Número de focos de incêndio na Amazônia é o maior em nove anos, segundo Inpe

O mês de agosto de 2019 registrou um aumento de 196% nas queimadas no bioma Amazônia quando comparado ao mesmo período do ano passado. O número de focos ativos neste ano chegou a 30.901, contra 10.421 em 2018, de acordo com dados do Programa Queimadas do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), gerados com com base em imagens de satélite. É o maior número observado para o mês desde 2010.

Se todo o território brasileiro for considerado, também há alta no número de queimadas: foram 51.936 focos em agosto, aumento de 128% em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando foram identificados 22.774 focos. Segundo o Inpe, os números são os mais altos em agosto desde 2010.

Quando o ano inteiro é analisado, os registros também são de elevação. Entre janeiro e agosto, foram 90.501 focos em todo o país, contra 52.926 no mesmo período do ano passado — um aumento de 71%. É o maior índice em nove anos. O recorde do país para os oito primeiros meses do ano é de 2005, quando foram registrados 149.124‬ focos de queimadas.

Amazonas

Para Ane Alencar, diretora de pesquisa do Ipam (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia), os dados de queimadas do Inpe confirmam que o estado do Amazonas está cada vez mais ameaçado.

“O Amazonas, especialmente o sul do estado, é uma das novas fronteiras do desmatamento. Há dez anos atrás essa prática de queimadas não era tão ativa lá. É por isso que, neste mês de agosto, há esse recorde de todos os anos. Porque, realmente, agora a região é uma das novas fronteiras da expansão agropecuária”, disse a diretora do Ipam.

Os dados do Amazonas são os piores registrados em agosto entre os estados que fazem parte da Amazônia Legal, área que engloba a totalidade dos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins e parte do estado do Maranhão.

No Acre e em Rondônia, os focos superaram a média histórica para o mês de agosto.

Na Amazônia Legal os focos ativos de queimadas em agosto de 2019 ficaram acima da média dos últimos 20 anos, mas não chegaram a bater o recorde histórico. A quatro dias do final de agosto, foram 35.147 focos registrados em toda a Amazônia Legal. A média para o mês de agosto dos últimos 20 anos é de 34.431 focos na região.

O bioma Amazônia, que ocupa cerca de 40% do território em vários estados, também teve queimadas acima da média para o mês neste agosto. Foram 27.921 focos ativos no bioma até 27 de agosto. A média para o mês é de 25.853 focos, segundo o Inpe. (Com informações do G1)

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário