Alex Manente condena fala de Bolsonaro sobre desaparecido na Ditadura

O deputado Alex Manente reagiu à mais recente declaração polêmica do presidente da República. Nesta segunda-feira (29), Jair Bolsonaro afirmou que sabe como o pai do presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, desapareceu durante a ditadura militar. Disse, ainda, que poderia contá-lo a verdade, mas acha improvável que o jurista queira saber. Fernando Santa Cruz, que militou contra o regime militar, desapareceu em 1974. Sua mãe, Elzita Santa Cruz, que viveu uma verdadeira saga à procura do filho, faleceu no mês de junho, sem saber a verdade sobre o caso.

“Bolsonaro fez chacota da dor de um filho que perdeu o pai. Isso extrapola o embate ideológico. É mesquinho, é cruel. Não é postura de alguém que se diz conservador. Não é a postura que se espera de um presidente em uma República. Lamentável”, colocou o deputado Alex Manente, nas redes sociais.

Após a fala do presidente, Felipe Santa Cruz chegou a dizer que Bolsonaro “deixa patente seu desconhecimento sobre a diferença entre público e privado, demostrando mais uma vez traços de caráter graves em um governante: a crueldade e a falta de empatia”. “Lamentavelmente, temos um presidente que trata a perda de um pai como se fosse assunto corriqueiro – e debocha do assassinato de um jovem aos 26 anos”, completou, em carta.

Leia também

Pautas contraditórias

A pauta dos eleitores perdeu sintonia com a pauta...

Caso Juscelino acende a luz vermelha no Supremo

As “emendas Pix” ou “emendas cheque em branco” foram criadas para dificultar o rastreamento do dinheiro do Orçamento destinado às bases eleitorais dos parlamentares.

IMPRENSA HOJE

Veja as manchetes dos principais jornais hoje (18/06/2024)

O trauma do aborto é um segredo das famílias brasileiras

Foi imediata a reação contrária da opinião pública, pelas redes sociais e nas ruas, à tentativa de criminalizar o aborto de crianças vítimas de estupro com penas de até 20 anos.

Informativo

Receba as notícias do Cidadania no seu celular!