Eliziane Gama é contra desmonte do Farmácia Popular

“Isso nos traz uma grande preocupação porque o Farmácia Popular atende hoje mais de 20 milhões de brasileiros”, afirma a senadora (Foto: Reprodução)

A líder do Cidadania no Senado, Eliziane Gama (MA), defendeu nesta quarta-feira (26) a manutenção do Farmácia Popular, programa que oferece medicamentos gratuitos ou com descontos de até 90% e atendeu 21,3 milhões de pacientes em 2019. Com a sua suspensão, segundo informações da imprensa, o governo Bolsonaro direcionaria R$ 2 bilhões do programa para o Renda Brasil, o novo nome do Bolsa Família.    

“Isso nos traz uma grande preocupação porque o Farmácia Popular atende hoje mais de 20 milhões de brasileiros. Ao retirar esse programa, nós estaremos sobrecarregando os governadores de todos os estados, que hoje já fazem o atendimento com medicamentos de alto preço”, disse a parlamentar.

Para ela, ‘será uma maldade com os mais pobres’ se o governo levar adiante a extinção do programa

“Essas pessoas necessitam desses remédios para sobreviver. Então, ficaremos muito atentos em relação a esse ponto e não vamos deixar que um programa tão importante  de distribuição de medicamentos seja excluído pelo atual governo”, afirmou.

O programa foi criado em 2004 e tem orçamento de R$ 2,5 bilhões para 2020. Segundo dados de fevereiro do Plano Nacional de Saúde, estão credenciadas 31 mil farmácias, em 3.492 municípios (79% do total), para entrega dos medicamentos.

As farmácias credenciadas oferecem 35 medicamentos, sendo 20 gratuitos. Os remédios disponibilizados pelo programa tratam hipertensão, diabetes, asma, doença de Parkinson, glaucoma, entre outras doenças. Os descontos também se aplicam a contraceptivos e fraldas geriátricas

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário