Em live com Lessa, Regis Cavalcante defende política ambiental no centro do debate político

O presidente do Cidadania em Alagoas, Regis Cavalcante, mostrou preocupação com a agenda ambiental, durante live com o presidente do PDT em Alagoas, Ronaldo Lessa, nesta quarta-feira (1). “A política é fundamental para mover a vida de todos nós e a política ambiental é o desafio para quem quer fazer da política algo em defesa do bem comum. O compromisso com a natureza, com o meio ambiente é fundamental”, defendeu. Durante o bate papo, ele falou sobre o bairro de Fernão Velho, que ainda concentra uma parte da Mata Atlântica. 

“É uma APA que vem sendo, inclusive, ameaçada até pelas autoridades públicas. Ela é um pedaço importante de Maceió do ponto de vista da preservação, de algo que é fundamental hoje e a realidade que estamos enfrentando determina isso. Uma realidade onde há um resquício de Mata Atlântica que tem sido preservada com um esforço grande. Fernão Velho precisaria ter uma administração pública que começasse a ver o potencial que tem do ponto de vista do empreendedorismo”, alertou.

Na avaliação de Cavalcante, a pauta ambiental é importante como programa futuro de governo e deve ser tratada como questão de saúde, educação e desenvolvimento. “Nunca imaginei viver uma pandemia. Não é uma gripezinha e não é só uma questão do Brasil. Temos um presidente que desdenha da preocupação sanitária, é uma insensatez enorme. Fora o trato na questão ambiental, que, hoje, as pessoas percebem rapidamente. Na nossa juventude, quando se falava em questão ambiental, se falava que era coisa de hippie, de quem não tinha compromisso com o desenvolvimento”, apontou.

Sobre o cenário político atual, Cavalcante afirmou que o governo Bolsonaro ameaça a democracia. “É um projeto para sequestrar a democracia. Isso não vai acontecer porque o respeito à Constituição se impõe e essa jovem democracia brasileira está reagindo, porque ele pensava mesmo em dar um autogolpe e ser presidente da República. O PT, é bom registrar, concorreu para a fragilização institucional e deixou esse cidadão solto a verbalizar um discurso conservador atrasado. Ele sempre teve pendor autoritário, não enganou ninguém. Ele é incapaz de governar. O Brasil está órfão de presidente”, criticou.

O presidente do Cidadania-AL disse acreditar que Bolsonaro enfretará desgaste profundo se continuar com essa agenda. “As pesquisas estão mostrando que 75% acreditam na democracia, não querem autogolpe, não querem fechar o Congresso e nem a Suprema Corte. Ele está na contramão da história”, apontou. Para Cavalcante, o presidente coloca até mesmo as Forças Armadas em risco. “Ele mandou o Exército brasileiro fabricar cloroquina e já há estoque para 18 anos de um medicamento que não é eficaz contra Covid. Está comprometendo a imagem da instituição”, avaliou. 

Conteúdo relacionado:

Em 2019, o Presidente Estadual do Cidadania em Alagoas, Regis Cavalcante, denunciou crime ambiental em Maceió.

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário