João Passos: Os derrotados buscam vingança e agora precisamos da juventude

O Brasil foi  tomado por um conservadorismo exacerbado, discurso de preconceito e ódio sendo destilado diariamente nas redes sociais e lentamente tomando as ruas e praças como se todas as conquistas do povo Brasileiro, no período de redemocratização, fossem algo ruim para nosso País. Cada dia mais e mais ataques às instituições, universidades, cientistas, médicos, enfermeiros. Para alguns poucos, porém barulhentos, somente o fato de ter formação em “humanas” o torna um inimigo a ser combatido.

As pessoas e instituições de pensamentos progressistas, humanistas e democráticos talvez não tenham reparado no tamanho do perigo que esta minoria traz para o Brasil. Pouco a pouco, seja pela violência, agressão psicológica ou insistência vão calando a maioria da população, passando sua verdade distorcida de sociedade e nós, democratas, debatendo os detalhes de nossas diferenças, parecendo uma corrida para provar quem é mais puro. O caminho da democracia não é feito de perfeições e sim de quem a quer a qualquer custo.

A história do Brasil do Brasil nos mostra que as grandes evoluções sempre partiram da juventude, seja na política, música, artes até mesmo moda.

Mas tudo que um dia foi novo envelhece e as eleições de 2018 mostram isso. Vimos as ruas com protestos antes inimagináveis. À frente e em cima dos carros de som, estavam vozes que se mantiveram em silêncio nos 40 anos anteriores, quando nós, os democratas, humanistas e progressistas, gritávamos tão alto que eles, os conservadores, mesmo jovens, se calaram. Não tinham coragem de defender aquilo que pensavam.

Porém, os escândalos recentes no Brasil tiraram da escuridão o que há de mais perverso na política nacional, pessoas que tentam construir uma nação de pensamento único e têm por inimigo todos os que têm a ousadia de pensar, de querer decidir seus rumos e o rumo do Brasil. Sabemos aonde isto pode parar e quais as consequências de um pensamento único.

Para nós, está reservado um lugar de destaque nesta luta. Não podemos permitir o crescimento deste pensamento ou os anos que se seguirão serão terríveis. Agora, não importa mais quem estava certo ou errado, quem era mais ou menos humanista, quem defendia mais ou menos o povo, agora é a hora da unidade em defesa do Brasil.

Para sermos vitoriosos nesta luta em defesa da democracia, nossos jovens devem acordar para o futuro que os espera. Nenhuma mudança será feita sem a força da nossa juventude: um grande exército do bem em defesa do futuro, uma vanguarda da liberdade artística, cultural, musical e política. Sem os jovens, ficaremos à mercê dos derrotados do passado e com sede de vingança, tentando descontruir todos os avanços conquistados.

João Passos é integrante da Direção Estadual do Cidadania em Santa Catarina 

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário