Comitê para gerenciar crise de Covid-19 ainda é viável, diz governador do ES em resposta a Eliziane Gama

“Eu propus ao presidente da República essa coordenação nacional, esse comitê nacional; ainda há tempo de fazermos isso”, afirmou Renato Casagrande (Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado)

“Ainda há tempo de o governo brasileiro montar uma  coordenação nacional [com estados e municípios para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus]”. A avaliação é do governador do Espírito Santo Renato Casagrande (PSB) ao responder à senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) sobre a necessidade da existência de um comitê gestor para planejar  ações de forma cooperativa entre os entes federativos no combate à Covid-19.

“Ainda estamos em uma curva infelizmente ascendente [de contaminação da Covid-19 no País]. Essa ação agora, de forma imediata, traria ainda bons resultados para os estados brasileiros?”, quis saber a parlamentar.

“No Brasil temos visões diferentes que têm atrapalhado o trabalho nos estados. Por isso, pedimos uma coordenação nacional que envie mensagens que  reconheçam a letalidade e a importância dessa pandemia. Eu propus ao presidente da República essa coordenação nacional, esse comitê nacional; ainda há tempo de fazermos isso”, afirmou Casagrande.

Ele e os governadores do Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), e  do Amapá, Waldez Góes (PDT), participaram nesta quinta-feira (25) de audiência pública remota da comissão mista do Congresso Nacional que acompanha  a situação fiscal e a execução orçamentária e financeira das medidas relacionadas ao coronavírus.

FPE e auxílio emergencial

Eliziane Gama também perguntou se há a necessidade da prorrogação do recurso de reposição do FPE (Fundo de Participação dos Estados) e do auxílio emergencial de R$ 600 aos trabalhadores desempregados, sem renda e vulneráveis durante a pandemia.

“Ampliação dos recursos emergenciais: certamente precisaremos. A primeira parcela [da reposição do FPE] foi repassada em junho, há mais três parcelas, mas certamente precisaremos, assim como está sendo discutida também uma prorrogação da ajuda emergencial às pessoas físicas”, disse Casagrande.

“É importante as medidas já aprovadas pelo Congresso Nacional, seja de ajuda, de apoio aos mais pobres, aos que ficaram em situação de vulnerabilidade, seja ajuda aos estados e municípios, os recursos destinados diretamente ao enfrentamento à Covid, como foi feito”, reconheceu Waldez Góes.

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário