Eleição 2020: Prazo para eleitor regularizar título termina em maio

Após o prazo, quem não estiver em dia com o documento, não poderá votar nas eleições municipais de outubro (Foto: Marcello Casal/AB)

Os cidadãos que tiveram o título de eleitor cancelado têm até o dia 6 de maio para regularizar a situação. Após o prazo, quem não estiver em dia com o documento, não poderá votar nas eleições municipais de outubro, quando serão eleitos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores nos 5.568 municípios do País.

No ano passado, 2,4 milhões de títulos foram cancelados porque os eleitores deixaram de votar e justificar ausência por três eleições seguidas. Para a Justiça Eleitoral, cada turno equivale a uma eleição.

Para regularizar o título, o cidadão deve comparecer ao cartório eleitoral próximo a sua residência, preencher o RAE (Requerimento de Alistamento Eleitoral) e apresentar um documento oficial com foto. Também será cobrada uma multa de R$ 3,51 por turno que o eleitor deixou de comparecer. O prazo para fazer a solicitação termina no dia 6 de maio, último dia para emissão do título e alteração de domicílio eleitoral antes das eleições.

Além de ficar impedido de votar, o cidadão que teve o título cancelado fica impedido de tirar passaporte, tomar posse em cargos públicos, fazer matrícula em universidades públicas, entre outras restrições.

A situação de cada eleitor pode ser verificada no site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O primeiro turno será realizado no dia 4 de outubro. Se necessário, o segundo turno será no dia 25 do mesmo mês. Cerca de 146 milhões de eleitores estarão aptos a votar. (Agência Brasil)

Câmara aprova projeto de Rubens Bueno que dá a Nova Esperança o título de Capital Nacional da Seda

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprovou nesta quinta-feira (30) projeto do deputado federal Rubens Bueno (Cidadania-PR) que concede ao município paranaense de Nova Esperança o título de Capital Nacional da Seda. Situada no noroeste do estado, a cidade é a maior produtora de seda na América Latina. O reconhecimento dá ainda mais destaque para o município de 30 mil habitantes que já é apontado nacionalmente como campeão em limpeza urbana e detém o título de melhor gestão de lixo no Brasil.

“Nova Esperança já é a Capital Estadual da Seda. O Paraná é produtor de 84% da seda nacional e somente Nova Esperança responde por 15% da produção de casulos verdes do estado. Exporta para a França, Itália, Japão e outros países. Fico muito feliz com essa nova conquista que é fruto de um trabalho que fizemos em conjunto com o prefeito Moacir Olivatti e que premia a dedicação dos produtores da região”, destacou o deputado Rubens Bueno, que agora vai se dedicar a aprovação do projeto também no Senado para ratificar a concessão do título nacional para Nova Esperança.

Hoje a cidade produz mais de 328 mil quilos de casulo verde por safra e fio da seda produzido em Nova Esperança prima-se pela alta qualidade quando comparado ao de outros países, o que lhe torna referência mundial.

“Tudo isso é fruto do trabalho dos pioneiros que iniciaram essa atividade na região na década de 1980 e com a o avanço da tecnologia conquistaram a excelência na produção numa união entre produtores, indústria, pesquisadores e poder público”, afirmou Rubens Bueno.

Para o prefeito Moacir Olivatti, que sugeriu o projeto ao deputado, o título de Capital Nacional da Seda vai valorizar cada vez mais a cidade e seus produtores. É mais um passo para reconhecer o trabalho do maior produtor de casulos verdes do Brasil, o que enriquece sua história e sua cultura.