Simone defende aprovação de projeto de Eliziane que inclui representante feminina no Colégio de Líderes

Proposta foi aprovada pela CCJ do Senado em 2019; novo presidente da Casa diz que vai sugerir sua inclusão na pauta de votações do plenário (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) fez um apelo em plenário, nesta terça-feira (02), pela aprovação do projeto de resolução (PRS 26/2019) de autoria da senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) que cria oficialmente o Colégio de Líderes do Senado e garante a participação de uma representante da bancada feminina no órgão.

“Nós queremos realmente ir além de termos voz. Nós queremos efetivamente ter espaços de deliberação antes de [uma matéria] vir a Plenário. No Colégio de Líderes, na Mesa do Senado, acho importante. É uma homenagem à mulher brasileira”, disse Simone, destacando que o PRS 26/2019 já foi aprovado pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado e aguarda deliberação da Mesa.

O presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), reconheceu que a sugestão para incluir uma representante da bancada feminina no Colégio de Líderes foi um compromisso assumido por ele durante sua candidatura à presidência do Senado. Ele informou que deverá sugerir, na reunião de líderes a ser realizada na próxima semana, a inclusão desse projeto de resolução na pauta de votações do plenário.

“Uma das lacunas que nos parece mais expressiva é a ausência de um colegiado de líderes de partidos políticos e blocos parlamentares atuantes na Casa, com um perfil que reconheça a tal órgão competências e prerrogativas adequadas à relevância desses senadores e senadoras, diluindo tanto quanto possível, poderes que, hoje, são excessivamente confluentes a órgãos por vezes não tão representativos”, argumentou Eliziane na justificação do projeto, aprovado em julho de 2019 pela CCJ.

De acordo com o texto, o Colégio de Líderes será integrado pela representante da bancada feminina, pelas lideranças dos partidos políticos, dos blocos parlamentares e do governo e pelo presidente do Senado.

O grupo poderá, por exemplo, sugerir a modificação da Ordem do Dia elaborada pelo presidente do Senado, com a inclusão ou retirada de matérias; poderá provocar a Presidência da Casa para transformar sessões públicas em secretas e para a criação de comissão para representação externa da Casa. Os representantes do Colégio de Líderes também deverão ser ouvidos antes da convocação de sessões extraordinárias. (Com informações da Agência Senado)

VEJA TAMBÉM