Eliziane Gama: Adiamento do Enem garante isonomia entre alunos da rede pública e privada de ensino

‘O Enem é o acesso ao ensino superior e é exatamente por meio da educação, do acesso à universidade que se muda a vida das pessoas do Brasil”, afirma a senadora (Foto: Reprodução)

Com votos da bancada do Cidadania, o Senado Federal aprovou nesta terça-feira (19) o adiamento da prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) previsto para o mês de novembro, mas a proposta ainda precisa ser votada pela Câmara dos Deputados.

“A proposta é justa e garante a isonomia entre os alunos da rede pública e privada de ensino. O Enem é sim um instrumento importante para diminuir a desigualdade social no País”, afirmou a líder do partido, Eliziane Gama (MA).

De autoria da senadora Daniella Ribeiro (PP-PB), o projeto (PL 1277/2020) suspende instantaneamente a aplicação de provas e exames, como o Enem, em casos de calamidade pública decretados pelo Congresso Nacional.

“Nós conversamos com o ministro da Educação [Abraham Weintraub durante videoconferência no último dia 5] e ele disse que o Enem não era instrumento para resolver a desigualdade social. Isso não é verdade. O Enem é o acesso ao ensino superior e é exatamente por meio da educação, do acesso à universidade que se muda a vida das pessoas do Brasil”, disse Elizane Gama, ao encaminhar o voto do Cidadania pela aprovação do projeto.

Responsável pela aplicação dos testes, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) publicou uma nota de esclarecimento, nesta segunda-feira (18), dizendo que a fixação de uma data para o Enem não a torna imutável. A Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior) e o TCU (Tribunal de Contas da União) também estão entre os órgãos que se manifestaram pela elaboração de um novo cronograma. 

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário