. Com capacitação e a prefeitura sendo intermediador para captação de recursos, facilitando o empreendedorismo para os jovens, conseguimos trazê-los para o mercado de trabalho”, afirmou Garcia.

Durante a conversa, a delegada foi questionada sobre a importância de uma gestão participativa com a juventude. “Pensamos em descentralizar a gestão municipal através da criação de prefeituras-bairro. Contaria também com os conselhos participativos, onde a juventude tenha voz e participe da gestão da sua comunidade”, afirmou.

No tocante ao combate à corrupção, a pré-candidata em Aracajú disse que fortalecerá os órgãos de controle interno. “A gente não consegue imaginar uma gestão sem controle interno e fiscalizador fortalecido, sem regras claras de compliance para a gestão pública. Esperamos controlar de perto, trazer minha experiência no combate a corrupção para evitar que se perpetue”.

Outro participante, o deputado estadual e pré-candidato a prefeito de Macapá (AP) pelo Cidadania, Doutor Furlan, destacou as políticas públicas que serão priorizadas para a juventude no município, como o Pró-Bem, que é parte do plano de governo e será o carro chefe na área de educação, inclusão social e esportes.

“Queremos otimizar o ensino das crianças no contraturno, levando reforço, musicalização, teatro, robótica. Na área social, criaremos o agente comunitário de educação, que funcionaria como um inspetor que faria o link entre a família e a escola, diminuindo a evasão escolar. Do ponto de vista dos esportes temos a intenção de construir três piscinas semiolímpicas”, disse.

Doutor Furlan ainda falou sobre sua atuação como médico e a relação com a política. “Foi a Medicina que me levou para a política quando percebi dentro do meu consultório a dificuldade das pessoas em terem acesso a alguns serviços, a algumas condições básicas que poderiam levá-los a uma melhor qualidade de vida”.

Como parlamentar, o pré-candidato em Macapá lembrou ser autor de algumas leis importantes, como o aplicativo SOS Vida, que funciona para os indivíduos que têm ideações suicidas, além de ser autor da lei que criou a notificação compulsória dos estabelecimentos de saúde para vítimas de violência doméstica.

Renovação

O presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, falou da abertura do partido à nova realidade de fazer política, principalmente com a ampliação do uso das redes sociais.

“O Cidadania entendeu que era necessária uma nova formação política para esse novo mundo, por conta desse novo processo de relação social, de trabalho, e humanas em geral. Isso já demonstra que os partidos eram datados e precisavam sofrer transformações e entender essa nova juventude que vinha para participar da política por outras formas de agir”, destacou. 

Na avaliação de Freire, o Cidadania tem ganhado mais espaço com essa abertura aos movimentos de renovação. “Não apenas de capilaridade, mas com características de ser formado fundamentalmente por jovens. A renovação da política está encontrando no Cidadania um interlocutor”, afirmou.

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário