Roberto Freire se solidariza com Gilmar Mendes e STF após confissão de Rodrigo Janot

O presidente do Cidadania, Roberto Freire, prestou solidariedade em nome do partido, nesta sexta-feira (27), ao ministro do STF, Gilmar Mendes, após o ex-procurador geral da República, Rodrigo Janot, confessar, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, plano para executar Mendes e se suicidar em seguida. Segundo Freire, as declarações apontam para grave desequilíbrio emocional do ex-presidente da PGR.

“É difícil imaginar que tenhamos tido na PGR uma pessoa tão emocionalmente desequilibrada. Inadmissível numa sociedade civilizada que a divergência de ideias e opiniões provoque sanha assassina vinda de quem quer que seja. O Cidadania 23 expressa solidariedade ao Ministro e ao STF”, disse o dirigente.

Prevaricação

Janot também afirmou na entrevista que recebeu propostas de políticos importantes do País para ocultar crimes praticados pelo mesmos nas investigações em curso realizadas pelo Ministério Público. Para o líder do Cidadania na Câmara dos Deputados, Daniel Coelho (PE), as declarações de Janot representam uma confissão de prevaricação.

“As declarações feitas por Janot são uma confissão de prevaricação. Ele diz que foi proposto a ele crimes a serem cometidos por autoridades. E preferiu o silêncio para revelá-los agora em um livro. Realmente é estarrecedor que isto seja considerado algo normal”, escreveu nas redes sociais.