Pesquisa da CNI/Ibope mostra que seis em cada 10 brasileiros apoiam reforma da Previdência

Seis em cada 10 brasileiros apoiam a reforma

Pesquisa da CNI mostra que a maioria da população considera necessária a mudança nas regras de aposentadoria. De acordo com o levantamento, 72% são a favor da criação de uma idade mínima

ELIANE OLIVEIRA E LÉO BRANCO – O GLOBO

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que seis em cada dez brasileiros (59%) consideram necessária a reforma da Previdência. Além disso, 83% afirmam não estar dispostos a pagar mais impostos para manter o atual sistema previdenciário, e 59% acreditam que a falta de dinheiro para a Previdência deve ser resolvida com mudanças nas regras de aposentadorias e pensões.

Segundo a pesquisa, feita em conjunto com o Ibope, 63% dos homens dizem que é preciso melhorar o sistema previdenciário. Entre as mulheres, o percentual é de 54%.

O levantamento mostra que a reforma é importante para 68% dos entrevistados com ensino superior e 73% daqueles com renda familiar de até cinco salários mínimos. E mesmo aqueles que ganham menos e com menor grau de escolaridade avaliam que as
mudanças são necessárias: 52% dos que completaram até a quarta série do ensino fundamental e 51% dos que recebem até um salário mínimo.

— A maioria da população já reconhece que a reforma da Previdência é indispensável para o país — disse o presidente em exercício da CNI, Paulo Afonso Ferreira.

— As mudanças no sistema atual de aposentadorias são essenciais para incentivar o retorno dos investimentos, do crescimento sustentado e da necessária modernização do país.

A pesquisa mostra que cresce a percepção sobre a necessidade de o Brasil estabelecer idade mínima para a aposentadoria — um dos principais pontos da reforma em tramitação no Congresso. Entre os entrevistados, 72% disseram que são a favor da medida.

Segundo o levantamento, oito em cada dez brasileiros (79%) sabem que as regras de aposentadoria não são iguais para todos, e sete em cada dez pessoas concordam que tratamentos diferentes prejudicam o restante da população. Entre os entrevistados, 71% concordam total ou parcialmente que todos deveriam estar sujeitos às mesmas normas, enquanto 26% discordam.

S&P VÊ PRAZO MAIOR

Além disso, 62% concordam que as mulheres tenham tratamento diferente do dado aos homens. A maioria defende que os trabalhadores rurais tenham aposentadorias diferenciadas, assim como professores, policiais e militares.

Apesar da mudança na percepção do brasileiro, a agência de classificação de risco Standard & Poor”s (S&P), afirmou ontem que a aprovação da reforma deve sair num prazo mais longo que o previsto inicialmente pelo mercado. Por isso, a condição fiscal do país segue pior que a de outros emergentes e a nota de crédito, rebaixada em janeiro de BB para BB-, deve se manter inalterada nos próximos meses.

Leia também

As dívidas da democracia

Por sorte, dessa vez, o atentado da máfia golpista fracassou devido à incompetência e ao despreparo do líder, um militar da reserva que, por pouco, não foi expulso do Exército por indisciplina na década de 1980.

Lula chamou Netanyahu para dançar um minueto

Lula errou politicamente. Não sabemos se foi arroubo de oratória ou deliberado. Não vai se desculpar, porém já sabe que precisa relativizar as declarações sobre a guerra de Gaza.

IMPRENSA HOJE

Veja as manchetes dos principais jornais hoje (20/02/2024)

Quando outubro vier

Já escrevi isso algumas vezes e repito aqui: a...

Informativo

Receba as notícias do Cidadania no seu celular!