Roberto Freire diz que é preciso pôr fim à tirania e restabelecer a democracia na Venezuela

O presidente do Cidadania, Roberto Freire, afirmou, nesta terça-feira (30), ao comentar as manifestações que eclodiram na Venezuela com apoio significativo das Forças Armadas, que é preciso acabar com a “tirania contra o povo” e restabelecer a democracia no País vizinho. Segundo ele, todo o mundo acompanha atentamente a crise venezuelana.

“Respaldar eleições livres”

“Os democratas do mundo acompanham atentamente essa situação e esperam que as Forças Armadas respaldem a sociedade que se encontra na rua lutando por sua liberdade. Que eles [Forças Armadas] tenham consciência que não podem sustentar uma tirania contra o povo. Que respaldem essa primeira movimentação de dissidentes militares em prol das eleições livres o mais rápido possível na Venezuela, e que se inicie o processo de restauração econômica, política e social”, defendeu.

Roberto Freire afirmou que ainda é difícil saber se o levante colocará um fim na ditadura de Nicolás Maduro, mas destacou que, caso a dissidência militar aumente, não haverá duvidas sobre o fim do regime bolivariano.

“Ninguém sabe se vai [derrubar Maduro]. Por isso é preciso fazer a movimentação e a integração popular. Se a dissidência militar crescer, não tenho dúvidas que teremos um novo governo e a perspectiva de restauração da democracia e liberdade”, disse.

Manifestações

A crise política na Venezuela voltou a ficar tensa no início desta terça-feira após o presidente interino Juan Guaidó – reconhecido como presidente do País pela Assembleia Nacional e mais de 50 países – conduzir a soltura do líder opositor Leopoldo López que estava em prisão domiciliar. Ao lado de militares dissidentes do regime bolivariano, Guaidó convocou a população para forçar a saída de Maduro do governo.