Loreny pede e prefeitura de Taubaté (SP) vai distribuir cestas básicas aos alunos da rede pública

Decisão anunciada hoje atende a ofício encaminhado pela vereadora com objetivo de garantir segurança alimentar às famílias durante o período de isolamento (Foto: Reprodução)

A prefeitura de Taubaté (SP) atendeu pedido da vereadora Loreny (Cidadania), presidente da Comissão de Finanças da Câmara Municipal da cidade, e vai distribuir cestas básicas às famílias de alunos da rede pública de ensino durante o período de suspensão das aulas em razão da pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Os recursos virão da merenda escolar.

Em ofício encaminhado em 6 de abril, a vereadora registra que a medida é uma forma de “evitar aglomerações e riscos aos profissionais das unidades escolares e às famílias que vão até o local para retirada dos alimentos”. A decisão foi anunciada pela prefeitura nesta quinta-feira (16) em entrevista à Rádio Metropolitana.

Também em ofício, Loreny recomendou que sejam adotadas todas as medidas de higiene na preparação e entrega das cestas básicas e o fornecimento de alimentos específicos para os alérgicos, possibilidade que, segundo a prefeitura, será analisada.

“Esperamos que isso seja revisto o mais breve possível. Todas essas medidas são necessárias para diminuir o risco ao vírus”, apontou.

Loreny Roberto é pré-candidata do Cidadania à Prefeitura de Taubaté (SP)

Vereadora diz que se for eleita sua gestão será pautada pela responsabilidade com o dinheiro do contribuinte (Foto: Reprodução)

A vereadora de Taubaté (SP) do Cidadania, Loreny Roberto, é a pré-candidata do partido para disputar à Prefeitura do município. Em entrevista ao Portal do Cidadania, a parlamentar destacou os principais problemas enfrentados pela cidade e adiantou como pretende pautar sua gestão à frente ao Executivo municipal, caso seja eleita.

Loreny Roberto destacou que o principal problema enfrentado pela cidade é a saúde pública. Ela pretende dar mais atenção à prevenção e ao bem-estar da população. Para ela, é preciso dar “mais atenção às pessoas e não às doenças”. Além disso, a vereadora disse que pretende diversificar a economia que, segunda ela, é muito focada na indústria.

A parlamentar disse ainda na entrevista a seguir que sua eventual gestão será pautada pela responsabilidade com o dinheiro do contribuinte. Lorenny afirmou que é possível fazer mais e com qualidade com o Orçamento municipal já existente.

Por que disputar a Prefeitura de Taubaté?

Loreny Roberto – Taubaté é uma cidade maravilhosa, mas infelizmente conta com o mesmo grupo político governando a cidade há décadas. A cidade cansou disso e já está na hora de mostrarmos que tem gente de Taubaté, nascida aqui como eu, que possui competência e capacidade para resolver os grandes problemas, antigos e persistentes, que temos na cidade até hoje.

É por isso que eu disputo à Prefeitura de Taubaté, para poder mostrar para população que é possível fazer mais e melhor com os mesmos recursos, com o orçamento excelente que Taubaté tem. É uma cidade rica, com uma população que é boa pagadora de impostos. [Sou candidata para] mostrar que podemos melhorar a qualidade dos serviços públicos e do atendimento das pessoas, sem perseguições ou favoritismos para “chegados” e sem política errada e velha.

A ideia é favorecer as pessoas e conseguir construir uma cidade muito melhor para as pessoas viverem. A cidade já e boa e o melhor de Taubaté é a nossa gente. Temos cidadãos muito engajados em diversas causas: artistas e pessoas que cuidam de projetos sociais incríveis, e tudo graças ao taubateano. Com uma administração pública que seja à altura do povo de Taubaté, a nossa cidade tem chance de garantir a melhor qualidade de vida do País, sem dúvidas.

Em sua opinião, quais são os principais problemas da cidade?

Com base no que escuto da população sendo vereadora e representante das pessoas, pois eu gosto de trabalhar com dados e evidencias. Gosto de andar e viver a cidade. Mas sem medo de errar, o principal problema hoje é a saúde que não trata com dignidade as pessoas. Por falta de informação e comunicação, faz as pessoas esperarem tempo demais. A gente tem doenças que se agravam muito porque não é cuidada na atenção básica, na prevenção. Deveríamos cuidar da saúde das pessoas e não das doenças. Temos condições, recursos e profissionais competentes o suficiente para cuidar das pessoas antes delas adoecerem, para que não tenhamos gasto e sofrimento quando as doenças ficam complexas e graves.

Temos também o problema do desemprego. Precisamos alternar a economia do município. Durante muito tempo, e de forma equivocada, [a cidade] se pautou exclusivamente na indústria e agora vemos muitas demissões. Temos vocação turística e cultural muito grande que precisam ser exploradas por meio da economia criativa. Temos grandes condições de fazer isso, além de colocar em prática tecnologias sociais aproveitando a mão de obra do município, para resolver problemas e executar serviços públicos, ao invés de contratar serviços terceiros que muitas vezes são de fora da cidade, e leva o Orçamento da cidade para fora. Vamos priorizar a geração de emprego de dentro da cidade prioritariamente.

Também temos a questão da segurança pública. Embora alguns indicadores digam que têm melhorado, a sensação das pessoas é de insegurança com roubos, furtos etc.

E por fim um ponto que a população não reclama muito, mas que para mim é prioritário, é a educação. A população não tem reclamado porque aqui o ensino é integral e a merenda funciona muito bem. Tudo o que é bom eu reconheço e manterei. Contudo, a qualidade do aprendizado em Português e Matemática é vergonhosa e vem “emburrecendo” as nossas crianças e jovens. Uma educação que deixa a desejar para nos tornarmos competitivos, e para que a nossa cidade possa se desenvolver ainda mais.

Caso eleita, como será pautada a sua gestão?

Sendo eleita a gestão da cidade será pautada pela qualidade do gasto publico. O orçamento público é a palavra chave. O povo não quer saber de Estado máximo ou mínimo. O povo quer sabe de Estado eficiente, quer os problemas resolvidos. Quer que os problemas do cotidiano sejam resolvidos.

A gestão será pautada pela responsabilidade com o dinheiro do povo e com participação popular. Uma gestão que escuta antes de se intrometer a fazer coisas. Antes de inverter a mão [da rua], vamos consultar as pessoas, ouvir o comércio e conselhos. Eles terão vez e voz para construirmos juntos uma cidade melhor. Quem vive a cidade e os problemas é quem está mais habilitado a opinar sobre eles [os problemas]. Uma cidade participativa, contra polarização e resolvendo os problemas com um Orçamento público bem gerenciado, com eficiência e qualidade.

Como o Cidadania poderá contribuir na sua gestão?

O Cidadania é um partido democrático que contribui com a resposta que acabei de dar. Oferecer um caminho eficiente, verdadeiro, realista e equilibrado. O equilíbrio é importante em todas as esferas da vida humana. Não podemos exagerar nas coisas porque os excessos costumam fazer mal ao ser humano. O Cidadania é um partido de equilíbrio e com boas experiências, como a do prefeito Luciano Rezende, de Vitória [ES], com resultado incrível, constatado e reconhecido. O partido tem quadros e experiências para compartilhar e contribuir, além de sua própria natureza, de ser republicano, defendendo todos os lados e as diversas opiniões.

Perfil

A vereadora Loreny Roberto é mestranda em Gestão e Desenvolvimento Regional na Universidade de Taubaté. Ela é especialista em Controle da Gestão Pública Municipal pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e bacharel em Gestão de Políticas Públicas pela USP (Universidade de São Paulo).

Foi eleita vereadora para a 17ª Legislatura (2017 a 2020), com 1.260 votos pelo PPS (Partido Popular Socialista), hoje Cidadania. Em fevereiro de 2019, sucedeu o vereador Bilili de Angelis (PSDB) no cargo de 2ª vice-presidente da Mesa Diretora da Câmara Municipal.

Loreny é co-criadora da Planus do Brasil, negócio social para o fortalecimento de cidades que atua implementando ferramentas de gestão democrática para os municípios, principalmente da Região Metropolitana do Vale do Paraíba com foco em processos participativos para transformação e ampliação das capacidades.

Da periferia de Taubaté para o estado de São Paulo

A jovem Ellen Cursino é da periferia de Taubaté, no interior de São Paulo. Tem 31 anos, mãe da Maria Vitória e Giovanna, formada em jornalismo pela Universidade de Taubaté, especialista em Gestão Pública Municipal pela Universidade Federal de São Paulo e se especializando também em Ciência Política pela Estácio de Sá.

Desde os 18 anos ela trabalha com política. Participa de movimentos culturais, empreendedorismo feminino, acredita no fortalecimento das políticas públicas no combate ao feminicídio e no desenvolvimento de políticas afirmativas da igualdade racial. Hoje ela é a primeira jovem negra a assumir a Secretaria de Mulheres do partido político Cidadania 23 no estado de São Paulo.

A Secretaria de Mulheres do Cidadania de São Paulo é composta pela Secretária Executiva Ellen Cursino; pela Secretária de Finanças Marluce Maria, advogada e especialista em Gestão Pública; pela Secretária de Comunicação Viviane Camargo, advogada; pela Secretária de Mobilização Política, vereadora de Limeira Dra Mayra Costa, médica neurologista; pela Secretária de Formação Política vereadora de Taubaté Loreny Mayara, Gestora de Políticas Públicas e Especialista em Controle de Gestão Pública Municipal; e pela honrosa vice-prefeita de Araçatuba Edna Flor, advogada.

A nova composição transformou o movimento de mulheres em um quadro de pessoas técnicas que dão suporte às outras mulheres que querem além de se candidatar, terem apenas vida partidária ou trabalhar na gestão pública. O projeto “Juntas por Elas” é da M23 SP e tem como objetivo preparar as mulheres para a eleição e fortalecê-las para o desafio de novas gestoras na construção de cidades que consigam acolher a população, dar qualidade de vida às pessoas e diminuir as desigualdades socioeconômicas. Ensinar que cidades inteligentes são cidades mais humanas.

“Somos 54 vereadoras, 3 prefeitas, 4 vice-prefeitas e milhares de filiadas que contribuem para uma sociedade muito, mas muito melhor! Nós, somos mulheres de todo o canto do Estado de São Paulo que desenvolvem uma política no seu município. Somos empreendedoras, professoras, policiais, donas de casa, jornalistas, advogadas, somos gestoras públicas. Somos o que querermos ser. Vamos ensinar as nossas mulheres a entenderem a importância do seu eleitor. Como ele pensa, como a política boa deve existir, como vamos fazer a nossa pré-campanha. Vamos ensinar as mulheres se tornarem gestoras de cidades inteligentes para a construirmos cidades mais humanas. Mas para isso, precisamos discutir o voto. Preparar a mulher para a eleição, para a participação partidária e conquistar o seu espaço na política”, afirma Ellen Cursino. (Site M23)