Alessandro Vieira: Projeto de abuso de autoridade é “no mínimo, um oportunismo”

“No mínimo, um oportunismo”, diz senador sobre projeto de abuso de autoridade

O Antagonista

Alessandro Vieira, autor dos pedidos de criação da CPI da Lava Toga e vice-líder do Cidadania no Senado, disse a O Antagonista que nem ele nem ninguém do seu partido foram consultados sobre a tramitação do projeto de abuso de autoridade, inserido na CCJ [Comissão de Constituição e Justiça] como extrapauta na semana passada.

“Os senadores do Cidadania em nenhum momento participaram de acordo ou foram consultados sobre a tramitação desse projeto. Cobrei o presidente Davi [Alcolumbre (DEM-AP)] sobre isso e ele me relatou um lapso.”

O senador acrescentou que o tema tem “uma certa complexidade” e não poderia ter sido pautado “de forma açodada”. Ele está analisando o relatório de Rodrigo Pacheco (DEM) a favor do projeto e adiantou que apresentará emendas.

“É importante discutir o projeto, mas não como forma de retaliação e opressão a quem tem investigado crimes de corrupção. É, no mínimo, um oportunismo.”

O projeto entrou como extrapauta na CCJ justamente na semana dos vazamentos envolvendo a Lava Jato. O relator, que teve de elaborar seu parecer na noite anterior à sessão, considera uma “coincidência”.

Nota da redação: O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) anunciou na tarde desta terça-feira (18) que o projeto de abuso de autoridade foi retirado da pauta de votações da Casa.

O relatório do senador Rodrigo Pacheco (DEM-RO) a favor da proposta vai analisado na CCJ antes de ser votado em plenário da Casa.

Postagens Recomendadas

Nenhum comentário ainda, mostre que você tem voz!


Adicione um comentário